07/05/2014

Os acima das leis

Shot015

A Lei da Transparência é para todos? Não, para alguns. E nesses alguns está o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Joaquim Barbosa, cioso em descer o martelo na cabeça dos réus, mas useiro e vezeiro em deixá-lo na gaveta quando ele lhe ruma ao dedão do pé.

A lógica torta de Barbosa tem mais um capítulo no CNJ, cujos conselheiros assinaram um ofício requisitando-lhe os detalhes dos gastos de R$ 12 milhões com reformas em dois prédios que abrigarão o órgão: Barbosa ignorou a demanda.

> Improbidade administrativa

Um dos conselheiros ataca: “pode ser classificada [a recusa em atender o ofício] como ato de improbidade administrativa nos termos da Lei de Acesso à Informação”.

Pode nada: tanto Barbosa quanto Lula estão acima das leis e, ao que consta, o “povo”, esse ser indeterminado, cujo nome muitos usam em suas vãs razões, os ungiu, em uma espécie de esquizofrenia moral, a assim agirem. Sorte a deles.

> Dissimulando

A “Folha de S. Paulo” também pediu explicações. Joaquim Barbosa não se dignou a assinar a resposta, mas o órgão tergiversou o objeto: respondeu que o STF “tem necessidade premente de reocupar a área onde outrora se localizavam os gabinetes dos ministros” e por isso a sede do Conselho está de mudança para outro local, calando-se quanto ao pedido sobre os detalhes do custo das reformas.

Será que a obra está sendo feita com dispensa de licitação? O Joaquim Barbosa pode, ora pois...

4 comentários:

  1. meu nobre deputado,
    clamo aqui por sua seriedade e pela postura de defesa do povo do pará.
    infelizmente não posso me identificar, mas se tiver um contato vou até o senhor levar elementos da denúncia aqui apresentada.
    a fábrica esperança e a nova eminência parda dentro da casa: shirley balieiro que está aterrorizando funcionários, levando a demissão de pessoas (inclusive da base do pastor) em troca está contrata a peso de ooouro na casa, como ela arrota nos corredores (25.000 reais )
    dê, por favor, uma olhada nesta figura e diga-me se ela tem alguma pinta de quem entende de moda...
    https://plus.google.com/108568697970443219332/posts
    trata-se de shirley balieiro. dona de casa, que segundo consta, nunca teve profissão definida.
    trata-se de uma "eminência parda" mais para parda, que aportou na fábrica esperança sob comando do pastor divino.
    ela aportou na fábrica junto com o novo diretor sob o pretexto de dá consultoria de moda. desde o início do ano aterroriza a tudo e todos, enquanto dá sinais claros de enriquecimento.
    moda deputado?
    a mulher não tem nem o ensino médio completo. e com todo respeito a diferença e a diversidade, é o avesso da moda.
    mas, a mulher manda mais que o diretor na casa, eduardo de carvalho, com quem anda a tiracolo para todos os cantos.
    já pediu a cabeça da direção comercial e agora acabou de pedir a cabeça do diretor de produção.
    para o cargo, indicou uma marroquina que lhe serve bem, e segundo funcionários, é vista constantemente levando fardos e fardos de roupas e tecidos sem destinação conhecida.
    barata, muita gente competente da fábrica está querendo pedir demissão por que trabalha de sol a sol para que a fábrica funcione a contento, e hoje está sendo humilhado por essa dita cuja que caiu do céu, arrota que possui um contrato " a peso de ouro" com a fábrica e está causando o maior transtorno para muitos funcionários.
    socorra-nos.

    ResponderExcluir
  2. Lembro-me que o Jader sempre fala no povo (esse ser indeterminado) paraense que o elegeu para fugir da ficha limpa.

    ResponderExcluir
  3. só digo uma coisa: shirley baliero não é um ser indeterminado. é um ser determinado a sugar fábrica esperança. e atrapalhar seu funcionamento para poder ser beneficiar.

    mas quem está por trás dela?

    o diretor?

    o deputado?

    quem?

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkk

    o sujo falando do mal lavado

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.