11/04/2014

Imprensa confunde institutos e Agência Pará marca tento

Shot002

O Escritório de Drogas e Crime das Nações Unidas (UNODC na sigla em inglês) publicou ontem (10) o Estudo Global sobre Homicídios 2013.

Toda a grande imprensa e portais brasileiros repercutiram a publicação e acostaram nas letras o ranking das primeiras 50 cidades mais violentas do mundo (base de dados de 2012).

Nas publicações, o Brasil contribui com 11 cidades no ranking e Belém é a 23ª na ordem decrescente, como abaixo se posta:

A Agência Pará publicou nota contestando a imprensa. Afirma que o dito estudo "não trata, em nenhum outro momento, de qualquer informação sobre 'ranking de violência' em cidades brasileiras", o que é verdade.

O ranking acima listado, que a imprensa refere como sendo do UNODC, na verdade é a edição 2013 da ONG mexicana "Consejo Ciudadano para la Seguridad Pública y la Justicia Penal A.C" que, valendo-se dos mesmos dados que a ONU usa para elaborar o Estudo Global sobre Homicídios, anualmente lista as 50 cidades mais violentas do mundo.

Na edição de 2012 da referida ONG (dados de 2010) Belém aparecia como a 10ª mais violenta do mundo:

01. San Pedro Sula – Honduras
02. Juárez – México
03. Maceió (AL) – Brasil
04. Acapulco – México
05. Distrito Central – Honduras
06. Caracas – Venezuela
07. Torreón – México
08. Chihuahua – México
09. Durango – México
10. Belém (PA) – Brasil

Na edição 2013, publicada em janeiro de 2014, apesar de Belém ainda constar na vergonhosa posição de estar entre as 50 cidades mais violentas do mundo, a bem da verdade, caiu 13 posições e é hoje a 23ª cidade mais violenta do mundo e a 7ª mais violenta do Brasil, como se lê no primeiro quadro inserido na postagem.

7 comentários:

  1. É só Belém deputado Se unir com Ananindeua e Marituba, volta para o 13º ou menos até. Isso deve de tá errado, nós temu mesmo é só çençaçaão de insegurança. kkkk
    O Governador ajoelhou e rezou para a PM acabar com o motim, senão é bom nem pensar. As autoridades também têm família, rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. É verdade deputado. Acho que os nobres jornalistas estão comendo poeira em não checar as informações na fonte. Parabéns deputado pela dinâmica acadêmica. O exercício da pesquisa parece estar desaparecendo das redações. Já não se fazem mais jornalistas como antigamente. E, olha que antigamente não tinha a internet.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, caro amigo deputado estadual Parsifal Pontes.
    Seu espírito público deveria ser seguido pela classe política, uma vez que Vossa Excelência coloca com o destaque merecido, a verdade da notícia em tela, repondo aos cidadãos (ãs) de nosso querido Pará, a verdade dos fatos.
    Tenho a certeza que além de Vossa Excelência provar que está sempre atento aos acontecimentos relevantes dos nossos dias —és um homem público justo e criterioso, especialmente ao que se passa de bom e também de ruim dentro das fronteiras do nosso outrora "indomável" Pará.
    Com sua permissão, desconfio que a Nota que agora repercute nos meios de comunicação corrigindo a indução ao erro da afirmação que o Pará (ainda não é, mas será muito brevemente a continuar o desastre administrativo deste governo) é o Estado mais violento do país.
    A precisão irrefutável da Nota, foi redigida pela equipe ou, tenho quase certeza, do próprio punho do jovem, estudioso, brilhante e excepcional ser humano e jornalista Daniel Nardin Tavares, que vem a ser o atual Secretário de Estado de Comunicação deste medonho governo.
    Daniel há pouco tempo, exercia a assessoria de comunicação do Senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), com igual competência.
    Este jovem e talentoso profissional foi a melhor aquisição que este "des" governo acertou. Afora isso. Prefiro nem comentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Val-André, pela parte que me toca.

      Excluir
  4. Achei a charge de mau gosto, deputado, vulgar mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Alto lá, datavênia,a posição abaixou por conta da estrategia usada, menos delegacias, menos investigação, menos ocorrencias, a população nao registra mais as ocorrências , não adianta pois a policia está inoperante, quero registrar aqui que a população do bairro do Coqueiro, tapanã e tenoné , uma população estimada em mais 300.000 habitantes não POSSUI huma unica DELEGACIA, para se registra ocorrencia somos obrigado a ir ou Ycoaraci ou Marambaia, AQUI NO CONJ.MAGUARY para colocarem uma quarnição estão querendo que a população reforme o box que esta desativado reforma orçada em 12.000 parece piada se não fosse comico, desta forma fica facil a população não tem a onde se queixar,vamos lá DEP.PARSIFAL agora é a hora da mudança.
    FORA ESSA ELITE COMANDADA PELA ORM !!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente, concordo com o Val. O up-grade na equipe de comunicação dado pelo Jatene deu uma reviravolta. Parece que eles entendem do riscado.
    Estão conseguindo em pouco tempo, o que parece que a outra equipe (Ney Messias) não conseguiu em três anos.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.