24/03/2014

Alça Viária: balsa derruba um vão da ponte sobre o Rio Moju

p01

A falta de defensas nos pilares, que nenhuma das pontes da Alça Viária tem, e a imperícia do condutor de uma balsa que transportava dendê, causou uma tragédia material na ponte que atravessa o Rio Moju, na cidade de Moju.

A balsa atingiu uma das pilastras da ponte e o impacto seccionou cerca de 50 metros de um dos vãos, que veio abaixo, inutilizando-a.

p02

Está cortado, sine die, o acesso ao Sul do Pará pela Alça Viária, usando a ponte. Os motoristas que se dirigem à região terão obrigatoriamente que tomar a balsa do Arapari, em Belém.

Perícias serão realizadas para saber se o restante da ponte está comprometido. A recuperação, ou reconstrução total, não deverá levar menos de 24 meses.

O Governo do Estado, arrombada a porta, precisa urgentemente instalar defensas nos vãos centrais de todas as pontes da Alça Viária e, juntamente com a Capitania dos Portos, sinalizar a obrigatoriedade da passagem pelo vão defendido.

nit

A empresa responsável pela tragédia deve ser acionada e dela cobrada a devida indenização, se é que tem liquidez para ressarcir o enorme prejuízo causado ao Estado.

36 comentários:

  1. Carlos Tiba24/03/2014 14:25

    Deputado,
    Me parece que o problema foi na quarta ponte. A situada no Município de Moju ( são duas sobre o mesmo Rio Moju: terceira e quarta). Portanto os usuários poderão se valer do primeiro trecho da Alça, sem necessidade de acessar o porto do Arapari.
    Penso como o sr., é necessário, ao menos, por ser infinitamente mais em conta, fazer sinalização. Fico pensando o quanto o pobre Pará terá que gasta para consertar? Será que o Robson já conversou com os donos da Balsa? Tomara que seja a Valle, e que ao menos reconhça culpa concorrente, e ajude o Pará na reconstrução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, mesmo que pegue a balsa em Belém, será necessário a balsa do Moju, portanto é possível ir pela Alça até o Moju e pegar a balsa que vai ser colocada lá e que deve ser paga pela Agropalma proprietária da balsa que derrubou o trecho da ponte.

      Excluir
    2. Amigo, para de falar besteira...
      A Agropalma contratou um serviço de uma empresa de renome internacional de Manaus.

      Cuidado com o que você escreve...

      Excluir
    3. O que você escreve não é verdade.
      A Agropalma não é proprietária da balsa. A CNA, de Manaus, uma empresa de renome internacional, é dona da balsa e contratada a executar o serviço.

      Mais cuidado com o que escreve.
      Seja pelo menos honesto se não consegues ser responsável.

      Excluir
    4. Carlos,

      A Agropalma contratou um serviço de uma empresa séria, que tinha toda a documentação e knowhow do serviço que é executado há mais de 10 anos.
      Sinceramente, não consigo enxergar a concorrência de culpa.

      Isso é o mesmo que você postar uma carta nos correios, o carteiro bater o carro no momento da entrega e quererem te cobrar pelo acidente.

      Excluir
    5. Jordan,
      Guarde a sua querência de honestidade e responsabilidade para os seus pareceres e tente ser educado e menos grosso do que foi a balsa que derrubou o trecho da ponte.
      A informação de que a Agropalma é a proprietária da balsa é de "O Liberal". Todavia, para os efeitos de reparação de danos materiais, a responsabilidade civil é tanto da contratante quando da contratada.
      Ótimo que seja a CNA “de renome internacional”, a contratada: o Estado tem duas empresas “de renome internacional”, para cobrar os custos de reconstrução da ponte e das balsas que farão a travessia até que ela fique pronta, e a Agropalma e a CNA, conforme o contrato que assinaram, e o seguro que têm, que se ajustem.
      A sua comparação com o carteiro é um sofisma ridículo. Se o carteiro bater um carro quem paga o prejuízo é a empresa Correios, que contratou o carteiro e não quem mandou a carta.
      Se a CNA derrubou a ponte quem paga é a Agropalma que a contratou e não quem plantou o dendê. No caso, todavia, a culpa objetiva é solidária, desde que contratual.

      Excluir
  2. Já sei o que todos os Barbalhos e seus asseclas e os veículos do grupo RBA vão dizer : a culpa da ponte cair é do Jatene.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo anonimo puxa saco do Jatene,se foi o Jatene ou não ,eu não sei...O que eu sei é que ele tava metido na turminha do PSDB que fez essa estrada da alça viaria as pressas e cheia de buracos para inaugurar antes da eleição de 2002

      Excluir
    2. Meu caro não adianta contra fatos não há argumentos. As pontes foram construídas as pressas, no final do governo do Almir Gabriel para ajudar na campanha do primeiro governo do Jatene. Já foram gastos fortunas e até os dias de hoje o piso da Alça Viária ainda não está consolidada.Não há iluminação nas pontes e nem sinalizações náuticas noturnas. Qualquer engenheiro sabe da necessidade das defensas dos pilares, principalmente em rios navegáveis e com grande fluxo de embarcações. A Ponte Rio-Niterói foi construída há muitos anos e lá existem as defensas para proteger os pilares de sustentação contra possíveis abalroamentos. As defensas em construção de pontes com grandes vão são fundamentais na proteção. Eles construíram com necessidade eleitoral e caiu exatamente no governo deles.A pressa é a inimiga da perfeição. Foi uma obra de final de governo, apenas com a finalidade de enganar o eleitor. Dito e Feito.

      Excluir
    3. A ponte Rio-Niterói foi construida entre os governos Costa e Silva e Médici! Os militares não faziam (e não fazem até hoje) obras de 1,99

      Excluir
  3. Ao Anonimo das 15:19... a culpa é sempre do governo..qualquer governo...de qualquer cor.

    ResponderExcluir
  4. Qualquer comparação desta obra dos tucanos é mera coincidência com a obra do BRT do tucano Zenaldo.

    ResponderExcluir
  5. ora, se não existem defesas nas pilastras a culpa é de quem se não do governo , que construiu e agora gere a ponte ? Se existisse a correta sinalização e as defesas, provavelmente o acidente não ocorreria ou não seria tão danoso. A única explicação para isso não ser responsabilidade do governo é não existir mais governo,o que parece cada vez mais evidente ...

    ResponderExcluir
  6. Nesse blog ou no diário do Pará, por mais que Jatene não tenha culpa nenhuma, uma parcela, pelo menos, vai sempre ser debitada na conta dele. Ou você acham que o nobre deputado vai falar alguma vez bem do Jatene depois do rompimento? Isso parece separação litigiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A postagem relata um trágico episodio material, e não faz juízo algum de responsabilidades governamentais.

      Excluir
    2. Para, Maranhao, Roaima, Brasilia so tem ladrao na politica e quem nao gostar do comentario e ladrao tambem;... Se corrompe pelo seu povo. ou p se enrriquescer com o dinheiro publico asim desviado.

      Excluir
  7. Francisco Márcio24/03/2014 19:47

    Deputado, esse prazo " nao menor que 24 meses ", quem esta falando? É o Deputado CGC ( coordenador Geral da Campanha ) do HB, ou o engenheiro Parsifal ( Vossa Excelência, exerceu a profissão? )?
    A silhueta do quanto pior melhor, nao lhe assenta bem, Excelência. Torçamos para que independente de quem esteja falando, esteja equivocado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pessoa é a mesma, independentemente de ser entregador de santinho, coordenador ou engenheiro: não se dividem personalidades por funções.
      Nunca exerci a profissão de engenheiro, mas não é necessário ter exercido, ou até mesmo ser, para saber que entre uma perícia, um processo licitatório, que no caso deverá ser uma concorrência pública, o início de uma obra e a conclusão dela, para a magnitude que se exige no caso - trata-se de uma laje central, de vão considerável, com ferragens diferenciadas que foram seccionadas e reparos nas estruturas dos outros vãos, que pelas fotografias que vi sofreram avarias – o prazo é razoável e poderá ser reduzido em caso de apenas ser necessária a reconstrução do vão perdido.
      O governo, se achar que deve, e isso é uma decisão política e não técnica, poderá encurtar o prazo se dispensar a licitação e exigir da empresa jornada de 24 horas sem interrupções, o que acarretará em aumento de custos por ser necessário contratação de pessoal dobrado e horas extras noturnas. Mesmo assim, não creio que consiga entregar ao tráfego em menos de 12 meses.
      Não a tez do “quanto pior melhor”. O caso é fortuito e independe da vontade do governo ou do governador. Não há na postagem qualquer tipo de juízo a respeito. Não era o governador Simão Jatene o timoneiro da balsa que abalroou a ponte.

      Excluir
    2. Parsifal, tu ainda não notaste que esse Francisco Marcio é pseudônimo de um DAS do Jatene? Acho até que ele é o Orly.

      Excluir
    3. Eu nada tenho contra quem tem DAS do Jatene. Também nada tenho contra o Orly, que sempre que veio aqui fez questão de se identificar.

      Excluir
    4. Na China eles constroem pontes do tamanho da Ponte General Costa e Silva em duas semanas (claro que foi uma ironia, mas eles fazem em 2 anos)

      Excluir
  8. Francisco Márcio24/03/2014 22:11

    É verdade, nao se define personalidade por função. Desde que a personalidade nao tenha interesse na causa. Sendo provocado, Vossa Excelência, com a sapiência que lhe é peculiar - quando do seu interesse - expôs de forma clara e já até enxergou a possibilidade de redução de 12 meses.
    Dou-me por satisfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. A personalidade é uma só, tanto faz se tenha ou não interesse. A conduta é que pode mudar conforme o interesse e isso é uma característica de todos os seres vivos: abelha só pousa em flor que tem pólen porque é do seu interesse levar a mercadoria à colmeia.
      O prazo de 24 meses é o normal. Etapas podem ser queimadas, mas queimar etapas podem causar aborrecimentos futuros.

      Excluir
  9. Parsifal, se para construir uma simples passarela, aqui na Julio Cesar, o Jatene, leva 04 anos, imagine uma ponte de mojú. O cara é muito preguiçoso.

    ResponderExcluir
  10. Ponte bem feita é a ponte do Barbalhão...A ponte de outeiro,pois todo ano vem uma balsa albarroa nela e ela continua firme e forte...hehehehe,essa sim é ponte.

    ResponderExcluir
  11. Não sou engenheiro mas sei que grandes obras como pontes, viadutos, túneis, etc., são conhecidas como "Obras de Arte da Engenharia", não sei se a ponte que liga Belém ao Outeiro assim é considerada ou se tem as tais defesas, mas de uma coisa tenho certeza ela teve a sua solidez comprovada, pois,foi construída há bastante tempo e já sofreu diversos abalroamentos por balsas que por lá trafegam e até hoje permanece firme.

    ResponderExcluir
  12. Bem se o tratamento for igual ao dado na reforma da ponte sobre o rio Mojuzinho, próximo de Breu Branco, vai demorar. A tal ponte demorou mais de dois anos para ser entregue e só foi porque a ponte provisória foi encoberta pela água, e olha que não era construção de uma ponte mas somente uma reforma!!!!!!!!

    André Leal - Tucuruí

    ResponderExcluir
  13. Gente! as pessoas sempre diz q a culpa é dos governos seja petista, tucano, pmdb , todos sempre procurando culpados, no lugar de atacar os governos vamos fazer a nossa parte e deixar de procurar culpados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo jeito da amiga, mesmo que o governo gaste os nossos impostos de maneira desastrosa, vamos bem bonzinhos ajudar a reerguer a ponte e esquecer os culpados. Pelo amor de Deus, me compre um bode?

      Excluir
  14. Vasconcelos25/03/2014 11:09

    É lamentável vermos um blog a serviço de uma instituição política - PMDB - que faliu o Pará. Mas, democracia é isso!

    ResponderExcluir
  15. Este acidente, apesar de ser na água, caiu do céu para o Jatene. Agora é só fazer uma "emergencial" com dispensa de licitação e o que iria custar 10 vai custar 10.000, com troco assegurado para a campanha.

    ResponderExcluir
  16. Em 1979 participei de projeto e plano de execução de duas pontes, uma sobre o Rio Acará e, outra sobre o Rio Moju, dos "acessos viários ao novo porto do Pará e distrito industrial" (Patrocinador - Secretaria de Planejamento da Presidência da República"; executor: Ministério dos Transportes, Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes - GEIPOT). Eram previstas defensas nos projetos de ambas as pontes. O que será que aconteceu para um projeto mais moderno não contemplar aspecto tão básico?

    ResponderExcluir
  17. Se Jatene der conta de iniciar pelo menos a restauraçao da ponte, já será um grande feito para ele, tamanha a sua preguiça...

    ResponderExcluir
  18. A sua informação sobre as defensas também são equivocadas, meu nobre!
    http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=97697

    Em tempo: sou mineiro, moro no Pará há 6 anos, não sou partidário de ninguém... aliás, nem votar aqui, eu não voto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é problema algum você ser partidário de quem desejar ser: vivemos em uma democracia e escolher um partido ou ser apoiador de um candidato é um direito democrático natural. Você não precisa ser apartidário para falar a verdade eu não preciso mentir por ser partidário.
      As informações da Agência Pará são falsas: as pontes estão sem defensas há mais de um ano. As últimas defensas que haviam na ponte maior, a primeira, foram retiradas para recuperação e nunca foram recolocadas. A informação de que estavam sendo recuperadas é mentirosa, pois há mais de seis meses estavam ancoradas à esmo na beira do rio que as pontes atravessam.
      O Estado, com o acidente, correu a tomar as providências que deveriam ter sido tomadas, pois as pontes não poderiam ficar sem defensas nem um dia.
      A informação sobre a iluminação também é mentirosa. Passei três dias antes do acidente e a ponte estava às escuras. Mas isso não é desídia do Estado: sempre que se recupera a iluminação ladrões roubam a fiação.
      Vou imprimir a nota da AP e desmenti-la da tribuna da Alepa, pois o Estado não pode dar informações falsas.

      Excluir
  19. o partidario ou politico so e honesto antes de assumir um cago depois ele some e nunca assume que de fato e ladrao e ainda acha, quem o defenda dinheiro compra policia,prostituta,palhaço,piao,politico,pena pois voce rasta uma beirada de algo.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.