23/02/2014

De como uma mulher encarcerada comandou a oposição na Ucrânia e derrubou o presidente

revo

A caminho de Moscou, desde Praga, passamos por Kiev, a capital da Ucrânia. Na cidade chamou-me atenção um outdoor com uma bela mulher: um sorriso tímido e uma trança, em forma de travessa, lhe emolduravam a face.

Não entendi patavina do que estava escrito no outdoor. Achei que se tratava de um comercial.

Em um jornal, grafado em inglês, em Moscou, vi o mesmo rosto e li que se tratava de Yulia Timochenko, executiva do ramo de petróleo e gás, pasto no qual fez fortuna grande parte dos bilionários das repúblicas surgidas depois da falência do bloco soviético, candidata ao Rada, o parlamento ucraniano.

Timochenko fez-se premiê, mas em 2010, Vladimir Putin, então premiê da Rússia, vendo-lhe a aproximação com a União Europeia, investiu para derrota-la, e logrou êxito com a eleição de Viktor Yanukovych, que serviria à política externa russa, contra a expansão da União Europeia à Leste.

Shot005

Orientado por Moscou, Yanukovych decidiu prevenir-se, almoçando Timochenko antes que ela voltasse para jantá-lo: processou-a por abuso de poder político nas eleições e por fraude em um contrato de fornecimento de petróleo com os EUA, condenando-a a sete anos de prisão.

Shot007

Presa, Timochenko continuou comandando a oposição, cuja percussão era a subserviência de Kiev à Moscou.

> As escaramuças

Em novembro de 2013, o presidente Yanukovych rejeitou um acordo comercial com a União Europeia, acatando, ao mesmo tempo, similar protocolo com a Rússia.

A oposição abespinhou-se e convocou manifestações que culminaram com a tomada do ponto central da cidade, a Praça da Independência.

Shot008

Yanukovych determinou a desocupação da praça, aprovou leis que restringiam os protestos e mandou prender os líderes do movimento, o que foi o suficiente para as manifestações tomarem tento. (Já viram coisa igual por aqui?)

Desde então, a Praça da Independência se tornou palco de guerra e a oposição, abonada pela fortuna da cativa Timochenko, passou a alimentar a resistência.

> A queda de Yanukovych

Os entreveros asseveram-se nos últimos 5 dias, com a conta de quase 100 mortos no colo da polícia. As mortes potencializaram o movimento que exigia não mais apenas a revogação do ato que rejeitou o acordo com a União Europeia, mas a renúncia de Yanukovych.

Shot009

Ontem (22), a revolução, sob a complacência do Exército, tomou o Palácio Presidencial e defenestrou Yanukovych. O Parlamento, sem forças para remar contra a maré, decretou a destituição de Yanukovyc e convocou eleições para maio.

Yanukovyc tentou fugir para Moscou, mas foi interceptado na fronteira, de onde tomou rumo desconhecido, deixando a grita de ter sido vítima de golpe de Estado.

> A libertação de Tymoshenko

O segundo ato do Parlamento revelou a face oculta das manifestações: um Decreto Legislativo anulou a condenação de Yulia Tymoshenko e restituiu-lhe a elegibilidade.

Liberta, Yulia Tymoshenko, em uma cadeira de rodas e sem o viço da beleza que portava antes de ser encarcerada, discursou para uma multidão na Praça da Independência que, em cinzas, aplaudiu-a fervorosamente: é Tymoshenko, e parte considerável da oligarquia pós soviética ucraniana, que também financiou a turba, quem dá as cartas, hoje, em Kiek.

Shot011

Golpe de Estado ou revolução (ainda não tenho elementos suficientes para emitir juízo), o fato é que os ucranianos ainda não mediram a extensão da confusão na qual estão no meio: a estratégica disputa de poder entre a Rússia e o Ocidente, com repercussões na correlação de forças de Moscou com Pequim e os EUA.

Wladimir Putin não é homem de deixar por isso mesmo, e deve estar amargamente arrependido de, ao invés de armar o cárcere de Tymoshenko, não ter, como nos velhos tempos, simplesmente providenciado um acidente automobilístico fatal para ela.

10 comentários:

  1. Não existe golpe de Estado quando o povo é a favor do ocorrido! Assim foi em 64 aqui no Brasil! Temos que levantar as mãos pros céus e agradecer aos militares, que impediram que o Brasil se tornasse uma nação Bolivariana, o que esta acontecendo agora!

    ResponderExcluir
  2. Éguaaa postagem as 00:22:00.... estas batendo cabeça hem,pensando em como eleger mas um poste rsrsrs(ou tendo insonia mesmo rsrs). Helder Barbalho tera uma pessima votação na capital e região metropolitana e nordeste,pode esperar. Eu,um Petista,tô achando que o governo deste superprefeito jatene,ta bom pra mim. Moro no bairro do marco e estou vendo as coisas acontecerem(muito alem dos assaltos). prolongamento da primeiro de dezembro;duplicação da perimetral; ginasio da uepa reformado(la eu corro e nado);indo um pouco mais o rumo do mangueirão o prolongamento da independencia e o ginasio ao lado do mangueirão; duplicação da rodovia do tapanã e da rodovia da yamada e etc. Bem,eu to vendo isso. sera que eu sou doido de querer dar um mandato a um cara que fez um péssimo de mandato como o Helder(Barbalho que se diga em alto e bom som,pra ninguem esquecer de quem esta coisa descende) fez em anannindeu(tenho um irmão que mora lá,e foi so lamentações durante o mandato dele la). sonha Parsifal,sonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não durmo antes das 2 da manhã desde que estava no ventre materno. Ou você, ou o Ibope, ou o PMDB estão enganados, pois na pesquisa feita pelo Ibope no final de 2013, o governador Jatene está mal avaliado na região metropolitana, e pesquisas de posse do PMDB, feitas em janeiro (inclusive uma feita pelo prefeito de Belém) o governador Jatene empata com o Helder na região metropolitana (quando se coloca o Edmilson como candidato a governador ele sai na frente nessa região).
      Em Ananindeua, novamente, Helder vence em todos os cenários.
      Mas, a propósito, onde está na postagem alguma coisa que refira à eleição no Pará? Eu estou na Ucrânia!!! Eu nada tenho contra sonhos, mas será que não é você que está sonhando?

      Excluir
    2. Égua...por isso que tens essa mente de ...qtos gigabites(KVA; Amperes; e etc) mesmo.... 150 né... lembras de tudo dsd o ventre...rs egua da memoria. Mas voltando ao mundo verdadeiro... sinceramente,qdo o jatene inaugurar umas 3 destas obras eleitoreiras,diga-se de passagem, a Pipa dele vai empinar... e ai quero ver essas pesquisas ai,a que te referes, se manterem.. Esse povinho daqui gosta disso: de obra em cima do lance e propaganda(coisa que Ana julia não fez e se fu..). Mas te preocupa não,pois se depender de mim,nem ele o Barbalhinho e nem o paulo rocha se elegem. Ja te disse que o PMDB é pior do que o PSDB e é melhor perder pro Jatene do que se eleger com Helder,o Barbalho.

      Excluir
    3. Eu continuo na Ucrânia e você insiste em trazer o assunto para o Pará e para eleição, Jatene, Helder, obras, Ana Julia, Paulo Rocha, PMDB, PSDB...
      Quem será que está preocupado aqui?

      Excluir
  3. Vidas..sangue..medo...infelicidade...destruição...quando será que nos tornaremos bons?

    ResponderExcluir
  4. Amigo que aquela Onça merece;
    Peemedebista denuncia petista na Câmara Federal
    A médica cubana Ramona Rodriguez, que abandonou o município de Pacajá(PA), onde atuava no programa Mais Médicos, pode acabar sendo o pivô de uma briga entre o PT e o PMDB parauaras. É que a deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), que é Procuradora da Mulher da Câmara Federal, encaminhou à Corregedoria da Casa denúncia do líder do DEM, Mendonça Filho (PE), contra o deputado Zé Geraldo (PT-PA), acusado de ter ofendido a honra da cubana, em discurso no último dia 6. No Plenário da Câmara, Zé Geraldo afirmou que "essa médica foi vista várias vezes totalmente embriagada, a ponto de que nem seus colegas cubanos querem ela mais lá". O DEM também acusa o petista de ter criticado a cubana por “querer se deitar com homens” mas esse trecho não consta no registro taquigráfico do discurso de Zé Geraldo.

    Na denúncia, o DEM acusa Zé Geraldo com base nas diretrizes da Declaração sobre a Eliminação da Violência contra a Mulher, aprovada pela ONU em 1993. Na definição do manifesto, um ato configura violência baseada no gênero quando “é dirigido contra uma mulher, porque é mulher, ou quando atos afetam as mulheres de forma desproporcional”. “O deputado desferiu mentiras sobre Dra. Ramona a partir de uma nota de um conselho de saúde de Pacajá. Essa atitude foi discriminatória e uma agressão a seus direitos e condição de mulher”, afirmou Mendonça Filho, endossado por Elcione Barbalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A denúncia não foi feita, e nem endossada, pela deputada Elcione e sim pelo deputado do DEM Mendonça Filho.
      A deputada Elcione é a procuradora da mulher na Câmara Federal e a sua obrigação regimental ao receber denúncias referidas à mulher é encaminhar à Corregedoria para apurar, ou arquivar. Não há a menor rusga entre o deputado Zé Geraldo e a deputada Elcione.

      Excluir
    2. Mas o que ela fez pra ajudar o cumpanheiru? naaaaaaaaaada. que ele se afogue la mesmo. não serve mesmo pra nada.

      Excluir
  5. Não sei avaliar qual das duas situações é a pior, o porradal na Ucrânia ou o da porcaria da velox aqui de casa. Eita companhia sem vergonha!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.