24/09/2013

A violência nossa de cada dia

Shot002

Que tal reduzirmos a maioridade penal para a exata hora em que o espermatozoide fecundar o ovócito secundário, popularmente chamado de óvulo? Assim, quem sabe, por um mero capricho da imponderabilidade, a delinquência juvenil desapareceria, pois o embrião já seria concebido morrendo de medo de ir preso.

Ou será que seria menos imponderável investir em políticas públicas de segurança, educação e saúde, provendo ao ser humano condições básicas de cidadania, para que nem os embriões e nem nós não fossemos obrigados a andar pelas ruas com medo de tudo, e a violência se resumisse aos casos fortuitos e não a meio de vida?   

8 comentários:

  1. TABELA DO RABO DE CAVALO OU CRAQUE NO CRIME

    Meu caro Parsifal

    O problema não é diminuir a idade para punição e sim reconhecer que aqui parece que a crime violento compensa.

    Um mapa da violência elaborado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, mostrando que entre 2000 e 2010 O Pará registrou um crescimento de 307,2% em violência conseguindo assumir o primeiro lugar no Brasil!

    TABELA ELABORADA DO ESTUDO DE VIOLÊNCIA FEITO PELO MINISTERIO DA JUSTIÇA

    UF 2000 2010 VARIAÇÃO %
    PARÁ 8,5 34,6 307,2
    MARANHÃO 3,6 13,8 282,2
    ALAGOAS 17,5 55,3 215,2
    BAIHA 11,7 34,4 195
    PARAIBA 11,5 32,8 184,2
    CEARÁ 9,4 25 166,9
    R. G DO NORTE 9,8 20,6 110,1
    AMAZONAS 9,4 18,9 102,6
    PARANÁ 13,6 26,4 94,8
    AMAPÁ 8,6 15,8 84,2
    PIAUI 4,7 8 70
    MINAS GERAIS 8,9 13,4 49,9
    SANTA CATARINA 5,9 8,5 44,5
    GOIAIS 15,6 22 41
    SERGIPE 17,2 23 33,8
    ESPIRITO SANTO 33,3 39,4 18,5
    ACRE 8,8 10 13,2
    RONDONIA 22 23,6 7,3
    R. G. DO SUL 16,3 16,29 -0,3
    TOCANTIS 10,6 10,5 -1,4
    DISTRITO FEDERAL 28,8 25,3 -12,1
    MATO GROSSO 29,8 19,9 -33,4
    PERNAMBUCO 46,6 30,3 -35
    M. GROSO DO SUL 23,9 14,8 -37,9
    RIO DE JANEIRO 47 26,4 -43,8
    RORAIMA 16 7,1 -55,7
    SÃO PAULO 28,7 9,3 -67,5

    O estudo é feito por década assim só saberíamos a atuação do governador , seu secretario e sua política de segurança em 2020, mas que não mudou agora para o estado deve muito bem avaliar qual vai ser!

    Governador, gente linha de frente na força policia do Pará tem de sobra, seja ela civil ou militar contudo para elas falta espaço !

    Antes um paraense dizia para outro seu filho é dos craque ,hoje diz seu filho é do crack !

    ((((MCB))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já publiquei isso aqui e pronunciei na Alepa, duranta uma audiência de Segurança Pública. O Delegado do Interior (o secretário não foi), disse que só mostramos um lado e ele mostrou o outro: o "investimento" em veículos alugados à Delta, e reformas em delegacias.

      Excluir
  2. Parsifal, em Outeiro o CRAS, que deveria atender as famílias em situação de vulnerabilidade social e as crianças e adolescentes em situações de risco tem apenas uma psicologa na equipe. Logo, onde tem CRAS de menos, certamente, haverá PM de mais.

    ResponderExcluir
  3. Parsifal. Acho que estaria correto que o nosso código penal fosse aplicado também aos menores, a partir de 14 anos. Isso não implica dizer que todos os menores serão punidos ou que irão para a cadeia, mas aqueles que cometem crimes como assalto, roubos, estupros, assassinatos e latrocínios, inclusive com requintes de crueldade como o ocorrido com a dentista que foi queimada viva, ai aplica-se a lei. bandido é bandido não importa a idade.
    Devemos sim proteger os nossos jovens, dar-lhes oportunidades de educação e trabalho, contudo devemos protegê-los também daqueles que escolhem outros caminhos, ou será que a morte do estudante Victor Hugo Deppman por um menor que completaria a maior idade em poucos dias pode ser considerada uma simples infração. Acho que as famílias que perdem seus entes queridos para o crimes praticados por "menores" e mesmo as demais famílias que vivem no mundo real onde não contam com carros blindados, seguranças armados, ou mesmo as garantias de segurança do Estado é isso que elas temem: A liberdade que esses menores têm pra praticar qualquer tipo de crime.
    A realidade é que o crime praticados por esses jovens os coloca na condição de criminosos intocáveis.
    É preciso que lutemos pela mudança da lei. As punições tem que ser na mesma medida que o crime praticado. Não é justo que um país inteiro vire refém de um grupo, em nome da política de determinados partidos, temerosos em criar condições reais para o fim dessa carnificina.

    ResponderExcluir
  4. Lentamente o jornal começa a vislumbrar o desgoverno instalado no Pará.Segurança não se faz apenas com carros alugados e muita pantomima.O governo da publicidade na mídia é bem diferente da realidade do dia a dia.

    ResponderExcluir
  5. as politicas publicas são necessárias mas tem que diminuir a maioridade penal!! está tudo fora do controle é necessário medidas mais drásticas!!

    ResponderExcluir
  6. Por falar em políticas públicas do desgoverno estadual, hoje pela manhã, quase "quebra o pau" no Laboratório Paulo Azevedo, na Braz de Aguiar. O barraco foi armado por várias senhoras que já tinham vindo do Hospital Saúde da Mulher.Claro que nada foi contra o laboratório. Mas desandaram a esculhambar o governador. Motivo, várias entidades particulares de saúde, não estavam aceitando atendimento aos cartões do Pas - Plano de Assistência à Saúde, do IASEP - Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Pará. É, esse governador não gosta de políticas públicas, gosta mesmo é de pescar e cantar. Vai cantar em outra freguesia.

    ResponderExcluir
  7. O problema, é que a gestão da Segup,é muito incompetente.na verdade, luiz Delta fernandes,é uma farsa.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.