26/08/2013

Contra dor de barriga, governador do Rio de Janeiro receita propaganda

Shot004

A primeira reunião da presidente Dilma quando o “Levante de Junho” deflagrou, não foi com o Conselho da Presidência da República, mas com João Santana, o marqueteiro do Planalto.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), atarantado pelos soluços do levante, que até agora, destarte os seu patéticos apelos, não o deixaram em paz, deveria cortar custos e investir em melhorias de serviços para tentar jogar água fria na fervura.

> Gastos dobrados

Mas como a Matrix é no Brasil, Sergio Cabral fez outra opção para enfrentar a apoquentação da rapaziada: mais do que dobrou os gastos com propaganda a partir de junho.

> Transparência

Shot005

Pelo menos o peemedebista Cabral tem uma vantagem sobre o tucano Simão Jatene: aquele não esconde os gastos com publicidade.

Enquanto não se tem ideia de quanto o Pará despendeu com propaganda desde o início do governo (eu já perguntei, oficialmente, e fui solenemente ignorado), o portal do governo carioca informa que, desde 2007, Cabral despendeu R$ 880 milhões com a dotação.

Nessa pisada, ao final do seus 8 anos de governo, Cabral terá gastado aproximados R$ 1,1 bilhão em propaganda.

Façam aí aquele exercício do que poderia ser feito com esse dinheiro, se investido em obras ou serviços.

3 comentários:

  1. A propaganda das estradas demontra isso. No entanto quando rodamos pelo querido Para, constatamos que nossas estradas sofrem de buraculose cronica. E tome propaganda, e tome buraculose. Uma vergonha.

    ResponderExcluir
  2. Deputado,
    Isso deve ser a "Gestão pelo Resultado", para não dizer Disgestão pelo Desgoverno que os paraenses vivem a cada dia. Esse é o Pará que eles fazem e juntos vão se dá bem mais.

    ResponderExcluir
  3. O grupo oficial de comunicação dos tucanos, desta maneira continua faturando alto para divulgar as mentiras e lorotas do governo estadual. Não demora muito vai com esta grana toda, comprar mais um jatinho, para a tucanada viajar.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.