05/05/2011

Aprovado o plebiscito sobre o desmembramento do Pará

ple

O Plenário da Câmara Federal aprovou há pouco a convocação de plebiscito para decidir sobre a criação do estado de Carajás e do estado de Tapajós, ambos a serem desmembrados do Pará.

Após a publicação do decreto legislativo que autoriza o plebiscito, este deverá ser realizada no prazo de seis meses.

28 comentários:

  1. Sou de Belém e conheço a realidade dessas regiões, sem duvida o maior projeto de desenvolvimento p essas regiões é a criação de novos Estados, a sucessão democrática proporcionada pelas eleições já comprovou q nenhum projeto político q governe de Belém será capaz de integrar esse estado, sem dúvida é hora de dividir

    ResponderExcluir
  2. Graças a Deus,Carajás e Tapajós serão criados, e ficaremos livres dos Vampiros da ALEPA. Amém.

    ResponderExcluir
  3. André Magnago (JPMDB)05/05/2011 14:04

    Meu pai foi assassinado em Marabá vitima da violencia e falta de segurança por parte do estado sou a Favor da divisão !!!! Parabens ao futuro estado de CaraJÁs !!!

    ResponderExcluir
  4. O problema do Pará é a incompetência administrativa e não dimensões ou distâncias.
    Governa-se o mundo hoje com um celular.
    Seremos três estados pobres.
    Isto é uma briga por cargos, poderes e domínios de regiões e jamais porque será melhor para o povo.
    Sou de São Graldo do Araguaia e solidário com aqueles que não querem a divisão do estado.
    Prof. Juvenal

    ResponderExcluir
  5. E agora José? Quando iniciaremos uma campanha firme pelo SIM? Outra coisa o Pará inteiro será ouvido ou apenas as regiões separatistas?

    ResponderExcluir
  6. Nem a pau... Juvenal!Esse estado tem que ser dividido sim.

    ResponderExcluir
  7. Sou a favor só do Estado do Tapajós, o resto é politicalha.

    ResponderExcluir
  8. E ai seu juvena! ou vc é o juvenil? quer tudo junto pra que a ALEPA tenha mais recurso para roubar.
    A final essa é uma hora de mostrar que existe recurso para a implantaçao de uma nova ALEPA,pois esta sobrando dinheiro naquele poder,vamos criar uma grande corrente em prol da divisao do estado, nossa regiao so tem ha ganhar, mais desenvolvimento, mais qualidade de vida e mais emprego. Espero que o povo tenha inteligencia para decidir o que é melhor.
    viva O PARA,CARAJAS E TOCANTINS !!!!!
    SOU DE BELEM MA

    ResponderExcluir
  9. De que adianta separar territorialmente?
    Os corruptos e os incompetentes vão pros 3 estados.
    O que precisamos separar é o Estado dos incompetentes e maus gestores isso sim!

    ResponderExcluir
  10. Melhor só do que mal acompanhado.Adeus Jatene,Alepa,Mário Couto,Jader Barbalho e muitos outros sanguessugas.

    ResponderExcluir
  11. Geograficamente ja estamos divididos, é so telefonar, Marabá è 094 o tapajos é 093 sem falar nos, departamentos de estado a que em Marabá. Fui parado numa blitez do Detram o Guarda do nada ja foi me multamdo, tentei me justificar, ouvi como resposta: Nâo sou daki, sou do Detram de Belém.

    ResponderExcluir
  12. Esse tal plebiscito não vai passar e é muito usado para os políticos espertalhões que usam politicamente o fato para se materem no poder durante vários anos na Câmara Federal, e o político é um tal GQ de um tal PDT.

    ResponderExcluir
  13. Agora ferrou-se. Mais um Piauí da vida vem aí.
    Se dividir, pelo menos o PARÁ tirará o seu nome do CADERNO POLICIAL dos jornais brasileiros e das matérias ENSANGUENTADAS da Tv Globo.

    ResponderExcluir
  14. Dia histórico para o oeste e sul do Pará... hoje foi aprovado o projeto que convoca o plebiscito para a criação dos estados do Tapajós e do Carajás. É o início de uma caminhada em busca de um futuro mais promissor para a nossa região. Precisamos de união, engajamento e fé para criarmos nosso estado do Tapajós e corrigirmos anos de abandono social e econômico. Sim ao tapajós e ao Carajás. Chuuuupa que é de uva.

    ResponderExcluir
  15. Nunca foi no Piauí, mas um sem cultura... falando besteira...o Estado do Carajás deve e vai ser o mais novo Estado brasileiro...e nós estamos aquí pra lutar por isso.
    Professor

    ResponderExcluir
  16. Quem é contra não conhece a região onde será o estado do TAPAJÓS, o abandono total que vivemos, onde a maioria das cidades não tem saneamento básico e onde tem é de péssima qualidade, a saúde é doente, a educação reprovada e etc...

    ResponderExcluir
  17. A criação dos novos Estados só irá dinamizar a economia regional, basta ver o exemplo de onde novos Estados foram criados. Por isso sou favorável.
    Fidelis Paixão - advogado

    ResponderExcluir
  18. Essa divisão do estado só interessa aos politicos,o estado do Tapajos será realmenta mas um Piauí

    ResponderExcluir
  19. Em vez de uma ALEPA, teremos três ALEPAS.
    Seremos trê estados pobres que só servirão de gozação para "sulistas".
    Sou contra a divisão do Pará, por amar muito esta terra e não querer estes políticos metendo a mão no "dinheiro a fundo perdido" dstinados aos novos estados.
    Prof. Juvenal

    ResponderExcluir
  20. Sou favorável à criação do Estado do Tapajós. Vejo a região Oeste como um filho que cresceu e clama por sua autonomia. Mas sou contra o Estado de Carajás, porque este separatismo é fruto da ganância de forasteiros que migraram pro Pará e aqui construíram fortunas e agora querem levar nosso maior tesouro, a Província Mineral de Carajás. AO TAPAJÓS SIM, POIS É JUSTO! A CARAJÁS, JAMAIS! CARAJÁS É DO PARÁ. E VAMOS A LUTA.

    ResponderExcluir
  21. Sou Paraense da Gema e totalmente a favor da criaçao de novos Estados: Estados imensos é sinonimo de miseria, Vamos tomar como exemplo a criçao do estado de Tocantins que deu certissimo. Parabens aos criadores do Projeto.

    ResponderExcluir
  22. Só os incultos e inguinorantes sao contra, se espelhem no estado do tocantins, a linda capital de Palmas,divisao do Pará significa PROGRESSO seus idiotas, os políticos do Pará sao contra porque só pensam em arrecadar impostos das minas do sul do Pará para encherem seus bolsos.Dividir o Pará significa mais emprego mas tudo.

    ResponderExcluir
  23. Deputado, gostaria que publicasse o manifesto lançado pela Juventude do PSDB Belém contra a divisão do Estado:

    MANIFESTO DA JUVENTUDE DO PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA DO MUNICÍPIO DE BELÉM CONTRA A DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ

    A sociedade paraense.
    As primeiras propostas de divisão do Pará datam do início do século XIX. Naquele tempo, tentou-se criar a província do Tapajós para evitar conflitos entre as províncias do Amazonas e do Grão-Pará. Desde então, foram apresentadas novas propostas ao longo dos anos que se seguiram, sem nunca conseguir sucesso.
    No entanto, após o descobrimento do potencial econômico da Amazônia pelo governo central, principalmente a partir da década de 1960, o ímpeto separatista recrudesceu fortemente. Seja através da atuação de lideranças legítimas e políticos comprometidos com seu povo, seja através de oportunistas que só buscam poder pessoal, o movimento conseguiu ganhar certa notoriedade e apelo popular em algumas regiões do Estado.
    Em conseqüência disso, foi introduzida no seio da sociedade paraense a discussão sobre a divisão do Estado. Assim, tendo em vista a aprovação no dia de ontem de um plebiscito sobre a questão, e o necessário aprofundamento do debate, a Juventude do Partido da Social Democracia Brasileira do município de Belém (JPSDB Belém) decidiu manifestar publicamente seu posicionamento contrário à divisão do Estado do Pará.
    Neste sentido, a JPSDB Belém entende como legítimos os anseios dos nossos irmãos das regiões do Tapajós e Carajás. Contudo, compreende também que este sentimento de abandono, de ausência do Estado, alegado pelo movimento separatista não é exclusividade dessas regiões, mas da Amazônia como um todo.
    Não é só o Tapajós e o Carajás que se ressentem de maior atenção do poder público, mas o Pará, o Amazonas, o Amapá etc. Deve-se ter em mente que o governo federal não tem, historicamente, considerado as aspirações, reconhecido a importância, nem dispensado o tratamento que a região amazônica.
    Assim, a JPSDB Belém compreende que, ao invés de dividir o Estado e cada área buscar trilhar seu desenvolvimento sozinha, o Pará deve, sim!, se manter unido e coeso, e buscar o apoio dos outros Estados da região para que se lute pelo desenvolvimento que a Amazônia precisa.
    Ainda, cabe argumentar que a divisão do Pará vai separar os diferentes pólos econômicos do Estado. Ora, a luta deve ser travada em sentido contrário: há que se integrar os pólos de desenvolvimento (mineração, pecuária, agricultura etc.) de forma a dinamizar a economia do Estado.
    De outra forma, a divisão do Estado carece de estudos mais aprofundados sobre as conseqüências da separação. Afinal, quais serão os custos da divisão do Estado? Quais os impactos econômicos, sociais, financeiros, tributários em cada uma das regiões atingidas? Não se sabe!
    Por isso, a JPSDB Belém crê que a divisão do Estado é um salto no escuro, pois não há certeza nenhuma se ela vai realmente constituir-se no vetor de desenvolvimento esperado pelos seus defensores.
    Rejeitamos o debate rasteiro que visa tão somente a demonizar os combatentes e a criar a idéia de que há mocinhos e bandidos. Entendemos como legítima o movimento separatista, mas não nos furtaremos de participar do debate, sempre de forma leal e construtiva.
    Assim, acreditando que somente a união de todos os paraenses, de nascimento e por adoção, sob a mesma bandeira, é que vamos conseguir o desenvolvimento que o Pará quer e precisa, a JPSDB Belém anuncia que caminhará a favor de um Pará forte, coeso e unido.
    Nós, jovens tucanos de Belém, comprometemo-nos, então, a ir a cada casa, a cada lar de nossa cidade e fazer chegar essa mensagem, esse sentimento que há de tomar conta de todos os cidadãos paraenses.


    Belém, 06 de maio de 2011.


    Blog da JPSDB: http://jpsdb-pa.blogspot.com/


    Abs.


    Emerson Luz
    Presidente da JPSDB Belém

    ResponderExcluir
  24. Se realmente o Pará for dividido, estará se cometendo o maior estupro que um povo pode sofrer. E será uma vitória dos tucanos, porque, nos novos Estados, se concentram as maiores riquezas minerais do planeta. Daniel Dantas está por detrás disso tudo, pois há muito vem sendo cantada a pedra. Ele não quer gado, quer as riquezas do sub-solo. Jatene faz cara de paisagem . Ele também é conivente, pois é tucano. Os idealizadores doa divisão são pessoas que nem paraenses são, tipo Giovanni Queiroz, que tem muita terra no Sul do Pará, que é Goiano. O deputado entreguista Miriquinho, tentou até modificar a Constituição para que o plebiscito seja apenas nas áreas a serem divididas.O resto do povo não poderá votar. Não sei se conseguiu. Penso que, depois de vermos como ficará o nosso Estado se for realmente dividido, os nossos Deputados Federais comprometidos realmente coma causa pública, deverão gritar contra isso. Acho que também chegou a hora de irmos para ás ruas e protestar contra este estupro que está prestes a ser consumado, pela ganância de muitos e pela falta de compromisso de alguns de nossos representantes do Senado, da Câmara Federal e Estadual. Os caras pintadas devem se manifestar. Gostaria que este comentário fosse postado, por favor

    ResponderExcluir
  25. patrici3bpm@gmail.com06/05/2011 18:25

    ao amigo anonimo das 14:49,fique sabendo que este é o maior projeto de desenvolvimento para o estado do para,existem hoje 144 municipios em nosso estado,onde muitos deles estão vivendo o maior abandono péla ausencia do governo,não por incompetencia, e sim pela grandeza territorial do estado que dificulta investimento em alguns municipios,principalmente nos da calha norte e baixo amazonas,vamos deixar de ser-mos egoistas,com a divisão territorial, o estado do pará será o mas beneficiado,lembre-se que o estado de Goias dividil com Brasilia e Tocantis,etão aí uma potência,Mato Grosso com Mato Grosso do Sul,são duas potências,porque que só o Estado do Pará não pode ser dividido?,pior do que etá não ficará o que tiver de ser do Pará será e ninguem vai tascar a mão,vamos acabar com esse negocio de diser que não é viavel que na região só tem índio que é conversa fiada, até os indios tem seus direitos garantidos pela lei,queremos ter nossos direitos garantido de días melhores,sem contar que teremos uma regíao norte mas fortalecida e respeitadas pelas demais regiões que levam tudo o que é nosso e que teremos mas força em Brasilia.
    Quanto ao plebiscito conforme seu questionamento em ser em todo o estado do pará,o Art. 18 e § 3º da carta maior deste País,versa o seguinte, que o plebiscito para a criação de Unidades federativas eou municipios,se dará onde haja o interesse do povo, portanto se for pela lei, acontecerá somente nas regiões a serem divididas, mas e uma questão que o supremo é quem vai resolver. um abraço atodos.

    ResponderExcluir
  26. EU NÃO SOU A FAVOR DESSA DIVISAO, POIS TERÁ OUTROS GOVERNADORES E DEPUTADOS ASSIM SO VAO TER MAIS GASTOS O QUE ESSES BANDO DE SEM QUE FAZER TEM É QUE TRABALHAR E NAO FICAR FAZENDO PROJETO DE NOVO ESTADO NOS ELEGEMOS ELES PARA FAZER ALGO DE MELHOR PRA GENTE...

    ResponderExcluir
  27. Políticos corruptos temos em todos os estados... isso é um fato!
    Só que no caso do estado do Pará que possue um território tão denso, é totalmente viável a divisão, uma vez que por mais que haja falhas na administração dos estados, o redirecionamento da verba poderá ser mais observado por nós, POPULAÇÃO, e assim, ser cobrado atitude e desenvolvimento... Gente, só é contra a divisão do Estado quem não conhece a real situação da região Sul e oeste do Pará... é visível que estas regiões precisam de uma administração mais próxima e que enxerguem suas necessidades e lutas... É totalmente compreensível que a região de Belém não queira a divisão, uma vez que este sendo aprovado, eles perderão as facilidades financeiras provida das usinas de minério do Estado...
    SIM A DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ!

    ResponderExcluir
  28. A separação do Pará só vai atender aos interesses de uma elite política que está muito mais interessada no atendimento de suas cobiças pessoais do que no interesse do povo. A divisão do Pará jamais vai promover o desenvolvimento, muito pelo contrário, promoverá sim o aumento dos custos para satisfazer a ganancia desses políticos.
    Será mais um cheque em branco dado a esses políticos corruptos e sem princípios, que sobrevivem da ingenuidade, indolência e ignorãncia do povo.
    Diga NÃO a separação do Pará.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.