Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Há 50 anos o manto negro da ditadura cobriu o Brasil

Há uma semana a imprensa repisa os anos em que o Brasil viveu uma ditadura. A alusão se dá na esteira do aniversário dos 50 anos do golpe que institui, em 31 de março de 1964, o regime militar, que alguns entusiastas da exceção insistem em chamar de revolução, porque teve apoio de alguns civis. Todo golpe militar conta com apoio de parte da população civil. Tentar destituir a nomenclatura do golpe de 1964 pelo apoio civil que ele teve é uma falácia tão inútil quanto tentar escrever, ou reescrever, a história daquela época instalando “comissões de verdades”: queremos enganar quem com as verdades dessas comissões? Delas pode até sair alguma novela romântica, mas a história do que foi a ditadura no Brasil jamais será contada na sua plenitude, antes porque os principais protagonistas vivos se impuseram um obsequioso e conveniente silêncio, e os que já foram queimar no inferno para lá conduziram as ocorrências que todo regime de exceção embarca, desde a supressão das liberdades individu

Mecanoescultura

A escultura abaixo, em exposição no Museu de Arte de Nevada, EUA, foi feita por Jeremy Mayer , que usou somente peças de antigas máquinas de escrever.

A saúde no Pará é um holograma midiático, uma trágica mesmice e um serviço pela metade

Comentário de um anônimo, na postagem “ Diretório Estadual do PT decide que coligação com o PMDB será desde o 1º turno ” que, pelo texto escrito, tem conhecimento de causa, sobre a saúde no Pará: "Uma coisa é uma coisa, outra coisa é a mesma coisa". A continuidade do desserviço da saúde pública na capital produziu mais um episódio de "fúria santa" no Pronto Socorro do Guamá, e mais uma vez motivado pela ausência de encaminhamento de paciente grave (com semanas de internação) para procedimentos especializados, resultando em desestabilização fisiológica e óbito. A filha revoltada da vítima quebrou vários objetos no interior do PS ao ver o pai abandonado num leito sem nenhuma chance de reversão do quadro chegar a óbito. Impressiona que durante os 8 anos da administração municipal do nefasto Duciomar Costa o número de 'mortes evitáveis' tenha atingido um recorde histórico, e quando todos pensaram que a eleição de Zenaldo Coutinho pudesse trazer um redutor

Ann Walker

A pintura acima é da norte-americana Ann Walker , que se graduou, em 1977, em Belas Artes, na Universidade do Texas. Depois de uma temporada na Alemanha, onde desenvolveu o seu dom de pintar, Walker voltou ao Texas e é hoje uma das mais prestigiadas pintoras dos EUA. Clique na imagem acima para ver mais belas pinturas de Ann Walker.

Diretório Estadual do PT decide que coligação com o PMDB será desde o 1º turno

Em reunião do Diretório Estadual, realizada ontem (29), o Partido dos Trabalhadores deliberou pela aprovação da proposta de coligação com o PMDB para disputar as eleições de outubro de 2014. A aprovação da proposta de coligação, já em 1º turno, com o PMDB, teve 249 votos contra 100 que votaram pela candidatura própria. A vaga de candidato a governador na chapa da futura coligação cabe ao PMDB e a vaga de senador cabe ao PT, que indicou como pré-candidato o nome do ex-deputado federal Paulo Rocha. O encontro definiu ainda que o PT opina pela coligação também na chapa proporcional, ou seja, PT e PMDB lançariam uma só chapa para deputados estaduais e federais, visando fazer a maior bancada da Assembleia Legislativa e o maior número de deputados federais do Pará.   A partir de amanhã (31) os dois partidos começarão a buscar, juntos, os demais partidos que poderão aumentar o leque de alianças que disputará a eleição de outubro.

É cor de rosa choque

“ A violência contra a vagina é disseminada no cotidiano, dentro de casa, no trabalho, no percurso entre a casa e o trabalho, em todos os espaços, mesmo os de lazer. As mulheres estão tão habituadas a ela desde que nascem que já a internalizaram como ‘normal’. Ou reagem muito menos do que deveriam, resignadas por uma vida inteira de agressões tão corriqueiras que fingem não ligar. Que neste contexto ainda consigam ter desejo sexual e prazer com suas vaginas é um tanto impressionante .” O corte é de uma matéria de Eliane Brum, para a edição brasileira do El País, cujo link me forneceu uma comentarista do blog, na postagem que relatou a pesquisa do IPEA revelando que 65,1% dos brasileiros opinam que “ mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas ”. O homem, atavicamente sujeito e objeto direto das guerras que a insensatez humana trava, ainda carrega consigo a idiotice de achar que a mulher deve ser um predicado ao qual ele não precisa pedir licença para subjugar

Além do Grand Canyon

A imagem abaixo, que mais parece uma pintura digital, é a paisagem do Glen Canyon, Parque Nacional que alcança parte dos estados de Utah e Arizona, nos EUA.

Guido Mantega, o longevo

Matéria de Natuza Nery, na Folha de S. Paulo, relata que Guido Mantega, desde a quinta-feira (27), passou a ser o mais longevo ministro da Fazenda da era democrática nacional: 8 anos ininterruptos no cargo. Nomeado por Lula em 2006, para substituir Antonio Palocci, que foi a pique no famoso “caso Francenildo”, Mantega foi mantido por Lula em seu segundo mandato, quando segurou as pontas na crise econômica que assolou o mundo em 2008, que por aqui, segundo o Lula, não passou de uma “marolinha”. Em 2010, lembra Natuza, foi o ápice do ministro: o Brasil cresceu 7,5%, e o então presidente Lula aconselhou a sua sucessora já eleita, Dilma Rousseff, a manter Guido. A partir do segundo ano de Dilma, Mantega começou a azedar. Os baixos índices de crescimento, aliados a uma política de varejo, fez com que os barões das finanças nacionais começassem a patrocinar matérias internacionais depreciativas sobre o seu desempenho, tentando desestabiliza-lo. No final de 2012, a imprensa nacional aliou-se

De Marajó e de pontes

> Marajó Eu já sugeri que os voos que saem de Belém para Miami e Lisboa, fizessem escalas no Marajó. É que o crème de la crème dos ranfastídeos parauaras só viajam alhures. Poderiam, ainda, os marajoaras, reivindicar que os luxuosos festivais de Ópera do Teatro da Paz fossem realizados nas principais cidades do arquipélago, pois, pelo menos nesses momentos, com certeza haveria transporte “rápido e confortável” para lá. > Pontes de antigamente Abriu a temporada de abalroamentos no Pará: no domingo passado (23), uma parte da laje da ponte do Rio Moju veio abaixo quando uma balsa investiu contra um dos pilares. Ontem, foi a vez da ponte do Outeiro levar mais uma pancada das muitas que já levou: uma balsa carregada de madeira abalroou um dos pilares, mas como a obra já está acostumada com colisões, e tem aguentado todas, permaneceu firme. É que antigamente as coisas eram feitas com margem de segurança maior, e é por essa, e outras, que o pessoal já está chamando a ponte sob

Da janela lateral…

O morador de um prédio ao lado do que aparece na foto, tomou-a no momento exato em que um F18 da Marinha americana fazia voo em faca, durante manobras em Detroit, EUA.

Drops de gengibre

> 85 x 3,5 bilhões Reportou a Forbes, citando a Oxfam International, uma ONG de combate à pobreza, que “as 85 pessoas mais ricas do mundo têm uma fortuna equivalente à metade planeta”, ou seja, se 3,5 bilhões de pessoas juntassem todo o seu dinheiro empatariam com os 85 biliardários cuja fortuna soma US$ 1,7 trilhão. > A Índia é aqui Chocou o mundo a onda de estupros coletivos na Índia em meados do ano passado. Muito mais chocado ficou o mundo quando alguns congressistas e lideres espirituais indianos pronunciaram-se culpando as vítimas dos estupros, porque se vestiam inadequadamente. Pesquisa do Sistema de Indicadores de Percepção Social, divulgada pelo Ipea ontem (27), revela que a maioria da população brasileira acredita que " mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas " e que " se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros ". Portanto, meninas, contribuam com a diminuição de crimes de estupro: saiam

A imprensa belga repercute o caso Petrobras-Pasadena

Um dos mais lidos jornais de Bruxelas, o L'Echo , carregou ontem (26) a manchete: “Como Albert Frère se viu inserido no coração da política brasileira". O barão Albert Frère, 88 anos, o homem mais rico da Bélgica, controla o grupo Astra Transcor, que comprou a refinaria de Pasadena, em 2005, por US$ 42,5 milhões, vendeu a metade dela para a Petrobras, em 2006, por US$ 180 milhões, e recebeu, pela outra metade, da mesma Petrobras, em 2012, US$ 820,5 milhões. O L'Echo reporta que a Astra Transcor relatou aos seus acionistas que “ a parceria com a Petrobras é sucesso financeiro além de qualquer expectativa razoável ", e fornece um relativo álibi para o ágio pago pela Petrobras em tão curto período: a Astra Transcor comprou Pasadena por US$ 76,5 milhões, mas logo em seguida investiu lá US$ 126 milhões. O jornal belga exalta a visão de lince do barão: Pasadena era uma empresa familiar cujos acionistas não tinham capital de giro, mas potencial de crescimento pela loca

Obama vai a Francisco

O presidente dos EUA, Barack Obama, visitou hoje (27), no Vaticano, o papa Francisco. Segundo as informações dos meus correspondentes na Santa Sé, a risada de Obama se deu no momento em que o papa disse a ele que no Pará, uma OSS da Igreja Católica, a Pró-Saúde, presta os melhores serviços de saúde do Brasil.

Asdrúbal Bentes

O deputado Asdrúbal Bentes (PMDB), ocupou vários cargos públicos. Desincumbiu-se de todos com eficácia e dedicação. De nenhum deles saiu com jaças morais ou legais. É um dos políticos mais queridos do Sul do Pará, que o elegeu seis vezes para deputado federal, todas correspondidas com dedicação. A cidade de Marabá o adotou como um filho e lhe deu as mais expressivas votações. Continuaria o elegendo caso o Supremo Tribunal Federal, ferindo o básico princípio penal da individualização da conduta, não lhe tivesse condenado por um crime não cometido. Nós políticos, esticamos tanto a corda que perdemos a prerrogativa constitucional da presunção de inocência. Somos culpados desde a denúncia e o ônus da prova não mais cabe a quem acusa. E mesmo invertido o ônus não é possível erigir defesas, pois os juízes e tribunais primeiro confeccionam a condenação e depois providenciam para que o julgamento nela caiba, em uma espécie de engenharia reversa processual. No caso, ressalve-se o juízo do mini

Pedrinhas é aqui

Um vídeo que rompeu às redes sociais revelou um segredo do Sistema Prisional do Pará: o assassinato do detento Dirceu Pimentel Brasil, 33 anos, em 10 de março, dentro do Complexo Penitenciário de Marituba. Execuções são parte do infernal cotidiano dos presídios brasileiros e são encomendas por traficantes ou organizações criminosas que dominam os cárceres. O último episódio sabido dessa tragédia foram as decapitações ocorridas em Pedrinhas, no Maranhão. O episódio do Pará revela que a prática é também exercida aqui. Pelo menos três detentos na mesma cela assistiram as estocadas cravadas no coração de Dirceu. Outros dois filmaram, com celulares, a cena macabra. > A execução A execução ocorrida em Marituba tem a mesma característica das demais alhures: a terrível frieza. O assassino dá as primeiras estocadas no peito da vítima imobilizada, que se lamenta. Um dos filmadores, para prevenir a qualidade da imagem, avisa: - “ Pera ai que eu vou ligar o flash ” Ligado o flash as est

Um e outro

À esquerda o Caetano em 1970. À direita o Caetano de 2013. Ao que se vê, fama, dinheiro e idade lhe caiu caíram muito bem

A incompetência da América católica

Compareceram ontem (25) na Comissão de Saúde da Alepa os diretores da Pró-Saúde, o secretário de Saúde Hélio Franco e o coordenador dos Hospitais Regionais do Pará, Arthur Lobo. Sou tendencioso para tratar de “OSS”. Reputo-as uma perfeita tradução do patrimonialismo: o Estado constrói hospitais, equipa-os e os entrega a uma OSS, ou seja, a conta é do público e o lucro é do privado. Nada contra serviços privados de saúde, mas quem quiser administrar e ganhar dinheiro com hospitais que faça à moda antiga: construa e equipe o seu e venda os serviços ao Estado correndo os riscos do mercado. > Excrescências jurídicas OSS são excrescências jurídicas. Não passam, de fato, de empresas que prestam serviços de administração hospitalar e cobram por isso. Outra excrescência jurídica as enquadra como sem fins lucrativos. Os seus diretores são vegetais: alimentam-se por fotossíntese. A hipocrisia legislativa nacional é assim: deixa que os fatos se estabeleçam e depois aprova uma lei, escrita p

Drops de azeite de andiroba

> Vaias Abaixo o vídeo, publicado pelo DOL, quando o governador Simão Jatene inicia a sua fala. O corte do vídeo se refere à segunda leva de vaias, quando o governador, indiretamente respondia ao prefeito João Salame (PROS), que lhe cobrou obras do Governo Estadual em Marabá. O governador declarava à presidente que o Estado está construindo um centro de convenções na cidade, o que acabou não sendo entendido devido às vaias. > Abalroamento da ponte sobre o Rio Moju Nota do “Repórter 70”, de O Liberal, edição de hoje, relata que “ Não se tem a menor ideia sobre o valor do prejuízo, mas a Agropalma, responsável pela balsa, já se comprometeu em participar da recuperação ”. Como assim “ participar da recuperação ”? A Agropalma foi a responsável direta pela tragédia e tem que arcar com a recuperação e não somente participar dela. Ainda, a Agropalma é que está obrigada a prover a travessia do Rio Moju, com balsas, sem custos para os usuários. > MH370 A Malaysia Ailines co

CNJ afasta desembargador do TJE-PA

O Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) afastou ontem (24), por unanimidade, o desembargador do TJE-PA, João José da Silva Maroja. A decisão se deu em Pedido de Providências requerido pelo Ministério Público Federal (MPF), alegando que Maroja teria recebido pelo menos “R$ 1,3 milhão em troca de decisões judiciais.”. O afastamento não é definitivo: perdura no Procedimento Administrativo Disciplinar que apurará a veracidade do relatado, ou cessa caso o STF o casse, em possível insurgência do desembargador contra a decisão. > Os fatos O MPF relatou suposta conduta irregular do desembargador na presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), no biênio 2009-2011, quando ele teria beneficiado com liminares, que os devolveram aos cargos, o “então prefeito do município de Chaves, Ubiratan de Almeida Neto; o vice-prefeito, Pedro Maurício Franco Steiner e a vereadora Vera Lúcia Alves Barros”, cassados sob a acusação de compra de votos nas eleições de 2008. > C

Non sequitur

Alça Viária: balsa derruba um vão da ponte sobre o Rio Moju

A falta de defensas nos pilares, que nenhuma das pontes da Alça Viária tem, e a imperícia do condutor de uma balsa que transportava dendê, causou uma tragédia material na ponte que atravessa o Rio Moju, na cidade de Moju. A balsa atingiu uma das pilastras da ponte e o impacto seccionou cerca de 50 metros de um dos vãos, que veio abaixo, inutilizando-a. Está cortado, sine die , o acesso ao Sul do Pará pela Alça Viária, usando a ponte. Os motoristas que se dirigem à região terão obrigatoriamente que tomar a balsa do Arapari, em Belém. Perícias serão realizadas para saber se o restante da ponte está comprometido. A recuperação, ou reconstrução total, não deverá levar menos de 24 meses. O Governo do Estado, arrombada a porta, precisa urgentemente instalar defensas nos vãos centrais de todas as pontes da Alça Viária e, juntamente com a Capitania dos Portos, sinalizar a obrigatoriedade da passagem pelo vão defendido. A empresa responsável pela tragédia deve ser acionada e dela cob

O caso Petrobras-Pasadena

O caso “Petrobras-Pasadena” precisa ser melhor explicado. Procuro informações que avalizem um juízo menos contaminado pelo denuncismo, e intui a concluir que nessa querela eventual os dois lados têm razão e ambos não estão isentos de pecados. > A compra O núcleo do caso é que a Petrobras comprou, em 2006, 50% da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), por US$ 360 milhões. Na época da compra – e por isso o caso tem repercussão potencializada – a presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, que avalizou a operação por unanimidade, era Dilma Rousseff. Na verdade, o valor pago por 50% da refinaria não foi US$ 360 milhões e sim US$ 190 milhões: os US$ 170 milhões restantes referiram-se ao estoque de combustível na empresa. Não é a compra de Pasadena que está em comento e sim o valor pago. > Valor de mercado Um dos sócios do Banco Garantia, Cláudio Haddad, que analisou o negócio, declarou que opinou pela recomendação de compra lavrada pelo Citibank, que “ comparou preç