Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Exoneração de Lupi é recomendada pela Comissão de Ética Pública da Presidência

A presidente Dilma Rousseff, no “Caso Lupi”, quis estancar a delegação do Planalto à imprensa de exonerar seus ministros: resolveu segurar o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT) até que o fogo se tornasse brando, ou até mesmo cessasse, quando então o mandaria de volta ao Rio de Janeiro. Ao que tudo indica, o fogo abrandou-se em brasa e o Planalto começa a operação desembarque do ministro: a Comissão de Ética Pública da Presidência da República acaba de decidir recomendar à presidente Dilma a exoneração de Lupi. O presidente da comissão, o ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence, declarou que “as explicações apresentadas pelo ministro sobre as denúncias de irregularidades no ministério não foram convincentes.”. A recomendação da comissão, tomada por unanimidade já pousou na mesa da presidente, que para não degolar a Comissão de Ética Pública da Presidência da República terá que cortar a cabeça de Lupi.

Circunstâncias governamentais

O neoPT continua a sua jornada rumo ao estado mínimo: a presidente Dilma Rousseff assinou na segunda-feira, 28, a primeira privatização de um aeroporto no país. Trata-se da concessão para construção e exploração do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, na macrorregião metropolitana de Natal, no Rio Grande do Norte. Recebeu a concessão um consórcio formado pela Engevix e pela Corporacion America, que investirá R$ 650 milhões na empreitada. Comme il faut , 80% dos recursos serão financiados pelo BNDES, a módicos juros anuais. O prazo para o início da operação do aeroporto é de três anos: leia-se, Copa de 2014. Como eu sempre digo, quando um partido chega ao governo, seja ele de esquerda ou direita, a forquilha o traz ao centro, de onde ele se pode movimentar para qualquer dos lados, conforme a sua conveniência. E isto não é um defeito, mas um imperativo das circunstâncias. Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da República.

A terceira visão

Em 1958, quando eu chorei pela primeira vez ao mundo, o professor Bassalo diplomava-se em engenharia civil. Quando cursei engenharia mecânica na UFPA, não tive a honra de tê-lo como professor. Àquela altura ele já era Doutor em física e um dos mais admirados mestres das exatas do Campus do Guamá. Nesta caótica guerra de dissensos, vaidades, intolerâncias, oportunismos e meias verdades (portanto meias mentiras) que os dois lados da face plebiscitária protagonizam, o professor Doutor Bassalo traça a parábola da inteligência cartesiana. Os argumentos traçados pelo mestre, de simples progressão elementar, são os mesmos que eu venho tentando esclarecer há 20 anos. Eu não tenho a mínima presunção de achar que o Doutor Bassalo pensa como eu: eu é que me orgulho de pensar como ele. Permita-me o Doutor Bassalo, todavia, discordar do seu parágrafo final, quando ele declara que, “por ser septuagenário”, não irá votar por “não estar mais na idade de se enganar (como já foi) com promessas eleitore

Tempestade em Copo D'Água

Recebi, nos comentários, o link de um vídeo que jovens do curso de engenharia civil e economia da Universidade de Campinas (Unicamp), em uma espécie de paródia ao vídeo protagonizado por atores globais contra a usina de Belo Monte, defendem a construção da obra. Os alunos, em contrapondo ao movimento “ Gota D'Água ”, iniciaram o movimento "Tempestade em Copo D'Água". A Unicamp, em nota, declarou que o movimento é uma iniciativa dos alunos, sem participação alguma da instituição. Assista:

Les Scintillances de Chanel

A Maison Chanel escolheu a top polonesa Monika Jagaciak para promover a linha de maquiagens, na campanha da coleção especial do Natal 2011.

Hoje o poeta-cantor nada mais tem, senão um poema de amor…

Eu li em algum lugar que não lembro agora, que o grande santareno, maestro Wilson Fonseca , coloquialmente conhecido como maestro Isoca, fez o bolero para o filho que chorava no colo da mãe. Se alguém aí souber a história completa, ou diferente do que enunciei, por favor conte-a. “Um poema de amor”, do maestro Isoca, é um daqueles maravilhosos boleros que se deve dançar em salão grande, para rodar com o par os passos largos que o tom exige. O solo de sax é um primor. Quem canta é Odilson Matos: Um poema de amor E, quando a noite desceu, O poeta escreveu Sua história de amor. Tinha a grandeza do mar, O esplendor do luar E a beleza da flor. Era o romance uma linda canção Nascida do coração.. Hoje, o poeta-cantor Nada mais tem, senão Um poema de amor.

Pode ser…

A resposta veio quando foi perguntado a Lula se ele pretendia se candidatar à sucessão da presidente Dilma Rousseff, em 2014.

O preço da honra perdida

A moça da foto é Gulnaz, uma jovem afegã de 21 anos que foi estuprada pelo seu cunhado quando ela tinha 19 anos. Por ter tido conjunção carnal com um homem casado, mesmo tendo sido estuprada, Gulnaz foi condenada a 12 anos de prisão por ter protagonizado um adultério. O cunhado, que a estuprou, não está sujeito à pena alguma. Após dois anos cumprindo a pena, Gulnaz resolveu aceitar casar-se com o cunhado (no Afeganistão, como na maioria dos países islâmicos, o homem pode ter mais de uma esposa). No Afeganistão, a única forma de uma mulher estuprada recuperar a honra perdida com um estupro, é casando-se com quem a estuprou. A história foi contada pela CNN.

A Ungida

A “The New Yorker”, revista que leem os nova-iorquinos ricos e famosos, brinda a presidente Dilma Rousseff com um artigo sobre o seu governo, trazendo uma despojada ilustração de sua excelência na matéria. Nicholas Lemann, autor da reportagem “ The Anointed ” (A Ungida) desfila pela vida da presidente desde a sua oposição ao regime militar. Nos dias atuais Lemann passeia pelos recentes escândalos que apearam seis ministros da Esplanada, deixando no ar o protagonismo da presidente nos episódios: “Ninguém acredita que Dilma é corrupta, mas, ela trabalhou por anos com algumas das pessoas que foram demitidas (por corrupção)”, declara. A reportagem observa que “o Poder Executivo, no Brasil, detém mais poderes, é mais concentrador que nos EUA e é muito mais corrupto”, emendando que o Brasil é “caoticamente democrático, mas, tem uma imprensa livre.”. Lemann tem razão na análise: o Capitólio não concede ao presidente 1% de margem de manobra no orçamento e, se Mr. President quiser mudar de luga

Um dos meus brinquedos de criança

Se você nunca viu um desses e não tem a mínima ideia do que seja, era assim que a criançada brincava de telefone há 40 anos. Hoje elas já vêm com um aparelho celular.

Para Seguir Minha Jornada

“Minha adolescência foi um circo de influências e tentativas. Quis ser palhaço, bombeiro, intelectual, jogador de futebol, padre, deputado, ladrão de automóveis, galã e arquiteto. Nada deu certo, e acabei mesmo tocando violão.” A frase acima é parte de uma entrevista concedida por um jovem de 23 anos, em 1967, que está colada em “Para Seguir Minha Jornada”, uma espécie de almanaque sobre a vida de um dos maiores letristas e menestréis da MPB: Chico Buarque. A autora da revista é a jornalista Regina Zappa e você pode comprar o livro clicando na imagem da capa, abaixo: Foto: acervo pessoal de Chico Buarque, cedida para ilustrar o livro

Crise de liquidez na Pró-Saúde, que opera o Hospital Regional de Santarém

Recebo notícias de Santarém, pedindo postagem, que o Hospital Regional do Estado instalado na cidade, que presta serviços de saúde em toda a mesorregião do Tapajós, operado pela Pró-Saúde, corre o risco de desabastecimento. Alega-se que a Pró-Saúde está “atrasando o pagamento de fornecedores, e que vários desses fornecedores não estão mais fornecendo materiais até que sejam pago os atrasados.”. Consta, ainda, que a Pró-Saúde “vem atrasando o pagamento das cooperativas que pagam os médicos.”. A Pró-Saúde, por sua vez, alega que não consegue atualizar os pagamentos aos fornecedores e às cooperativas, porque a Secretaria de Saúde do Estado não tem pagado as suas faturas em dias, o que a faz operar com déficit. Faz-se necessária uma intervenção da SESPA para esclarecer a questão e colocar o trem de volta aos trilhos.

Um jornal para chamar de (r) seu

Virou ideia fixa para José Dirceu (PT-SP) e dos que a ele se alinham, o tal “marco regulatório das comunicações”, que mexe e vira, volta à baila. O assunto foi objeto de um seminário, na sexta-feira, em São Paulo. O nome do convescote protoesquerdista , patrocinado pelo PT, foi sugestivo: “Seminário Nacional por um Novo Marco Regulatório para as Comunicações”. O ex-ministro da Casa Civil de Lula, na sua fala, soltou os caninos nos calcanhares da mídia e lamentou que não exista, no Brasil, um jornal de esquerda e favorável ao governo. Ele, José Dirceu, já até tentou, por duas vezes, empreitar um jornal, mas, embora tenha tido recursos financeiros fartos, não teve competência suficiente. O PT, na falta de aptidão para fazer o seu “jornal de esquerda”, acha mais fácil, sob o signo da “regulação”, censurar os que ele acha de "direita”. O fato é que a grande mídia, assim como os governos, não tem posições ideológicas: tem conveniências. Além disto, as manchetes dos jornalões são

Liga Árabe aprova sanções à Síria

Bashar al-Assad ignorou o ultimato da Liga Árabe para suspender a repressão e permitir a entrada de observadores internacionais na Síria. Em reunião hoje, 27, a Liga Árabe, com as abstenções do Líbano e do Iraque, aprovou sanções à Síria, o que deve deteriorar as posições de gestão de al-Assad. No início da tarde, o premiê do Qatar, Hamad Jassim, anunciou as sanções: corte das relações comerciais dos 22 países da Liga com a Síria, congelamento de bens do país no exterior, suspensão de viagens de autoridades à Síria e congelamento das transações de quaisquer dos 22 países com o banco central sírio. Em entrevista à Al Arabiya , Jassim alega que as sanções são uma forma de tentar evitar uma intervenção ocidental, como a que aconteceu na Líbia. É pífia a alegação do premiê qatariano: a torquês da Liga na economia síria fará com que os rebeldes se estimulem a aumentar a pressão sobre al-Assad que, por sua vez, responderá com mais repressão, o que será considerado um cenário propício para u

Nos tempos do celular

A capa da revista “The New Yorker”, de novembro de 2009. Hoje, alguns bebês já nascem com um celular atrelado ao umbigo.

Opium

A Casa Yves Saint Laurent resolveu relançar um dos seus perfumes de maior sucesso, o Opium, e escolheu a atriz Emily Blunt ( O diabo veste Prada), para estrelar a campanha.

Porque missão dada é missão cumprida!

Recebi por e-mail as frases abaixo, fazendo referências à estrela principal de um dos filmes de maior sucesso no Brasil, “Tropa de Elite: 01. O Capitão Nascimento dorme com a luz acesa. Não por ter medo do escuro: o escuro é que tem medo dele. 02. O Capitão Nascimento joga roleta russa com uma arma inteiramente carregada, e ganha. 03. A farda do Capitão Nascimento é preta porque nenhuma outra cor quis ficar perto dele. 04. O Capitão Nascimento dorme com um travesseiro debaixo de uma arma. 05. Duas principais causas de morte no Brasil: ataque do coração e câncer. A primeira causa é a maior porque os bandidos morrem do coração quando veem o Capitão Nascimento. 06. O Capitão Nascimento trabalhou como negociador da polícia. Seu trabalho era ligar para os sequestradores e dizer: "Pede pra sair!" 07. O crime é uma doença. O Capitão Nascimento é a cura.

O Mecanismo de Antikythera

Acompanhar a progressão anual do Sol e da Lua através das constelações do zodíaco, prever eclipses, traçar a movimentação dos planetas e a órbita irregular da Lua no céu, era, segundo a função do Mecanismo de Antikythera, um “computador” grego que remonta a 65 A.C., achado em 1900 na ilha de Antikythera, na Grécia. O mecanismo, que possui mais de 30 engrenagens, teve a sua função compreendida depois que engenheiros mecatrônicos da Universidade de Cardiff usaram raios X para ler as inscrições, decifrando o funcionamento dos dois “displays”. Pesquisadores e historiadores afirmam que quando a Grécia foi dominada pelos romanos o desenvolvimento da “mecatrônica” foi interrompido e se perdeu. Mecanismos similares só começaram a ser feitos, na Europa, cerca de 1000 anos depois. A conclusão que se poderia chegar é que, caso o Império Romano não tivesse interrompido o desenvolvimento dos gregos nesta área, talvez a tecnologia hoje estaria 1000 anos mais adiantada.

É dos baixinhos que elas gostam mais

Como é que é!?

Na inauguração, na manhã de ontem, do Instituto de Traumatologia e Ortopedia, no Rio de Janeiro, o governador Sérgio Cabral disse alguma coisa à presidente Dilma que lhe arregalou os olhos. Você imagina qual seriam as legendas da foto? Foto: Marcelo Carnaval - O Globo

Compadre meu que envelheceu cantando diz que ruminando dá pra ser feliz…

Porque hoje é sábado, aos amigos do Sul do Pará, que com acertos, erros, suor, sangue e lágrimas, tangidos pela esperança de dias vagos, correram terras e abriram fronteiras, fazendo dos belos vales do alto Xingu, das planícies das bacias do Araguaia e do Tocantins, os seus lares, aqui vai uma das mais belas modas de viola de todos os tempos: de Rolando Boldrin, “ Vide, vida marvada .”. Corre um boato aqui donde eu moro Que as mágoas que eu choro são mal ponteadas. Que no capim mascado do meu boi A baba sempre foi santa e purificada. Diz que eu rumino desde menininho Fraco e mirradinho a ração da estrada. Vou mastigando o mundo e ruminando E assim vou tocando essa vida marvada. É que a viola fala alto no meu peito humano E toda moda é um remédio pros meus desenganos. É que a viola fala alto no meu peito, mano, E toda mágoa é um mistério fora deste plano. Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver: Chega lá em casa pruma visitinha, Que no verso ou no reverso da vida inteirin

Rafal Olbinski

A pintura é do russo, naturalizado norte-americano, Rafal Olbinski .

Segunda pesquisa Datafolha sobre o plebiscito

A segunda pesquisa Datafolha, patrocinada pela Folha de S. Paulo, TV Liberal e TV Tapajós, publicada esta noite, 25, não mostrou alterações desde a primeira : a variação ocorrida está dentro da margem de erro, que é de 3% para mais ou para menos. Com eu já afirmei aqui , a propaganda eleitoral apenas consolida posições de quem já tem a opinião formada, sem alterar resultados. Abaixo os resultados da pesquisa, realizada entre 21 e 24.11. O programa do “SIM” não conseguiu mudar posições no “Pará remanescente”; o programa do “NÃO” não conseguiu mudar posições nas regiões Sul e Oeste, ou seja, ambos só falam para as suas respectivas audiências. Como no “Pará remanescente” o número de eleitores é o dobro da soma do Tapajós e Carajás, quando a pesquisa faz o cômputo geral, o resultado apresenta proporção similar: o dobro é “NÃO”. Veja abaixo a proporção do eleitorado em cada região:

Como a brisa da preamar

Quando eu digo que as mulheres reúnem as condições para inaugurar um novo mundo, alguns retrucam que é demagogia ou cabotinismo. O cimento da minha prosa é que elas têm, de sobra, o que falta aos homens: tolerância, razão e sensibilidade. Elas também são previdentes: todas as vezes que eu “quebro a cara”, foi por não ter atendido aos apelos da Dona Ann, minha esposa. Nestas ocasiões sou obrigado a ouvir dela, caladinho, aquela frase fatal: “eu bem que te avisei!”. Eu disse isto para dizer a vocês que as duas mais pertinentes manifestações sobre o plebiscito vieram de duas mulheres. Com nobilíssima simplicidade e profundo conhecimento de causa, ambas usam os mesmos argumentos para defender suas respectivas posições contrárias. A primeira vocês já leram aqui , foi a “Raimundinha”. Replicando-a, veio Maria Adelina Braglia, uma paulista de nascimento que nas levas das gentes, pousou no Pará e aqui sentou morada. Clique na imagem para ler a réplica da Adelina. PS. Não consegui o crédito da

AMAT publica “Nota de Esclarecimento”

A Associação dos Município do Araguaia Tocantins e Carajás (AMATCarajás), publicou, hoje, 25, em “O Liberal” e no “Diário do Pará”, “Nota de Esclarecimento”, em uma espécie de desagravo aos 38 prefeitos do Sul do Pará, que foram acusados, no “Programa do NÃO”, de gerir mal os recursos públicos, alegando que 36 deles “respondem a processo”. A nota declara que “as prefeituras do Sul do Pará desempenham seu papel constitucional em atendimento as ações específicas municipais, e também custeiam a manutenção dos serviços públicos de obrigação da União e do Governo do Estado do Pará”. Afirma ainda que o “nosso Governador, bem como dezenas de outros políticos, também responde processo e isto não o desqualificou para administrar o Estado do Pará”. Chegamos a um ponto em que os bombeiros precisam comparecer ao incêndio. Clique na imagem para ler a nota.

Bancada ruralistas elogia o projeto do novo Código Florestal

A presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (PSD-TO), assomou, hoje, à tribuna e teceu efusivos elogios ao novo projeto do Código Florestal, cujo relator é o senador Jorge Viana (PT-AC). Se a senadora Abreu, a musa dos ruralistas, elogia o Código Florestal, é sinal que o relatório do senador Viana foi escrito pela CNA e os ruralistas venceram a queda de braço com os ambientalistas. Contam-se, no café do Senado, onde é servido o melhor misto-quente do planeta, que o governo autorizou o acordo com a bancada ruralistas, para que estes não obstruam, na Câmara, a votação da Desvinculação de Receitas da União (DRU), vital para o governo nestes tempos de crise. É o que eu sempre digo: governos não têm ideologias, apenas conveniências.

Liga Árabe dá ultimato à Síria, ameaçando com bloqueio econômico

Há uma força oculta pressionando a Liga Árabe a encurralar o presidente da Síria Bashar al-Assad, mas, não creio que o movimento dos EUA e da União Europeia em decretar sanções à Damasco, tenha sido determinante na tomada de posição da Liga. Ontem, no Cairo, a Liga voltou a admoestar al-Assad a deixar o poder, exigindo-lhe que permita uma missão de observadores estrangeiros. Foi-lhe assinado um prazo de 24 horas (termina hoje) para a chancelaria providenciar o salvo conduto, ou, todos os países da Liga decretarão o isolamento econômico da Síria. No mês passado a Síria, para não cumprir compromissos de curto prazo, declarou “estado de emergência econômica", alegando que as sanções dos EUA e da UE lhe desidrataram a liquidez. Caso a Liga Árabe proceda as sanções, a Síria poderá sofrer falência contábil em pouco tempo, pois estará isolada em seu próprio bloco, o que nunca ocorreu com nenhum outro país do Médio Oriente. Bashar al-Assad, diferente de outros líderes recentemente a

Nelumbo nucifera

Há duas semanas tento traçar um texto sobre a gênese sociopolítica, e econômica, dos diversos povos que floresceram no Pará, e que hoje se batem para estabelecer formalmente as suas respectivas identidades gentílicas. Sempre que concluía o texto, reprovava-o: longo demais. Se o encurtava: incompleto. Se o bolinava: ininteligível. Se lhe fazia remissões: rebuscado. Chequei a sonhar com ele uma noite. Desisti: não quero contaminar uma peça que acho importante para entender a saga destes povos, no meio de um debate em que eles se estão contrapondo. Ontem à noite, ao passear pelos blogs do interior do Pará, descobri exatamente o que eu desejei escrever e não tive competência alguma para elaborar. No “Blog do Jeso”, da Pérola do Tapajós, a santarena Raimunda Monteiro, graduada em Comunicação Social, mestre em Planejamento de Desenvolvimento e doutora em Ciências Socioambientais do Trópico Úmido, e professora da Universidade Federal do Oeste do Pará, postou uma flor-de-lótus: “ Carajás e Ta

Piaget Polo FortyFive

A máquina acima é novo lançamento da Piaget: chama-se Polo FortyFive. Tem movimento 880P, patenteado pela Piaget, cronógrafo, função Flyback, hora dupla, à prova d’água e choque, carenagem e peças de titânio e cristal de safira na frente e no fundo. Caso você esteja interessado, corra para comprar pois a Piaget fabricou apenas 500 peças. O preço? Somente US$ 21 mil, o equivalente a R$ 37,8 mil.

Os brutos também amam

A parábola da certeza. Ou será da dúvida?

Tenho recebido telefonemas de amigos do Sul do Pará. O tema é o plebiscito. O tom é como se a coisa fosse uma corrida e eles acham que “nós” não estamos correndo o suficiente para cortar a linha de chegada à frente “deles”. O “nós” são os favoráveis à divisão. Os “eles” são os que se batem contra a divisão. A recíproca, também, é verdadeira, cá na Corte. Explico que a discussão se equivocou no objeto, em uma metonímia torta: éramos para estar discutindo a divisão territorial do Pará e não a divisão entre “nós” e “eles”. Era para estamos tirando dúvidas sobre as pertinências e não para estarmos cuspindo intolerância e escarrando estupidez sobre as impertinências. A tentativa de racionalizar o debate, erigindo, cada qual, a sua inexorável verdade, acabou, enchendo “nós” e “eles” de certezas. As certezas causaram, e ainda causam, todas as guerras do mundo: só dá o primeiro tiro quem tem certeza. São as “nossas” certezas, e as “deles”, que nos impedem de travar um debate mais consequente

Julgamento da cassação do diploma de Duciomar Costa será na próxima terça

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) pautou para o dia 29 de novembro de 2011, próxima terça-feira, às 08:30 horas, o julgamento do Recurso nº 52, cujo relator é o juiz federal Antônio Campelo e tem a juíza Ezilda Pastana como revisora. Trata-se do recurso contra a expedição de diploma do prefeito de Belém, Duciomar Costa e seu vice-prefeito Anivaldo Vale. É o famoso processo 001/2009, da 96ª Zona Eleitoral de Belém, que, caso provido, na prática, cassa o mandato do prefeito e vice-prefeito de Belém. Clique na imagem para ler a pauta.

Perdas e ganhos

Se o movimento “ Occupy Wall Street ” ler os balancetes trimestrais do bancos brasileiros eles vão dar um jeito de descer o Atlântico e acampar no Brasil.   A Economatica informa que o setor bancário nacional acumulou, até o terceiro trimestre de 2011, lucro de R$ 37,2 bilhões. O resultado foi maior do que o registrado no mesmo período de 2010, que foi de R$ 31,8 bilhões.   Depois dos banqueiros, o maior lucro, até o terceiro trimestre, foi o do setor mineral: R$ 29,5 bilhões, contra R$ 20,0 bilhões em 2010.   Depois vem o setor de petróleo e gás, com R$ 28,3 bilhões, contra R$ 24,9 bilhões no mesmo período de 2010.   Já o setor de papel e celulose amarga um prejuízo de R$ 640 milhões, contra um lucro, até o terceiro trimestre de 2010, de R$ 1,3 bilhões.   Crise para quem, cara pálida?

Renda per capita

A renda per capita é a relação entre o Produto Interno Bruto e a população. O Pará amarga tal posição em virtude de um PIB relativo baixo para uma população maior que outros estados da região que têm PIB absoluto menor que o Pará.

Moscou sobe o tom com a Casa Branca

Não é somente nos embates dos prós e contra a divisão do Pará que a testosterona está derramando pelos cantos da boca. Com as desinteligências entre o Irã e Israel se tornando cada vez mais obtusas, a Casa Branca, anunciou, ontem, 22, que o Pentágono prosseguirá com a instalação de seus escudos antimísseis na Europa Ocidental. O anúncio dissuasivo dos EUA provocou imediata reunião do Comitê Executivo russo, em Gorki, nos arredores de Moscou. A reunião terminou em figurino de guerra fria: o presidente Medvedv Medvedev, sob o olhar vigilante do seu premiê Putin, anunciou que caso o programa de escudos antimísseis continuem a Rússia quebrará o acordo de contingência nuclear com os EUA e posicionará mísseis em todas as fronteiras com a União Europeia. O tom dissuasivo de Medvedv Medvedev foi além, ao afirmar que "sistemas de armas modernas" seriam instalados em Kaliningrado. E por que Kaliningrado? Porque o território é uma possessão russa dentro da Europa Ocidental, em

PMDB nacional sugere que o STF “joga” com o PT para Paulo Rocha assumir

Reunida na tarde de hoje, 23, a Comissão Executiva Nacional do PMDB, sob a direção do senador Valdir Raup ( PSDB PMDB-RO), com a presença do presidente do Senado, José Sarney, emitiu nota de apoio ao senador eleito Jader Barbalho (PMDB-PA), denunciando um suposto jogo político do Supremo Tribunal Federal (STF), colimado com o Partido dos Trabalhadores, para, em detrimento de Jader Barbalho, dar posse a Paulo Rocha (PT-PA), o terceiro mais votado na eleição de 2010. A Comissão Executiva do PMDB alega que o STF estaria usando "dois pesos e duas medidas", já que outros parlamentares enquadrados na Lei da Ficha Limpa já foram empossados. O senador Wellington Salgado declarou que está claro o “jogo” do STF com o PT: “Qual é o grande jogo? Acabar com o PMDB. O Supremo tirou dois senadores do PMDB ( Wilson Santiago e Gilvan Borges) e impede dois dos nossos de assumir (Jader Barbalho e Marcelo Miranda). Não querem o PMDB grande no Senado. É uma coisa orquestrada. O Supremo está

Do Ceará para o mundo

De bubuia

Feito mururé, a presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), Adelina Braglia, dá o ar da sua graça no blogosfera. Clique na imagem para visitar o blog, que já está listado, na posição 98, à direita.

De Obama, com carinho

O ex-presidente Lula, que saiu, ontem, da sua segunda sessão de quimioterapia, levou no bolso uma carinhosa missiva, que ainda no hospital lhe chegou às mãos, enviada pelo presidente dos EUA, Barak Obama. O fac-símile da carta está abaixo: A carta pode ser lida, no vernáculo, como: “Caro presidente Lula: Espero que esta o encontre bem, meu amigo. Fiquei triste com a recente notícia do seu diagnóstico de câncer. Saiba que eu e Michelle estamos torcendo e orando por você e sua família. Dá-me tranquilidade saber que você está sendo tratado em um dos melhores hospitais da região. O Brasil e o mundo têm prosperado a partir da sua força e incansável liderança. Desejo-lhe uma rápida recuperação. Sinceramente, Barack Obama” Não é verdade que o FHC está se mordendo de inveja, não pelo diagnóstico de Lula, mas, pela carta do Obama.

Samba de breque no plebiscito

Como ocorre em todas as campanhas eleitorais, a palha da cana começou a voar e a cuia de tacacá entornou nas peças que protagonizam o mote plebiscitário: e vocês sabem que goma quente faz queimaduras de considerável grau. No programa desta noite os feiticeiros do “não” entornaram o tacho com os alcaides do Sul do Pará, ao afirmarem que a região recebe fortunas dos projetos minerais, mas, “alguns prefeitos não fazem bom uso do dinheiro”. Aumentando a octanagem do maçarico, o locutor da peça dispara que, inclusive, “36 prefeitos da região respondem a processos”. O Sul do Pará tem 38 municípios, portanto, a lanterna de Diógenes do Orly Bezerra só livrou a cara de dois digníssimos alcaides, deixando sem lenço e documento, nas empoeiradas estradas da região, o restante dos indigitados. Como eu não entendo patavinas de marketing, gostaria de entender o porquê de a praga ter sido lançada rumo ao Sul do Pará especificamente: se formos fazer resenhas judiciárias de quem responde processo, e t

Um beijo molhado

A sugestão é a seguinte: leve a moça no shopping, onde tem um pessoal que faz estas pinturas. Aí, você manda pintar um peixinho destes nela e um em você, e depois diz que os peixinhos querem se beijar.

Ponto e contra ponto

Desconstruindo o Dr. Alex

O ex-reitor da UFPA e atual secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Pará, Alex Fiúza de Mello, deu o ar da sua pena na topografia plebiscitária : ele é contra a divisão e inaugura a sua tese voltando ao século XVIII, para lá encontrar Adam Smith e Rousseau. Eles disseram a Fiúza que também são contra a divisão, pois, nas citadas obras de ambos ("A Riqueza das Nações" e "A Origem das Desigualdades entre os Homens", respectivamente), não existe qualquer ocorrência que possa concatenar extensão territorial com desenvolvimento. A mediunidade não é um privilégio exclusivo do secretário. Eu estive nessa sessão espírita, e asseguro que não passa de esforço vestibular dar fundamentos territoriais às obras citadas, porque em nenhuma delas há a mais tênue correlação do elemento geográfico com as demais vertentes defendidas, até porque no Velho Mundo de antanho, território era preocupação de reis e não de filósofos. Voltando ao presente, argumenta F