15/03/2016

Quem vai prender o Japonês da Federal?

Screen 001

Newton Ishii, que nos picadeiros da Lava Jato afamou-se como “Japonês da Federal”, virou um signo do combate à corrupção, pois, nos 18 primeiros capítulos da novela, lá estava ele conduzindo os figurões da República ao calabouço.

Mas por que Ishii sumiu de cena a partir do 19º episódio? Porque, destarte a grande imprensa tenha tentado esconder o pé do pavão, descobriu-se que o santo era de pau oco: o símbolo do combate à corrupção era um condenado, em primeira e segunda instância, por corrupção (...).

Em março de 2003, na primeira grande operação da PF, a Operação Sucuri, Newton Ishii e mais 22 agentes foram presos, em Foz do Iguaçu, por fazerem parte de um esquema de facilitação de contrabando na fronteira com o Paraguai.

Segundo o delegado Reinaldo de Almeida César, da PF, Ishii compunha um esquema que permitia passar, sem fiscalização, na fronteira “determinados veículos”, que contrabandeavam para o Brasil cerca de US$ 30 mil a US$ 40 mil diários.

As acusações restaram provadas e, em 2009, Ishii e mais 19 agentes da PF foram condenados, em primeira instância, a penas que chegam a 8 anos de prisão.

Os condenados recorreram ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região que, em 2013, ratificou a condenação, modificando a modalidade de corrupção.

A partir de 17.02.2016, quando o STF decidiu que um réu condenado na segunda instância da Justiça comece a cumprir a pena, ainda que esteja recorrendo aos tribunais superiores, o “Japonês da Federal” já deveria estar recolhido, mas ainda continua solto, pois, com a superlotação dos presídios, só arrumaram uma vaga para o Luiz Estevão.

Ontem (14), o herói sansei nacional, sofreu mais uma desdita: o ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça manteve-lhe a condenação, restando-lhe agora o recurso ao pleno do Tribunal, o que não elide a incidência do já referido acórdão do STF que o manda à prisão.

Só resta agora a essa espécie de Macunaíma fardado, dar ordem de prisão a si mesmo. Ou, talvez, na nossa moral bipolar, fazermos uma passeata para conceder-lhe o perdão judicial, com o bordão de que corrupto que prende corrupto não merece castigo.

Ainda, temos que começar a aprender a escolher melhor os nossos heróis, pois a maioria morreu de overdose, está condenada ou em vias de ser, já foi conduzida coercitivamente ou comprou apartamento em Miami com firma offshore de fachada para fugir de impostos.

6 comentários:

  1. Também para o japonês da Federal, a Lei. Todos nós estamos sujeitos às Leis. Não fosse assim, seria o caos.

    ResponderExcluir
  2. Francisco Márcio15/03/2016 16:16

    O "nosso" amigo JB não tem nada a ver com essa história... Isso é intriga da oposição.

    ResponderExcluir
  3. Manda esse F.P ir para a ilha de CUBA e pagar a pena na Prisão de Guantánamo.

    ResponderExcluir
  4. Estranho, o processo corre em sigilo. Por que?

    ResponderExcluir
  5. Do jeito em que o nosso Brasil se encontra, onde os valores estão completamente invertidos, acho que o japonês da Federal será preso pelo jader Barbalho, ou seja; ladrão prendendo bandido ou vice-versa !

    ResponderExcluir
  6. acho q o japones nao virou heroi, mas sim uma figura peculiar... agora espero que cumpra sua pena, de preferencia, junto ao ex-ministro lula

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.