15/12/2015

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) declara apoio ao impeachment


A poderosa Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) formalizou ontem (14), o apoio ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo o presidente da entidade, Paulo Skaf, uma pesquisa feita com uma amostragem de 8.395, entre as 153 mil empresas ligadas aos 133 sindicatos patronais representados pela Fiesp, revelou que 91% dos empresários querem a saída da presidente Dilma e elencam como os principais motivos do desejo o “ajuste fiscal que foi anunciado ao longo do ano, mas não foi feito", a "perspectiva de estouro de orçamento no próximo ano", e a "total falta de credibilidade do governo”.

É a primeira vez na  história da Fiesp que a entidade toma uma decisão formal e pública sobre a política partidária nacional. 

Alguns áulicos do Planalto vêem as digitais do vice-presidente da República na decisão da Fiesp, pois Paulo Skaf é do PMDB e ligado a Temer.

4 comentários:

  1. Lembram da música do Chico "Geni e o Zepelin", enquanto as classes média e alta conseguiam comprar, reformar seus APs, ir à europa, pro EUA comprar seus enxovais, devido o câmbio baixo e os empresários ganhando incentivos fiscais e aumentando suas margens de lucro, não gostavam mas, aturavam o PT, agora, na crise, eles se revelam e rebelam. A FIESP e toda a paulista apoiaram o golpe de 64, se não apoiassem o golpe de 2015 não seriam mais a FIESP nem os paulistas.

    ResponderExcluir
  2. A Catedral do capitalismo surfou nos últimos 4 anos com isenções,desonerações e subsídios. Agora querem mais boquinhas,q este governo não pode mais dar.

    ResponderExcluir
  3. Francisco Marcio16/12/2015 13:49

    Ouso, humildemente, discordar. Não creio que haja o dedo do Temer, o que há é a necessidade da economia encontrar o trilho. O empresariado não suporta tanto tempo trabalhando para cobrir só os custos operacionais- os que conseguem, essa proeza!

    Não sei como ( só imagino )chegou-se a essa equação, mas não acho crível que a Dilma consiga recuperar a confiança, do empresariado e da sociedade. O que parece, é que mesmo que seja o Temer, o que a economia brasileira precisa é de confiança, ainda que venha com o Temer...

    ResponderExcluir
  4. Francisco Marcio16/12/2015 13:50

    Ouso, humildemente, discordar. Não creio que haja o dedo do Temer, o que há é a necessidade da economia encontrar o trilho. O empresariado não suporta tanto tempo trabalhando para cobrir só os custos operacionais- os que conseguem, essa proeza!

    Não sei como ( só imagino )chegou-se a essa equação, mas não acho crível que a Dilma consiga recuperar a confiança, do empresariado e da sociedade. O que parece, é que mesmo que seja o Temer, o que a economia brasileira precisa é de confiança, ainda que venha com o Temer...

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.