11/11/2015

Vou de helicóptero

O PROS, criado em 2013 pelo ex-vereador de Planaltina do Goiás, Eurípedes Junior, atualmente com 12 deputados federais e um fundo partidário de R$ 586 mil (2014), depois de adquirir um avião bimotor, 2014, por R$ 400 mil, fez a sua mais recente aquisição para a sua frota aérea.

Trata-se de um helicóptero, Modelo R66, da Robinson, adquirido por R$ 2,4 milhões.

Shot 016

Não tenho conhecimento de que algum outro das mais de três dezenas de partidos existentes no Brasil, tenha uma aeronave para chamar de sua.

A compra do helicóptero causou desconforto no líder da bancada do PROS na Câmara Federal, deputado Domingos Neto (CE), que estrilou:

"Isso é um absurdo. Como pode usar dinheiro público para comprar helicóptero só para vir de Planaltina de Goiás para Brasília".

O trecho referido por Neto, de meros 60 km, é feito com frequência por Eurípedes Junior, presidente nacional do PROS, que cansou de trafega-lo de carro, talvez.

As regras que estabelecem o uso do fundo partidário não proíbem expressamente a compra de veículos e aeronaves, portanto, do ponto de vista legal, a priori não há ilegalidade na operação, mas há ministros do TSE que, consultados, opinaram que é possível verificar o uso abusivo do fundo nessas condições.

O PROS afirma a necessidade do helicóptero pelo fato de que trabalha a expansão da sigla no Brasil e "como grande parte dos municípios não possui aeroporto, o helicóptero otimizará a locomoção."

7 comentários:

  1. Francisco Márcio12/11/2015 08:48

    Como disse Einstein: " Tudo depende do referencial". O talentoso Eurípedes comprou para o partido, ou seja, para a coletividade... E tem mais, essa não é a única aeronave do PROS, tem mais um avião. Diferente da grande maioria dos seus pares que compram ( com dinheiro do fundo partidário?!? Eu não digo isso. ) em nome próprio, pessoal.

    O congresso quer aumentar o valor do fundo partidário, de 311 milhões para mais de 900 milhões, assim, já, já, a economia aquece. Fale com seu chefe para comprar um também para o PMDB. Já imaginou quão confortável serão suas idas à SP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um helicóptero eu sou contra. Prefiro um jatinho. EE se for para ficar na executiva nacional eu também sou contra. Só sou a favor se ficar à disposição da Executiva regional do Pará.

      Excluir
    2. Mas o PROS já tem um avião.

      Excluir
    3. ooooo
      Imitam
      OOOOO

      Excluir
  2. se o pequeno pros ta com essa grana toda.imagine o pt, pmdb e o psdb .os presidentes destes partidos devem estar rindo atoa.

    ResponderExcluir
  3. Nobre Deputado,
    Que crise que nada, A classe política encontrou uma maneira segura de meter a mão do dinheiro público sem o risco de encarar operações policiais, CPIs ou juízes desassombrados. O Fundo Partidário, com dinheiro do Tesouro Nacional, já distribuiu somente este ano R$ 676 milhões aos partidos. O butim não terminou: até o fim do ano serão mais R$ 135,2 milhões – e terão embolsado R$ 811 milhões em um ano que não houve eleição. Veja a distribuição; Pt até outubro: R$ 90,7 milhões, PSDB R$ 74,2 milhões, o que talvez explique sua atuação em plenário e, finalmente a quota parte do PMDB faturou R$ 72,4 milhões do Fundo, só em 2015.

    ResponderExcluir
  4. Nenhum partido brasileiro sobreviveria a uma auditoria de verdade em suas contas. A exemplo dos grandes "consultores" brasileiros que sempre falam que ganharam o dinheiro honestamente, que declararam-no e que pagaram os impostos devidos, os partidos dizem o mesmo que foram doações legais e blá, blá, blá. E as instituições aceitam.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.