11/09/2015

Um dos últimos moicanos, Fernando Baiano fecha acordo de delação premiada

Shot 003

Depois de mais de quatro reuniões, propostas e contrapropostas, o advogado de Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, com o aposto de “lobista do PMDB), e o Ministério Público Federal fecharam, na quarta-feira (9), acordo de delação premiada.

Baiano aceitou, em troca de redução da pena a ser aplicada em uma inarredável condenação penal, trazer dados às investigações que resultariam em “provas robustas” sobre a participação nos desvios da Petrobras, de pelo menos três senadores, um deputado federal e um ministro: o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), o senador Edison Lobão (PMDB-MA), o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Reporta a Folha, que Baiano também forneceria detalhes sobre a aquisição da refinaria de Pasadena pela Petrobras, o que poderia trazer mais clareza à obscura operação e sujar mais pessoas com petróleo cru.

O acordo foi negociado pelo advogado Sérgio Riera, contratado para tal, pois o atual defensor de Baiano, o criminalista Nélio Machado, é contrário à figura da delação premiada e declarou que renunciará à defesa do cliente tão logo o acordo de delação for homologado pelo Supremo Tribunal Federal.

5 comentários:

  1. Francisco Márcio11/09/2015 19:39

    O petróleo escorre, escorre e chegará:Câmara dos Deputados, Ed. Principal Ala B sala 6, Praça dos Três Poderes
    Brasília - DF - CEP: 70160-900

    V.Exa conhece o endereço?

    ResponderExcluir
  2. JADER BARBALHO DENUNCIADO POR CERVERÓ
    Butim de Pasadena: de acordo com Cerveró, a ruinosa compra da refirnaria de Pasadena rendeu R$ 15 milhões em propina. Ele envolve no esquema a area Internacional da Petrobras, que ele dirigia, outros funcionários da estatal e senadores como Delcídio Amaral, líder do governo no Senado; Renan Calheiros, presidente da Casa, e Jader Barbalho.Procurados, os senadores negaram ter recebido propinas

    ResponderExcluir
  3. Do Blog do Josias de Souza.
    Butim de Pasadena: de acordo com Cerveró, a ruinosa compra da refirnaria de Pasadena rendeu R$ 15 milhões em propina. Ele envolve no esquema a area Internacional da Petrobras, que ele dirigia, outros funcionários da estatal e senadores como Delcídio Amaral, líder do governo no Senado; Renan Calheiros, presidente da Casa, e Jader Barbalho.
Procurados, os senadores negaram ter recebido propinas.

    ResponderExcluir
  4. nao acredito que Jader Barbalho esteja envolvido nesse desvio de verba a sua trajetoria politica nunca se pautou nessa canalhisse. kkkkk so que nao.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.