16/03/2015

A democracia acossa a política

Shot 007

Em 1985, apostando no fim do arbítrio, milhares saíram às ruas no movimento “Diretas-Já”, que não logrou êxito em um Congresso ainda servil à ditadura militar. Em 1989, morta a ditadura, o Brasil realizou eleição direta para presidente da República.

Em 1992, os estudantes foram às ruas pedir o impeachment do presidente Collor. O movimento ficou conhecido como os “Caras-pintadas”.

Em 1999, contra a política econômica e as privatizações promovidas pelo governo FHC, o Brasil foi palco do maior movimento generalizado desde as “Diretas-já”.

O “Fora FHC”, liderado pelo PT e PDT, dividia a oposição entre os que pediam o impeachment e os que queriam a renúncia de FHC. Outros pregavam que o Congresso Nacional deveria, simplesmente, decretar o fim do mandado do presidente da República.

Shot 001

O “Fora FHC”, afirma o deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ), era discutido politicamente. Hoje, opina, há “raiva”.

Arrisco uma explicação: o “Fora FHC” era conduzido por políticos. Hoje, embora articulado politicamente, o movimento é de massas e essas se deslocam por paixão. Turbina o mau humor, o esgotamento do sistema político atual, que insiste em não perceber que necrosou, aliado à futebolística dualidade PT-PSDB que se instalou na nação.

Em 2013 o Brasil viu o maior movimento de rua da sua história: o “Levante de Junho”.

Ter esquecido aquela convulsão tão logo arrefeceu foi um erro da intelligentsia estabelecida. Outro erro foi achar que o movimento era difuso: o status quo queria uma pauta tradicional (!!) e não percebeu que ela estava escrita nos milhares de cartazes portados pela turba.

Shot 009

Insisto na tese de que nós, os políticos, somos chorume de um sistema necrosado. Se continuarmos produzindo fedor, pronto virá o dia em que a cabeça que portamos será separada do pescoço que a sustenta com temerária e insensata resiliência.

Ontem, 15 de março, segundo informes das policias militares, foram às ruas de 1,5 milhão a 2 milhões de pessoas. Cerca de 1 milhão se concentrou na cidade de São Paulo e o restante marchou em pelos menos 23 estados e no DF.

Pelo menos ou pelo mais, não é lícito dizer que os protestos são da elite. Olhar o movimento dessa forma é agir como o pior cego do ditado: o que não quer ver.

Shot 010

Na pauta há um déjà vu de 1999, mas há um elemento de alta octanagem acrescido hoje, que é a percepção apurada da corrupção. Embora proceda, é inodoro alegar que, da mesma forma, roubos havia antanho, pois o mundo, cada vez mais, é o agora. Como o moinho se move com a água imediata, é essa que mata a sede do povo.

Se mais uma vez a classe política insistir em reduzir os protestos aos elementos de classe, como se a insatisfação popular fosse uma pirâmide com câimbra, só adiará o anseio para um próximo capítulo que tende a se avolumar: a multidão se despediu prometendo voltar em abril.

A Nova República é natimorta porque concebida no ventre do patrimonialismo, primo-irmão da ditadura, apenas vestido em trajes civis. O Brasil precisa inaugurar a transparência democrática, através de um sistema republicano eficaz. Para isso não é necessário provar a quadratura do círculo. Basta que todos, eu disse todos, façam a coisa certa. E sabemos, perfeitamente, do certo o errado distinguir, mesmo porque esses princípios não são sistemáticos, mas filosóficos e naturais.

Tanto sabemos diferenciar o certo do errado, que o joio podre e bêbado que prega a volta da ditadura não se consegue misturar ao trigo que cresce na afirmação da democracia e se isola no seu próprio anacronismo.

Portanto, viva a democracia!

16 comentários:

  1. Alguns falam em golpismo, os juristas falam em pressupostos jurídicos, mas o Impeachment é mais do que tudo um instituto político. O comparo com a dissolução do Parlamento (Sistema Parlamentarista) que é possível em decorrência de crises e escândalos políticos. O pressuposto jurídico é um dos requisitos, mas não deve ser considerado o mais importante. Esse Governo não tem sustentação política e nem popular.
    Quanto a pressupostos jurídicos pode-se atribuir a esta administração vários tipos elencados na Lei nº. 1079/1950 (em vigor).

    Art. 8º
    7 - permitir, de forma expressa ou tácita, a infração de lei federal de ordem pública.
    (será que não poderíamos enquadra o MST e a conivência do Governo. Ainda nessa gestão entraram em um laboratório e destruíram material (mudas de plantas) de estudos)

    Art. 4º.
    V - A probidade na administração;

    VI - A lei orçamentária;

    ResponderExcluir
  2. Só acho estranho ninguém levar uma faixa pedindo a renúncia do Renan Calheiros da Presidencia do Senado e do Eduardo Cunha da Camara Federal. Fora Dilma é muito vazio e não se sustenta numa reflexão mais apurada.

    ResponderExcluir
  3. Na época do Fora Collor, os caras pintadas faziam manifestacao com a garrafa de tatuzinho embaixo do braço. Hoje os manifestantes vao de Stella Artois na mão, bons tempos o de hoje.

    ResponderExcluir
  4. precisamos de GESTÃO, mais do que qualquer coisa!

    ResponderExcluir
  5. Achar que derrubando a presidente sem uma reforma política resolve o problema de corrupção é ignorância ou má fé mesmo. Em 2013 nos levantes de junho, a presidente propôs um plebiscito para a reforma, o congresso deu de lado e como os movimentos cessaram, ficou por isso mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Quando a mer...está fedento para a escória vermelha, eles logo mencionam a palavra mágica "Democracia", que na prática, esses vermes vermelhos nunca à praticaram! Na verdade eles usam o termo Democracia somente para enganar os ignorantes e inocentes úteis e inúteis; o que eles estão colocando em prática mesmo, é uma ditadura comunista! Alcançado esse objetivo maquiavélico, eles vão partir pra destruição total da família, coisa que já vem ocorrendo em menor grau no Brasil e no Mundo á fora; depois eles partirão para o assassinato dos que são contrários ao regime, e por último perseguirão os cristãos e os eliminarão! Isso, não ocorrerá somente no Brasil como também no mundo todo. Portanto a única saída é uma Guerra Civil, que poderá atrasar os planos Demoníacos do Governo ou Elite Global (a Nova Ordem Mundial ou Governo Único com queiram )! É preferível morrer lutando e, matando esses Vermes Satânicos, do que esperar pacificamente pela morte! Que Deus proteja à todos os Cristãos de Coração e Alma!!!!!!!!!!!!..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não somente o planeta. A Via-Láctea também corre perigo, nobre cavaleiro Jedi. Que a força esteja com você!

      Excluir
    2. Sabe o que é impressionante, deputado? É que as redes sociais estão cheias desse discurso de ódio - e as ruas também, especialmente em São Paulo e Rio Grande do Sul. É claro que os discursos são bem menos pitorescos, digamos assim...

      Excluir
    3. Esse aí, minha cara, em matéria de pitoresco, não pode ser suplantando. Será que nós somos cristão de coração e alma para sermos protegidos por esse Jedi?

      Excluir
  7. Gostei do artigo, espero que realmente o sr. seja um político diferente, como parece ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se iluda muito comigo. A minha única diferença é que reconheço os erros cometidos pela minha geração de políticos, tento não repeti-los, alerto os meus pares para não continuarem a praticá-los e tenho consciência de que nós estamos em apuros para prestar contas com a história.

      Excluir
  8. Inocêncio sem circo16/03/2015 17:14

    Para 14:16
    verdadeiro sol. A religião é apenas o sol ilusório que gira em volta do homem enquanto ele não circula em tomo de si mesmo.
    Conseqüentemente, a tarefa da história, depois que o outro mundo da verdade se desvaneceu, é estabelecer a verdade deste mundo. A tarefa inmediatada da filosofia, que está a serviço da história, é desmascarar a auto-alienação humana nas suas formas não sagradas, agora que ela foi desmascarada na sua forma sagrada. A crítica do céu transforma-se deste modo em crítica da terra, a crítica da religião em crítica do direito, e a crítica da teologia em crítica da política." Hegel (copiado da wikipedia)

    Essa aulinha vai de graça.

    ResponderExcluir
  9. Inocêncio sem circo16/03/2015 17:45

    É este o fundamento da crítica irreligiosa: o homem faz a religião, a religião não faz o homem. E a religião é de fato a autoconsciência e o sentimento de si do homem, que ou não se encontrou ainda ou voltou a se perder. Mas o Homem não é um ser abstrato, acocorado fora do mundo. O homem é o mundo do homem, o Estado, a sociedade. Este Estado e esta sociedade produzem a religião, uma consciência invertida do mundo, porque eles são um mundo invertido. A religião é a teoria geral deste mundo, o seu resumo enciclopédico, a sua lógica em forma popular, o c seu point d'honneur espiritualista, o seu entusiasmo, a sua sanção moral, o seu complemento solene, a sua base geral de consolação e de justificação. É a realização fantástica da essência humana, porque a essência humana não possui verdadeira realidade. Por conseguinte, a luta contra a religião é, indiretamente, a luta contra aquele mundo cujo aroma espiritual é a religião.
    A miséria religiosa constitui ao mesmo tempo a expressão da miséria real e o protesto contra a miséria real. A religião é o suspiro da criatura oprimida, o ânimo de um mundo sem coração e a alma de situações sem alma. A religião é o ópio do povo.
    A abolição da religião enquanto felicidade ilusória dos homens é a exigência da sua felicidade real. O apelo para que abandonem as ilusões a respeito da sua condição é o apelo para abandonarem uma condição que precisa de ilusões. A crítica da religião é, pois, o germe da crítica do vale de lágrimas, do qual a religião é a auréola.
    A crítica arrancou as flores imaginárias dos grilhões, não para que o homem os suporte sem fantasias ou consolo, mas para que lance fora os grilhões e a flor viva brote. A crítica da religião liberta o homem da ilusão, de modo que pense, atue e configure a sua realidade como homem que perdeu as ilusões e reconquistou a razão, a fim de que ele gire em torno de si mesmo e, assim, em volta do seu verdadeiro sol. A religião é apenas o sol ilusório que gira em volta do homem enquanto ele não circula em tomo de si mesmo.
    Conseqüentemente, a tarefa da história, depois que o outro mundo da verdade se desvaneceu, é estabelecer a verdade deste mundo. A tarefa inmediatada da filosofia, que está a serviço da história, é desmascarar a auto-alienação humana nas suas formas não sagradas, agora que ela foi desmascarada na sua forma sagrada. A crítica do céu transforma-se deste modo em crítica da terra, a crítica da religião em crítica do direito, e a crítica da teologia em crítica da política."

    Agora está completo, desculpem-me.

    ResponderExcluir
  10. Ismael Moraes16/03/2015 19:08

    Sempre nos presenteando com artigos bem parametrados, que resgatam a História e reconhecem com franqueza os desvios e os desvãos da política. Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Chega de lorota e conversa fiada,o PT acabou com moral de todos, uma grande obra do ZEZINHO DIRCEU, agora só resta acabar com esse governo que patina na sua própria incompetência, que se elegeu com um discurso e agora já mudou a musica, FORA DILMA !

    ResponderExcluir
  12. A democracia tem disso, o DR. ULISSES GUIMARÃES (é assim mesmo com todas as letras maiúsculas) estamos falando de um GRANDE HOMEM, começou a eleição com 40% das pesquisas e terminou com 4%, eta Brasil................ a Rede Globo, a poderosa, fechou com o Color de Mello e................deu no que deu!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.