10/12/2014

Circos, estoicos e epicuristas

Shot 011

Entre os papéis apreendidos em um escritório da UTC, cujo presidente, por suposto, presidia o “Clube das Empreiteiras”, foram encontrados documentos que revelam o encardimento dos mal lavados.

Em uma espécie de “comunicado circular”, a UTC anotou que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi "pressionado pela CNO para não aprofundar as investigações do Petrolão na CPI". Após a pressão, Aécio teria "escalado" para a CPI os senadores Álvaro Dias (PR) e Mario Couto (PA), apenas para "fazer circo".

Sugere a PF que a sigla CNO se refere à Construtora Norberto Odebrecht. Para dar pertinência às anotações da UTC, lembremos que foi noticiado, com a confirmação dos líderes do PT e do PSDB, que ambos fizeram um acordo para cozinhar a CPI em fogo brando.

Em um dos “boletins informativos” da UTC está sugerido que a "CPI será agressiva, mas não quer apurar nada, só gerar noticiário". Errou: nem agressiva foi. 

> Enquanto isso

Observa a Folha de S. Paulo que “7 dos 16 integrantes da CPI do Petrolão receberam doações de empreiteiras e empresas investigadas na Operação Lava-Jato na campanha eleitoral de 2010.”

E batiza os bois:

O relator, deputado Marco Maia (PT-RS), os senadores Humberto Costa (PT-PE), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Ciro Nogueira (PP-PI), e os deputados André de Paula (PSD-PE), Rodrigo Maia (DEM-RJ) e  Carlos Sampaio (PSDB-SP) receberam doações da UTC Engenharia, Mendes Junior, Galvão Engenharia, Estre Ambiental, Camargo Corrêa, OAS, Serveng, Civislan e Fidens Engenharia.

Mas não foram apenas candidatos que receberam, em 2010, doações das empresas investigadas na Lava-jato: os partidos também foram destinatários das bondades.

Os diretórios do PMDB do Maranhão, Rondônia e Paraíba receberam R$ 2,1 milhões da Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Iesa; o diretório do PT do Acre recebeu R$ 500 mil e o diretório do PTB de São Paulo recebeu R$ 300 mil.

Mas a soma de tudo o que os diretórios do PMDB, PT e PTB receberam das ditas empresas foi menor que um único partido, de um único Estado, recebeu delas: o PSDB de Minas Gerais recebeu R$ 5,8 milhões da Camargo Corrêa, Alusa, Odebrecht, Queiroz Galvão, Fidens e Mendes Junior. 

Vocês se lembram das lições de correspondência biunívoca? Minas Gerais corresponde a quem do outro lado do conjunto?

Como sói ver, os estoicos tucanos receberam mais doações curvilíneas do que os epicuristas que eles querem pilhar, o que nos permite concluir que os emplumados conseguem, mesmo fora do governo, receptar de quem está nele.

2 comentários:

  1. Por que será que até o momento a Construtora Norberto Odebrecht, umas das empreiteiras que mais ganhou obras e concessões governamentais, ainda não apareceu na operação lava jato? É muito estranho o silencio para esta gritante ausência! Qual a sua opinião Deputado Parsifal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lava-jato alcança apenas os negócios com a Petrobras. A CNO não teve, ou não foi selecionada, no período, contratos com a petroleira.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.