08/10/2014

Laços de família

Shot 008

Fortuna da família do governador Simão Jatene pode chegar a mais de R$ 40 milhões. Postos de gasolina de Beto Jatene faturam 21,6 milhões por ano e valem pelo menos R$ 15 milhões. Fazendas, terrenos e empreendimentos imobiliários de Eduardo Salles, sobrinho de Jatene, alcançam quase R$ 15 milhões. Apartamentos de luxo da família do governador valem mais de R$ 3 milhões. E ainda falta contabilizar casas noturnas e cabeças de gado.”

O título quilométrico acima, marca registrada da jornalista Ana Célia Pinheiro, que assina o blog “A Perereca da Vizinha”, anuncia o que diz: a suposta fortuna acumulada pelo governador Simão Jatene e familiares. Ana Célia poupou os agregados, ou os números não caberiam no título.

A postagem escreve que “a fortuna da família Jatene alcança pelo menos R$ 37,3 milhões” e faz uma sumária resenha do amealhado: “postos de gasolina, terrenos, fazendas, empreendimentos imobiliários e apartamentos de luxo”, advertindo que na conta dos R$ 37,3 milhões, não se incluem “os carros, rebanhos bovinos e casas noturnas.”.

Mas dá nomes aos bois, mais abaixo, contando que “as maiores fortunas são de Alberto Lima da Silva Jatene, o ‘Beto Jatene’, filho do governador; e de Eduardo Salles, sobrinho de Jatene.”.

Ana Célia se pergunta “de onde vem o dinheiro”, afinal, afirma ela, “todos esses parentes milionários, à exceção de Eduardo Salles, sempre foram apenas funcionários públicos”, e dedilha os cargos: Beto Jatene é assessor de órgãos públicos estaduais desde 2000; a mulher dele é assessora no TJE, desde 2006; Izabela Jatene, filha do governador, é professora da Universidade Federal do Pará; o marido dela é assessor, “há anos”, do Tribunal de Contas dos Municípios.

Observa Ana Célia que o próprio Jatene “veio de família tão modesta que teve até de tocar em bares, para pagar os estudos, como ele mesmo já cansou de afirmar.”, mas isso, desculpe-me ela, não é, por si só, índice de obliquidades, pois há muitas fortunas iniciadas em um banquinho e um violão, se bem que é verdade que a fortuna mais rápido vem se do banquinho e do violão se sai para o Palácio dos Despachos.

Depois de matar a cobra a jornalista mostra o porrete com a qual a lambou, apresentando fac-símiles dos contratos sociais das empresas de postos de gasolina das quais Beto Jatene é sócio e CNPJ de empresas nas quais Izabela Jatene tem cotas. Além disso, apresenta minucioso estudo comparativo com bens similares postos à venda no mercado, que usou para precificar o patrimônio da família em referência.

É fato que a jornalista vem apresentando reportagens de similar teor desde 2006, das quais escreve ligações no corpo da postagem, mas, ao que parece, o Ministério Público Estadual não lê “A Perereca da Vizinha”.

É que o MPE deve ter certeza de que tudo não passa de intriga de uma oposição amoral e invejosa, afinal, na província do Grão Pará, a bipolaridade das aleivosias vive de ponta cabeça, restando-nos o chiste do senador estadunidense Adlai Stevenson, que respondeu certa feita a um jornalista que o apoquentava pela sua boca ferina: “Se meus inimigos pararem de dizer mentiras a meu respeito, eu paro de dizer verdades a respeito deles.”.

Para ler a postagem completa clique aqui.

20 comentários:

  1. e a fortuna dos Barbalhos ... e a fortuna dos Lulinhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente! Pelo visto a família Jatene não tem moral para falar sobre enriquecimento ilícito.

      Excluir
    2. Tudo gente honesta, enriqueceram servindo o povo. Só os outros é que são larápios.

      Excluir
  2. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1528994-stf-aceita-denuncia-contra-senador-jader-barbalho.shtml

    ResponderExcluir
  3. Seria interessante ela fazer uma investigação dessas na vida dos Barbalhos. SQN.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o que o post quer mostrar é que, pelo o menos, nesse sentido, ambos são iguais...quem disser qq outra coisa quer tapar o sol com a peneira...

      Excluir
  4. Ricardo, o algoz.08/10/2014 10:51

    Eu sempre ouvi falar que um erro não justifica o outro, ô anônimo das 09:21hs! Ou você é a favor "ladroagem"?

    ResponderExcluir
  5. Ricardo, o algoz.08/10/2014 10:52

    Eu sempre ouvi dizer que um erro não justifica o outro, anônimo das 09:21hs ! Ou você é a favor da "ladroagem"?

    ResponderExcluir
  6. Francisco Marcio08/10/2014 13:55

    A blogueira tem muito, muito mais de famílias que enriqueceram no Para, depois de adentrarem na política. Vossa Excelência conhece outras?

    ResponderExcluir
  7. Carlos Simas08/10/2014 14:07

    Falar em Laços de Família deputado, por favor, né? Sem comentário. Enfim, Vc tenta esconder o que há de ruim da família Barbalho (Jader e Cia), apontando esse mal em uma outra pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o que o post quer mostrar é que, pelo o menos, nesse sentido, ambos são iguais...quem disser qq outra coisa quer tapar o sol com a peneira...

      Excluir
  8. a perereca deve esta comendo o grilo.pois ela nao faz uma reportagem mencionando as terras do lulinha, que so no sul do para vao de xinguara a maraba uma media de 284 km de terras fora a boiada.essa perereca ta mais para uma cobra sagas.

    ResponderExcluir
  9. Salvo o sobrinho de Jatene, os outros mencionados na pastagem, pelo menos têm empregos. Suas carreiras profissionais não se resumem a mandatos políticos.
    Concluindo, a fortuna da família Jatene já chegou a fortuna 50% da família de Jader? (Inclua o sobrinho patrimônio das ex e atual -esposas, sobrinhos e assessores próximos)

    ResponderExcluir
  10. CARAMBA! Corrupção e Enriquecimento Ilícito são crimes e devem ser punidos, venham de onde vierem, sejam praticados por quem quer que seja. O erário deve servir à causa pública e ser instrumento de dignidade e humanismo ao mais significativo dos valores humanos: "A VIDA". Corrupção e Enriquecimento Ilícito deveriam ser punidos com a PENA DE MORTE! CARAMBA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o Anônimo de 8 de outubro de 2014 20:29. Queremos que a todos seja reconhecido o direito de viver com justiça e dignidade, quando a fartura e o bem-estar não forem mais o privilégio de poucos, e sim o direito e a herança natural de todos. A CORRUPÇÃO e o ENRIQUECIMENTO ILÍCITO agravam e perpetuam as desigualdades sociais, excluindo - ainda mais - os que não têm o indispensável para viver e que necessitam da presença do poder público. A CORRUPÇÃO e o ENRIQUECIMENTO ILÍCITO violentam gravemente o valor do Brasil como nação diante do mundo, e a grandeza do Brasil diante de si mesmo, como coletividade de seres humanos. O valor da nação deriva - antes de tudo - do seu regime de vida social. As nações se constróem com o suor dos humildes e com o heroísmo dos abnegados. Concordo que os crimes de CORRUPÇÃO e ENRIQUECIMENTO ILÍCITO devem ser apenados com a PENA DE MORTE.

      Excluir
  11. Post ridículo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o que o post quer mostrar é que, pelo o menos, nesse sentido, ambos são iguais...quem disser qq outra coisa quer tapar o sol com a peneira...

      Excluir
  12. Nunca ninguém vai saber a real fortuna desse povo do PSDB porque no tempo das privatizações não se investigava nada.A polícia federal era engessada e não se instaurava nenhum inquérito como agora.Ninguém era investigado.Aqui mesmo no Pará existe um grande escândalo envolvendo a privatização da Celpa que se fosse devidamente investigado faria cair a máscara de muita gente "honesta"

    ResponderExcluir
  13. Depois que a Perereca ganhou uma casa em Anaindeua do Barbalho, ela mudou de lado.

    ResponderExcluir
  14. Nobre Deputado,
    Realmente, Jatene tem se revelado um excelente pai de família zeloso e responsável pelos interesses familiares um verdadeiro prodígio. Aliás, o blog do Claudio Humberto publicou ontem o seguinte"...A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai abrir ação penal contra o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) pelos crimes de formação de quadrilha, crimes contra o sistema financeiro nacional e por lavagem de dinheiro.
    O processo corre em segredo de Justiça, por isso não há muitas informações sobre as acusações contra o parlamentar. Essa denúncia tramita no STF desde 2008. Teve origem no Ministério Público Federal de Tocantins.
    O pemedebista já responde a outras cinco ações penais no STF. Os processos que cobram a punição de Barbalho, pelo desvio de dinheiro público da Sudam são de iniciativa dos procuradores do Ministério Público Federal do Pará, Amazonas, Tocantins e Mato Grosso. Segundo as investigações o rombo, seria de mais de R$200 milhões...' como se vê também mais um pai de família zeloso e responsável pelos interesses familiares, pena que estes dois honrados e zelosos pais de família não sejam tão bons gestores públicos para também contribuírem para o aumento do patrimônio do povo paraense.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.