18/07/2014

Marcelo Almeida é o candidato mais rico do Brasil

O candidato mais rico do Brasil é o paranaense Marcelo Beltrão Almeida, 47, que concorre ao Senado pelo PMDB.

Com patrimônio declarado ao TSE de R$ 740,5 milhões, Marcelo é um dos herdeiros do falecido Cecílio do Rego Almeida, que construiu, nos fartos tempos da ditadura militar, quando as grandes obras de infraestrutura eram dadas a quem os generais mandavam, um dos maiores conglomerados empresariais do Brasil, o grupo CR Almeida, que reúne empresas nos ramos de construção pesada, portos, logística, mineração, pedágios e concessão de estradas, que totalizam um patrimônio na beira dos R$ R$ 10 bilhões.

Shot 004

Cecílio, o falecido patriarca dos Rego Almeida, ficou conhecido no Brasil pela “Fazenda Curuá”, no Pará, que com 4,8 milhões de hectares, tornou-se a maior propriedade privada do mundo (a área era maior do que a Holanda).

O Ministério Público Federal considerou a aquisição da fazenda a "maior grilagem do mundo", e a Justiça Federal ordenou, em 2011, que a área fosse devolvida à União.

Foi a família Rego Almeida quem processou o jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto, porque esse chamou Cecílio de “grileiro” em seu Jornal Pessoal, e a Justiça do Pará condenou Lúcio Flávio ao pagamento de indenização por danos morais.

A campanha de Marcelo Almeida custará R$ 6 milhões e ele mesmo a custeará.

Uma jornalista questionou Almeida sobre a contradição de, sendo um rico empresário, Marcelo disputar uma eleição majoritária ao lado de Roberto Requião (PMDB-PR) tido como “um homem de esquerda”: "Fui vereador mais à esquerda que o PT. Tenho voto no PSTU, no PSOL, todas as portas abertas no PT. Não é porque eu tenho um patrimônio grande que seja obrigado a ser de direita."

Bem, nem Requião e nem o PT são de esquerda, mas com um patrimônio de quase R$ 1 bilhão, Marcelo não é obrigado nem a ser senador, que dirá ser de direita.

6 comentários:

  1. Aí está o supra-sumo da esquerda caviar (ou simplesmente esquerda; no Brasil não tem outra que não seja essa): faz parte de grupos que dizem se solidarizar com a pobreza e a desigualdade, que todos devem contribuir para ajudar os desfavorecidos, mas tirar uma moeda do próprio bolso e colocar esse discurso na prática, não faz.

    Enquanto isso, eu, que tenho 0,2% do que esse aí tem e destino metade da minha renda pra custear um orfanato, quando digo que sou de direita, sou xingado por essa turma de grandes humanistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo, amigo! Tb sou de direita. As pessoas demonizam a nós só pq somos de direita. Impressionante!

      Excluir
  2. Anonimo, 1.480.000,00 está bem na foto.

    ResponderExcluir
  3. Francisco Marcio19/07/2014 23:00

    Esperemos, já que detém esse irrisório patrimônio, que a tunga na bolsa da viúva seja moderada ( acreditar que não vai haver tunga, é acreditar em nota de 3 reais )...

    ResponderExcluir
  4. Há muito tempo aprendi que não existe esquerda e direita na politica. Existe o poder!

    ResponderExcluir
  5. Lógica (?) esquerdista:

    Odeio o capitalismo mas nao abro mão de coca-cola, big mac, meu iPhone, meu MAC book, 3G, internet e tudo mais de bom que ele proporciona!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.