14/07/2014

Governo do Estado aumenta os repasses do FDE ao municípios em 580% em ano eleitoral

Shot 029

Sob o complacente olhar do Ministério Público, Simão Jatene abre os cofres em ano eleitoral para cooptar adversários e dar torque aos aliados.

Ao cavucar os repasses do Fundo de Desenvolvimento do Estado (FDE) às prefeituras, em 2014, constata-se que Jatene fez como Marco Ferreri em “A Comilança”: escorraçou a frugalidade.

Em 2013 o FDE repassou às prefeituras cerca de R$ 6,5 milhões. No 1° semestre de 2014 a caneta ensopou o mata borrão: foram repassados às prefeituras R$ 44,2 milhões, o que é um acréscimo de 580% em apenas seis meses: o suficiente para qualquer meirinho processar o governador por abuso de poder político e econômico.

> Mateus, primeiro os teus

A descerimônia com o erário em proveito eleitoral fica clara quando se desvela o perfil dos repasses: das 82 prefeituras que receberam os cheques, mais da metade, 56, são manejadas por prefeitos do PSDB ou de partidos da base aliada.

A soma do que as ditas comunas abocanharam representa 68% do total dos valores repassados, o que comprova o favorecimento político.

> Repasses ao PSDB em 2014 

> Repasses ao PSD em 2014

> Repasses ao PPS em 2014

Shot 006

> Repasses ao PSB em 2014

Shot 008

> Repasses feitos ao PSC em 2014

Shot 010

> Repasses feitos ao SDD em 2014

Shot 012

> Repasses feitos ao PP em 2014

Shot 014

> Repasses feitos ao PTB, PMN e PRP em 2014

Shot 016

Shot 017

Shot 018

A soma dos quadros acima revela que Jatene contemplou 56 prefeituras da sua base, com um total de R$ 30.256.799,10.

Agora vejamos o que foi destinado às prefeituras de partidos que fazem oposição a Simão Jatene.

> Repasses feitos ao PMDB em 2014

Shot 021 

> Repasses feitos ao PT em 2014

Shot 023

> Repasses feitos ao PR em 2014

Shot 025

> Repasses feitos ao DEM em 2014

Shot 027

A soma dos quadros acima revela que enquanto Jatene contemplou 56 prefeituras aliadas com um total de R$ 30.256.799,10, aos seus adversários repassou apenas R$ 9.421.090,00 a 26 prefeituras.

> A diferença aumenta

Algumas prefeituras no quadro de “oposição”, na verdade são aliados de Jatene. As prefeituras do DEM, por exemplo, todas foram contempladas ainda sob o signo de que o partido era aliado do PSDB, portanto, é correto suprimir os repasses do DEM e somá-los aos repasses da base aliada, quando teremos o placar de R$ 31.426.665,26 X R$ 8.251.223,84, o eleva o percentual de favorecimento para 72% do total repassado e demonstra, indubitavelmente, o favorecimentos político com o dinheiro público, configurando crime de abuso de poder.

> Critérios politiqueiros

Os critérios usados para os repasses desmascaram a falsa ética tucana e revelam uma desavergonhada politicagem de pé de serra: Prainha e Terra Santa, governadas pelo PSDB e PSD, com 29 mil e 17 mil habitantes respectivamente, receberam, cada uma, R$ 1,2 milhão; Castanhal, com 184 mil habitantes, obteve do FDE apenas R$ 233 mil. O prefeito é do PMDB.

Descendo ao perau, a incúria da ética de ponta cabeça do tucanato rompe os limites: Melgaço tem o pior IDH do Brasil e recebeu R$ 134 mil, e Anajás, com o maior índice de malária desta sesmaria, recebeu R$ 240 mil. Chaves, um dos mais baixos IDHs do Brasil, recebeu R$ 100 mil, menos que Melgaço e Anajás, pois é do PMDB.

Mas se os três ao norte choram, Santa Cruz do Arari soluça: recebeu R$ 11 mil. O prefeito é do PT.

> E fica por isso mesmo?

O Ministério Público Federal tem em mãos provas do estelionato eleitoral perpetrado pelo governo, que passou os três anos anteriores sem servir pão ou água e em pleno ano eleitoral distribui, sem critério legal algum, dinheiro em praça pública, privilegiando os seus apaniguados, na mais anciã prática da torta política nacional.

> Limite rompido antes de começar

O governador declarou ao TRE-PA que pretende gastar R$ 18 milhões na sua campanha de reeleição. R$ 44,2 milhões foram gastos antes de começar o jogo, portanto ele já estourou o limite em R$ 26,2 milhões, e a conta tende a aumentar o indébito, pois, como dizia o meu pai, “quem atira com a pólvora alheia não toma chegada.”.

20 comentários:

  1. é sempre um absurdo essa diferença, mas fazendo algumas regras de 3 simples chegamos a conclusao que o governador destinou 67% aos governos de oposição em realação ao destinado aos da situação! é um absurdo mas a diferença nao é tamanha! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matemática é exata: ou a conta está certa ou está errada. Sem o DEM o percentual é de 68% e com o DEM sobe para 72%. Os percentuais são aproximados pois os números foram arredondados.

      Excluir
  2. Deputado, isso já é tradição. Vamos esperar 2018 quando os nossos Tribunais Superiores falarem que é legal, e os candidatos são elegíveis.

    ResponderExcluir
  3. Eu colocaria o PR na situação pois ali estiveram mamando o mandato todo e alguns prefeitos do PR são Jatene declarados. a diferença vai passar do 80%.

    ResponderExcluir
  4. Deputado, nada de novo em qualquer governo. Todo governante, em qualquer parte desse Brasil deve fazer isso. Procure algo melhor para atacar seu adversário. Falar nisso, comente a explicação dada pelo governador sobre sua declaração de bens ao tribunal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E desde quando informação é ataque a adversários? Há aí uma informação e o leitor a lê e critica conforme o que lhe parece. Para você, é normal, algo assim na base do "namora pai, namora mãe, namora filha, eu também sou da família eu também vou namorar", ou seja, como eu quero demonstrar, o Jatene prega a ética mas não passa de um imoral, segundo você, como todos os outros.
      Eu não sei o que o Jatene falou sobre a declaração de bens dele. Ele não me deu a honra. Por favor, indique-me onde essa explicação foi dada que terei prazer em postar.

      Excluir
    2. Bom deputado, vc parece bem informado, pensei que já soubesse da explicação do Jatene, mas vamos lá, vc encontrará no facebook dele:

      https://www.facebook.com/sjatene?fref=ts

      Excluir
    3. Na primeira postagem de amanhã eu comentarei a "explicação" e farei o link para ela para que todos a leiam.

      Excluir
  5. Essa conta está incompleta, pois ainda falta colocar asfalto na cidade, que já gastou 90 milhões.

    ResponderExcluir
  6. Deputado Parsifal. Esta pratica não fere a lei de responsabilidade Fiscal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, pois se o Estado tem a previsão orçamentária e o financeiro, do ponto de vista fiscal não há problema. A questão aí é o abuso de poder político mesmo, pois está cristalino que o incremento dos repasses é vultuoso e se dá em ano eleitoral.

      Excluir
  7. Francisco Márcio14/07/2014 17:21

    Parafraseando: é a política, estúpido ( com todo respeito )!

    ResponderExcluir
  8. Deputado, a política brasileira têm dessas peculiaridades, que são utilizadas pelos governantes de plantão. E por todos os partidos, em todas as esferas de governo, inclusive no Congresso Nacional. A prática é comum ao PMDB, ao PT e a qualquer um que tenha o segredo do cofre na hora das eleições.
    Hipocrisia seria acharmos que apenas os adversários fazem isto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está correto, infelizmente isso virou paisagem para nós e ficou na base de "ou restauremos a moralidade ou nos locupletemos todos" e nós decidimos pelo ou final.
      Discordo, todavia, do seu epílogo. Achar que apenas os adversários fazem isso seria ingenuidade. Hipocrisia é pregar ética e moralidade públicas e agir na base da locupletação do mal costume.

      Excluir
  9. Deputado, marabá, não levou porra nenhuma do Simão lorota?

    ResponderExcluir
  10. O Jatene comentou sobre a sua declaração de bens no Facebook Deputado, contando uma "estoria" para boi dormir !!! Só acredita quem quer...

    Lucibaldo Franco

    ResponderExcluir
  11. Mas dep. Se está prática não afronta a lei de responsabilidade fiscal, posso lhe garantir que fere de morte a lei eleitoral. Basta o MPE agir!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.