02/05/2014

O pagador de palmas

Na terça-feira (29), o deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP), escolhido pelo seu partido para fazer, em plenário, a defesa da aprovação de um projeto de lei que altera a “Lei dos Caminhoneiros”, subiu à tribuna e cumpriu a sua missão, sob os aplausos constantes de cerca de 300 caminhoneiros que faziam lobby na Casa pela aprovação do projeto.

cami

Terminada a votação, que aprovou o projeto, a equipe do “Correio Braziliense” dirigiu-se ao gabinete de Marquezelli para entrevistá-lo onde percebeu grande movimentação da claque que o aplaudia minutos antes, que era orientada a ir até o 10º andar da Câmara.

O faro do jornalista André Shalders o fez seguir, com a sua equipe, os caminhoneiros que aplaudiam Marquezelli com tanto fervor, até o 10º andar. Ao chegar lá, Shalders ganhou o dia: servidores com crachás da Câmara Federal, com uma lista nas mãos, faziam o pagamento dos caminhoneiros pelas palmas proferidas à emocionada defesa do deputado Marquezelli.

Ao verem que estavam sendo filmados, os servidores interromperam o pagamento e desceram. A equipe do Correio os seguiu até a garagem, onde o pagamento do soldo continuou.

Não é crime pagar para receber palmas e o deputado Marquezelli não é o primeiro e nem o último a lançar mão dessa iguaria fútil, mas a Câmara Federal, para evitar esses constrangimentos, deveria instalar no som da Casa um mídia com vivas ou apupos, que seriam tocadas ao gosto e conveniência de cada um que se fizesse à tribuna, tipo aqueles programas de TV de antigamente, em que a audiência batia palmas, ria, ou vaiava, conforme o comando da sonoplastia.

Sairia menos caro.

4 comentários:

  1. When someone writes an paragraph he/she maintains the plan of a user in his/her brain that how a user can understand
    it. Thus that's why this piece of writing is great.
    Thanks!

    Feel free to surf to my page :: solatube Cape Town

    ResponderExcluir
  2. Pra você ver deputado, como é fácil fazer um governador ser vaiado. kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que, no caso de Marabá, mais de 10 ônibus foram pagos com alunos para aplaudi-lo e, ao que se viu, e pelo que você sugere, só cumpriram a parte do trato, os que foram pagos para vaiá-lo, porque não houve aplausos.

      Excluir
  3. When I initially commented I appear to have clicked on the
    -Notify me when new comments are added- checkbox and now each time a comment is added I receive four emails with the same comment.
    There has to be a way you can remove me from that service? Cheers!


    Feel free to surf to my weblog home-page

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.