03/04/2014

Ponte sobre o Rio Moju: governo cai na real e declara prazo de 1 ano para reconstrução

O governo do Estado tropeça no açodamento: um dia depois do abalroamento da ponte sobre o Rio Moju, o secretário de Transportes anunciou que em 24 horas haveria um laudo pericial e em 6 meses a ponte estaria recuperada.

Considerei a declaração daqueles apertados prazos uma temeridade, mormente quando declinados por um secretário com formação em engenharia.

Na postagem sobre o assunto, vendo as dezenas de fotografias que me chegaram, opinei que a recuperação, ou reconstrução total da ponte, poderia durar não menos de 24 meses.

Shot016

Passados 10 dias, a perícia, que seria feita em 24 horas, sequer começou – e não tem como começar – e ontem (2), o secretário de Transportes, Eduardo Carneiro, declarou a “O Liberal”, que em “em 40 dias, serão retirados os destroços” e “somente depois da remoção é que a consultoria contratada pelo governo do Estado começará a elaborar projetos.”.

Em seu fluxo de sensatez, o secretário também declarou que “a solução definitiva para o problema só virá em um ano”, o que passa a aferir razoabilidade ao discurso e é índice de que o Governo pretende realizar a obra com dispensa de licitação.

Pelo sim, pelo talvez, mantenho o prazo de 24 meses: o seguro morreu de velho e o desconfiado ficou para o enterro.

> E os responsáveis?

inter

Mas o que eu ainda não ouvi é quais providências o Governo toma para que as empresas envolvidas no episódio paguem cada centavo do prejuízo causado ao Estado, inclusive as despesas com as balsas que baldeiam os veículos de lado a outro do Rio Moju.

6 comentários:

  1. Wilson - Tucuruí03/04/2014 10:58

    Tive informações de que a ponte localizada no desvio pelo Acará também ruiu, interditando aquela unica via de contorno nesta madrugada. Pessoas vararam a noite na fila das balsas do Moju, pois somente uma delas estava em funcionamento e só conseguiram embarcar agora pela manhã. Se este governo até o momento não tomou nenhuma providencia para minorar o sofrimento da população do sul do Pará, você acha que ele ira se indispor com a Agropalma e a empresa dona da balsa acidentada neste período pré eleitoral? Como já comentei em outro post, a unica coisa que este governo está sonhando no momento é com uma "dispensa de licitação" e todos sabem o motivo. Quanto ao povo do sul do Pará, certamente o Governador comunga com aquele pensamento da ex-ministra do Governo Collor, Zélia Cardoso de Mello, de que " O povo é só um detalhe"! Enquanto isso, ficamos com nossa "poupança" em frangalhos ao fim de cada viagem para a região.

    ResponderExcluir
  2. A queda dessa ponte tem digitais Barbalhicas ....duvido que não. Manchetes no Diário da Fofoca. Comparar a queda ao Governo do Jatene. Barbalhão é intimo desse povo que tem licença pra utilizar as balsas pra levar e trazer o povo de um lado pro outro(esse garimpo sem malária)....(os caras vão ganhar rios de dinheiro..). Essa demora ai vai jogar o povo contra o governo... o Ex prefeito de Moju (Iran Lima) sabe como tudo foi construído por ai. Só besta não faz essa leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se iluda, seu patrão, já era

      Excluir
    2. É, dizem inclusive que, em um pai de santo, o Barbalho falou com o espírito do Almir Gabriel, que morreu zangado com o Jatene e continua chamando-o de preguiçoso, e pediu para o Almir baixar no timoneiro da balsa na hora que essa fosse passar pela ponte.
      O Almir Gabriel tomou na hora. Disse que ele fez a ponte para eleger o Jatene e iria derruba-la só de picica.

      Excluir
  3. A alça viária, foi na época de sua construção, a alça aposta no mala sem alça,. Simão Jatene, para fazer-lo governador, quando nunca havia sido eleito nem mesmo para síndico de edificio pequeno.
    Agora a mesma alça vai deselege-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo culpa do Algos do PT,na epoca: EDMILSON RODRIGUES. Duvido que ele não saberia o preço da passagem de ônibus da capital do estado e da caixa prego tambem. esse perdeu o cavalo selado.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.