02/03/2014

Partir pro contra-ataque

O entrevistado é o jornalista Ricardo Boechat.

3 comentários:

  1. Viver não é preciso... é perigoso!

    ResponderExcluir
  2. Entregar R$1 bilhão de receita (dinheiro vivo), para lá na frente atrair três bilhões de investimentos?, é coisa de amador! um tiro no pé. Comparar receita líquida com investimentos, loucura de economistas que não aprovaram o primeiro semestre da faculdade.

    O que pensa Deputado, o PMDB vai seguir a mesma política de trocar receita líquida por promessas?

    Veja abaixo parte da matéria (diversas) do O Liberal.

    O Pará deverá abrir mão de R$ 1,13 bilhão em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) neste ano, para tentar atrair cerca de R$ 3 bilhões em investimentos. A expectativa é da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), que estima o retorno de R$ 3, para cada R$ 1 em incentivo fiscal. Essa política de renúncia fiscal, apontada pela secretaria como agressiva para vencer a guerra fiscal, visa deslanchar a economia do Estado com a atração de um grande volume de indústrias e empresas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li a matéria. Sou totalmente contra renúncias tributárias não vinculadas, feitas como quem joga sementes na areia esperando crescer girassóis na praia. Farei um pronunciamento na Alepa discordando.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.