17/03/2014

O novo bicho do jogo do bicho

roleta

Não de hoje flagram-se contraventores em conluio com políticos ou autoridades que lhes deveriam combater. No Pará, mais de uma vez, evidências autorizam intuir que a prática é contumaz.

Matéria de o “Diário do Pará”, edição de ontem (16), reporta que no jogo do bicho pode haver um novo bicho: o tucano.

> Efeito Dominó

Os indícios estão no inquérito da operação “Efeito Dominó”, realizada em setembro de 2013, quando entre outros, foram presos o paraense João Vidal, vulgo Jango, e o carioca Luizinho Drumond, que a polícia afirma serem banqueiros de bicho no Pará e no Rio de Janeiro, respectivamente.

A ligação tucana com o zoológico seria através do presidente do diretório municipal do PSDB de Belém, Fabrício Gama, que priva dos cafezinhos do governador Simão Jatene e do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho.

> Gravações

Shot002

Não é possível a Fabrício e Jango negarem a proximidade, pois a polícia gravou diálogos entre os dois nos quais esbanjam intimidade.

Em um dos diálogos, Jango liga para Fabricio, que revela estar em “uma inauguração com o governador”, para avisá-lo dos movimentos da campanha de Zenaldo à prefeitura de Belém. Na euforia da vitória Jango se compromete a eleger Fabrício Gama deputado estadual “somente no Jurunas”.

> Meras coincidências…

coinci

Coincidências autorizam o “Diário do Pará” a tecer conjecturas: “Jango é presidente da escola de samba Rancho Não Posso Me Amofiná. Luizinho Drumond é patrono da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, do Rio de Janeiro, que homenageou o Pará no carnaval de 2011, no primeiro ano de governo de Simão Jatene. Fabrício é o presidente da Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial de Belém, anteriormente presidida por Waldir Fiock, também preso na operação Dominó, sob a acusação de integrar o comando do Parazão.”.

> Esperando com o negócio

Em um dos telefonemas gravados Jango liga para Fabrício e ordena: “É pra vires pra cá agora, agora! Tô esperando vocês aqui já, com o negócio”. Alguém aí tem ideia do que seria esse “negócio”?

Candidato em campanha vai ao céu e ao inferno, não significando que ele seja cristão ou pagão. Revela uma das gravações que Jango ligou para um chefe de turma, para enviar pessoal para a frente da sua residência, pois “o Zenaldo vai estar aqui na frente de casa daqui a 20 minutos”.

Como Jango não adivinha, supõe-se que a ida à frente da casa dele foi previamente avisada por quem tinha comando dentro da campanha, a ponto de agendar uma passada por lá.

> Teoria do Domínio do Fato

Talvez essas insalubridades expliquem o porquê das gravações da “Efeito Dominó” nunca terem vazado e os presos não terem passado tanto tempo quanto Carlinhos Cachoeira na prisão.

O efeito dominó cessará no andar de baixo, a não ser que as autoridades policiais e judicias resolvam fazer como o STF no mensalão, e trazer ao paço a leitura deles da teoria do domínio dos fatos.

7 comentários:

  1. Deputado,

    que pensa dessa nota do Hiroshi?

    A frase é de um prefeito do Sul do Pará.

    A pergunta, adornando o título, é do poster.

    A história segue.

    No aeroporto de Belém, neste final de semana, encontramos dois prefeitos da região aguardando voo da TAM com destino a Marabá.

    No bate-papo natural entre jornalista e os políticos, inevitavelmente a eleição de outubro pontuou as conversas.

    Os dois prefeitos, assumidos apoiadores da pré-candidatura de Helder Barbalho ao governo do Estado, demonstraram insatisfação com a situação dúbia do deputado estadual Parsifal Pontes (PMDB), de coordenador da campanha do peemedebista e candidato a deputado federal.

    Aspas ao que disseram.

    “O Helder quer eleger o Parsifal de qualquer maneira, deputado federal. E o Parsifal, usando a condição de pré-coordenador da campanha do Helder, invade territórios, cooptando lideranças políticas, com o apoio formal do Helder”, disse um deles.

    “Eu não vou aceitar esse tipo de candidatura imposta de cima pra baixo. Tenho meus interesses políticos no meu município e acordos firmados anteriormente. Prefiro deixar a candidatura do Helder do que me submeter a essa situação”, narra o outro.

    Um dos prefeitos, mais irritado, chegou a cunhar a seguinte frase:

    - “Antes mesmo do Helder assumir o governo, se vier a assumir, ele já tem o Puty dele, o Parsifal” - fazendo alusão maldosa a situação atribuída ao então Chefe da Casa Civil do ex-governo Ana Júlia, atual deputado federal pelo PT, de que ele manobrava o governo medindo a direção do vento sempre a ser favor , criando, com isso, atritos em diversos planos da administração pública – com efeitos danosos na área política.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preocupações nas hostes adversárias...nada mais!

      Excluir
  2. Ei, deputado, o senhor ganhou um prêmio: É o Puty do Hélder. Será????
    http://www.hiroshibogea.com.br/o-puty-do-helder-e-o-parsifal/

    ResponderExcluir
  3. Rá rá rá rá..é Herodes......já estas causando problema por ai:


    17

    “O Puty do Helder é o Parsifal”?

    segunda-feira , 2014, 9:42 / 1-Comentários




    A frase é de um prefeito do Sul do Pará.

    A pergunta, adornando o título, é do poster.

    A história segue.

    No aeroporto de Belém, neste final de semana, encontramos dois prefeitos da região aguardando voo da TAM com destino a Marabá.

    No bate-papo natural entre jornalista e os políticos, inevitavelmente a eleição de outubro pontuou as conversas.

    Os dois prefeitos, assumidos apoiadores da pré-candidatura de Helder Barbalho ao governo do Estado, demonstraram insatisfação com a situação dúbia do deputado estadual Parsifal Pontes (PMDB), de coordenador da campanha do peemedebista e candidato a deputado federal.

    Aspas ao que disseram.

    “O Helder quer eleger o Parsifal de qualquer maneira, deputado federal. E o Parsifal, usando a condição de pré-coordenador da campanha do Helder, invade territórios, cooptando lideranças políticas, com o apoio formal do Helder”, disse um deles.

    “Eu não vou aceitar esse tipo de candidatura imposta de cima pra baixo. Tenho meus interesses políticos no meu município e acordos firmados anteriormente. Prefiro deixar a candidatura do Helder do que me submeter a essa situação”, narra o outro.

    Um dos prefeitos, mais irritado, chegou a cunhar a seguinte frase:

    - “Antes mesmo do Helder assumir o governo, se vier a assumir, ele já tem o Puty dele, o Parsifal” - fazendo alusão maldosa a situação atribuída ao então Chefe da Casa Civil do ex-governo Ana Júlia, atual deputado federal pelo PT, de que ele manobrava o governo medindo a direção do vento sempre a ser favor , criando, com isso, atritos em diversos planos da administração pública – com efeitos danosos na área política.

    Tweet









    Um comentário






    Paulinho Velha Marabá


    O Puty do Helder é o Parsifal!
    E o Puty do Parsifal é o Josenir!
    Aí, meus amigos, estamos ferrados….KKKKKK

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a todos a ajuda de para cá trazer a nota do conceituado Blog do Hiroshi. Já respondi lá, e para que não seja necessário replicar aqui, peço o obséquio de lerem lá.

    ResponderExcluir
  5. Só agora a RBA e o Diário dão importância aos fatos do jogo do bicho, por causa da questão politica, pois antes tinham negocios tb com os bicheiros q faziam anuncio online no diario, atraves das suas maquininhas e o seu apresentador RONALDO PORTO q tb é advogado dos bicheiros.

    ResponderExcluir
  6. Pra mim, o deputado é o Charles Alcântara do Helder. E rogo que o Helder, se eleito, não encontre um Puty para puxar o tapete do seu Charles.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.