11/03/2014

Não pouco, porém não tão muito

Shot004

A Fundação Carlos Chagas parece ser a menina dos olhos dos órgãos que promovem concursos públicos. A questão a ser desvelada, todavia, é o porquê do MPE-PA ser tão mais generoso com ela do que as demais instituições que a contrataram para o mesmo fim.

No caso do Pará, pesa em desfavor do MPE, ainda, o fato de existir uma determinação judicial, da lavra da juíza Cynthia Vieira, que proíbe o Estado do Pará de contratar instituições para aplicação de concursos públicos, sem o devido processo licitatório.

A liminar, existente desde 2011, visa coibir a farsa das justificativas da dispensa, que é uma exceção e alguns gestores temerários acabam aplicando como regra.

No caso de concursos, há centenas de instituições no Brasil com expertise na área, o que justifica a adoção de amplo certame licitatório e não autoriza preferências exclusivas, principalmente quando cometidas por uma órgão como o MPE, que precisa, mais que a mulher de César, não só ser, como também parecer honesto.

6 comentários:

  1. Se fosse um Prefeito ou um Parlamentar já estavam respondendo a famigerada Ação draconiana de Improbidade administrativa. Cadê o Medrado ou aquele Promotor midiático que tem o nome de ex-jogador alemão(Bekembauer) para cortarem na própria carne?
    Corrupção só pratica os pobres mortais da classe política.
    Eita MP dissimulado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pobres?? mortais sim, pobres nunca! ( alguns até se acham "imorríveis")

      Excluir
  2. Com tamanhas dúvidas acerca da escolha da organizadora do concurso, pode levar as pessoas a duvidar do resultado. Será que essa diferença não seria o pagamento para.colocar os indicados deles?

    ResponderExcluir
  3. Isso é um negociata. Vou aqui traduzir para o bom português: Negociata é um "bom" negocio, muito vantajoso que nós, que a denominamos de negociata, não estamos contemplados com nenhuma vantagem.
    Daí poder-se-a afirmar que: Como provavelmente há vantagens, não está classificado como negociata pelos MPE e sua corregedoria, mantendo longe os "Medrados e Beckenbauer's" da vida .

    ResponderExcluir
  4. Como esse Procurador Geral de Justiça pode continuar no cargo?
    Vergonha

    ResponderExcluir
  5. Não seria caso de propor o impeachment do procurador-geral, se isso se confirmar?

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.