08/03/2014

Enquanto isso, na Terra Firme, em Belém

No mesmo Brasil que incinera R$ 30 bilhões em estádios para 1% de brasileiros sentarem nas arquibancadas e assistirem os jogos da Copa, e cujo desperdício se repetirá para os Jogos Olímpicos de 2016, crianças da periferia improvisam rústicas ferramentas esportivas para seus próprios “jogos olímpicos”.

As fotografias foram tomadas pelo tenente PM Samarone, atrás da Base Comunitária da PM, na Avenida Perimetral, na Terra Firme.

16 comentários:

  1. É deputado. Me parece que as coisas dentro da aliança PT X PMDB tá querendo fazer água e o sr. ao que tudo indica, esfriou. Todos sabem do comportamento do PT quando no governo, afinal vocês já se aliançaram e não deu certo.
    Sabemos que as pesquisas dizem que Dilma será eleita. Mas é o que dizem as pesquisas. Acredito que a política do PT começará a degringolar a partir desta eleição.
    Apesar de não comungar do que escreves mas gosto de lê-las. Isso já a muito tempo. Gostava das crônicas sobre Tucuruí e outras, mas a droga da política fez com o blog perdesse qualidade. Mas tudo bem. Assim mesmo, todos os dias às 5h da madruga ligo o computado e me dirijo ao seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alianças sempre se fazem, e se mantêm, no molhado, pois não há calafeto suficiente para convergir pensamentos que são, por essência, divergentes. Pessoas, partidos, e quaisquer agremiações humanas apenas se juntam por interesses comuns, mas jamais se misturam, pois isso é sempre necessário andar nessa canoa com uma cuia na mão para tirar a água que o casco faz.
      O PMDB e o PT marcharão unidos nessa eleição, pois há mais gente com a cuia na mão do que com um prego, retirando o calafeto.
      Não avalie que o blog perdeu qualidade pelo fato de eu não escrever o que você desejaria ler: é apenas uma questão de ótica. Quando eu passo alguns dias sem falar sobre político, e mudo o assunto, logo recebo reclamações, como a sua, de que o blog perdeu qualidade. Mas o que é bom mesmo que todos continuam voltando, em busca da qualidade perdida.

      Excluir
    2. Deputado, gosto de fotografia antigas da nossa região. Tire algumas do fundo do baú e as publique. O Sr. tem as do Tocanvia? o Sr. chegou nele viajar. Sugiro uma crônica. Não esqueça de minha cidade de Baião.

      Excluir
    3. Tenho várias de Tucuruí antiga. Viajei muito na Tocanvia, mas não tenho fotos dela. Tenho um capítulo de um livro de memórias que escrevo, dedicado às viagens no baixo Tocantins, onde Baião era a primeira parada depois da saída de Tucuruí e a derradeira antes de chegar lá, vindo de Belém.

      Excluir
  2. minha opinião é exatamente contrária...penso que o blog que sempre foi diversificado em seu conteudo...se diversificou ainda mais...

    ResponderExcluir
  3. Parsifal;

    Se o 'calafeto' é aquilo que agrega os partidários, diga qual a liga que mantém os não partidários?

    Embora tenha ideias diferentes do comentarista acima, em parte concordo com o alto preço que o PT vem cobrando pelas melhorias sociais que fez - principalmente a corrupção desenfreada, a avacalhação do STF e a política internacional ridícula; votar em Dilma ficou uma coisa para quem tem memória dos desatinos do PSDB no poder - e aí por ser paraense isso foi favorecido pelo governo Jatene.

    Quanto ao voto para governador do Pará, ainda não mudei de opinião sobre Helder, e nem vou receber um 'calafeto' para aderir ao bloco. Helder soa para mim como um candidato 60 MB (megabyte de RAM), cujo tempo de resposta para cada situação dependerá de uma série de contatos telefônicos com o pai. Outra coisa é a possibilidade dele convidar pessoas notoriamente lentas e desidiosas para o secretariado, como o fez em Ananindeua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os não partidários apreciam o rebojo e decidem se embarcam conforme as suas próprias opiniões.

      Excluir
  4. Numa terra miserável como a nossa, o povo excluído tem de ser equilibrista, malabarista, contorcionista...

    ResponderExcluir
  5. E as pesquisas aqui no Pará? Será que irão mostrar uma nova posição do atual governador. No último IBOPE ele aparecia como o 5º pior governador do país. Se depender de propagandas milionárias que mostram um Pará virtualmente ideal, ele já está reeleito.

    ResponderExcluir
  6. Que nostalgia, me fez lembrar minha infância, em Santarém, no bairro de Aparecida, próximo ao aeroporto velho. Minha turma de amigos adorava essa brincadeira. Eu, porém, nunca tive coragem kkkkkk

    ResponderExcluir
  7. O descaso com a segurança pública neste estado subdesenvolvido tem tido consequências danosas á população, como a chaga das milícias e grupos de extermínio, que estão atuando impunemente e sob a complacência das forças policiais e da justiça. Essas estórias de pessoas serem assassinadas pelo tráfico levantam sérias dúvidas, pois até os postes sabem que tem envolvimento de outros grupos organizados nesses delitos. Assim como esses grupos dão uma falsa sensação de segurança, acabam atuando para o crime organizado ou até substituindo-os através de "prestação de serviços". Se isso resolvesse, a criminalidade não estaria em níveis alarmantes. Isso é resultante do colapso das políticas de segurança e de educação no Pará. A ignorância e o medo distorcem a percepção coletiva de como lidar com o crime com base nas leis vigentes, passando a adotar práticas criminosas como o linchamento e o extermínio por justiceiros, como formas distorcidas de solução. O governo inerte e sem a capacidade de debater esses temas com a sociedade, limita-se a propagandear ações cosméticas e milionárias de um estado ideal que só existe nas telas de TV e jornais, mesmo mantém o sistemático sucateamento dos órgãos de segurança, basta observar as condições de trabalho, de material e salarial degradantes em que são submetidos os nossos policiais. Do que adianta o PSDB deixar pra realizar ações anêmicas e eleitoreiras no último ano de governo, o que não conseguiu em 20 anos no poder neste estado, que só serviu para o enriquecimento e concentração de renda de seus aliados? Como pensar numa juventude com futuro e dignidade, se no Pará não há geração de empregos na indústria; se há limitações e deficiências na formação educacional técnica e cientifica em escolas sucateadas e com professores e alunos desmotivados; se existem muitas precariedades e limitações de aprendizagem técnica e estabilidade no primeiro emprego; se o ensino universitário continua sendo excludente; se o que está recrutando os jovens são o mercado informal e o tráfico. Pra piorar ainda há a ausência de planejamento familiar e a sua desestruturação. É lamentável que não haja nenhum movimento de pacto entre sociedade e governo para efetivar soluções. O que há é muito proselitismo eleitoreiro.

    ResponderExcluir
  8. Deputado, cade a tal de UIPP e o Pro paz(Pro pai), que o simão lorota e sua filhinha, anunciaram que haviam instalado no bairro da terra Firme.

    ResponderExcluir
  9. Segundo a jornalista. Política da Globonews existem quatro estados onde a aliança para as eleições esta garantida. Pará é uma delas.

    ResponderExcluir
  10. Debate interessante e válido, só creio que isso, "padrão fifa", deveria ser discutido antes do Brasil se candidatar à copa e às olimpíadas, pois assim não ficaríamos com essa conversa agora. Na verdade, talvez tenha servido para iniciar o debate, vendo por este lado é muito bom.

    ResponderExcluir
  11. Por falar em Copa Deputado o senhor já garantiu os seus ingressos para assistir os jogos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. Nessas alturas do campeonato apenas os 10 primeiros listados pela Forbes, de mais ricos do mundo, conseguirão ver a Copa ao vivo.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.