18/03/2014

Eduardo Paes pelo New York Times

O jornalista Simon Romero, do New York Times, descreve o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), como “filho de um ambiente privilegiado e criado nos bairros ricos do Rio, e formado advogado na melhor universidade privada da cidade”.

paes

Prossegue relatando algo que os estadunidenses não compreenderão: “Paes filiou-se a um total de cinco partidos políticos ao longo da carreira, finalmente aterrissando no centrista PMDB.”.

Romero prossegue que Paes foi reeleito, em 2012, com 65% dos votos, mas o estado de graça acabou com as manifestações (Levantes de Junho), que lhe iniciaram o inferno austral em que vive na cidade maravilhosa.pira

Na reportagem eu soube o nome popular do “imponente prédio da prefeitura do Rio”: “Piranhão”, pois “foi erguido em uma área onde antes funcionava uma zona de prostituição nos anos 1970 e 1980.”.

> Surtos de fúria

soco

Romero revela que Paes vive tendo surtos de raiva, por conta do estresse que as preparações da Copa e das Olimpíadas exigem: “em um de seus picos de raiva, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, jogou um grampeador em um dos seus assessores. Em outro foi um cinzeiro. Ele repreendeu uma vereadora dentro do seu gabinete chamando-a de vagabunda. Durante um jantar em um dos mais movimentados restaurantes japoneses do Rio, foi provocado por um cidadão, um vocalista de uma banda de rock, e lhe deu um soco na cara.”.

E conta que Paes lhe confidenciou uma recomendação que cheira à arrependimento: “nunca na sua vida faça uma Copa do Mundo e uma Olimpíada ao mesmo tempo, pois isto tornará a sua vida quase impossível.”

> O estribilho de cá e de lá

E aí o New York Times, pela lavra de Romero, pinta a cantilena da imprensa interacional daqui e alhures: “em vez de um contentamento geral, o Brasil está sendo confrontado com constrangedores atrasos nas obras de estádios, aeroportos e de engenharia de trânsito, correndo o risco de que as coisas não fiquem prontas até o início da Copa do Mundo, em junho. Os protestos questionam que fundos públicos sejam esbanjados nos eventos esportivos enquanto colégios e hospitais permanecem sem verba.”

A reportagem completa está aqui.

4 comentários:

  1. Parsifal...tens algum comentário a fazer com relação ao marco civil da internet em votação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O projeto do Governo é razoável. O Eduardo Cunha está fazendo o jogo da teles. Farei uma postagem hoje à noite.

      Excluir
  2. quem não pode com o pote não segura na rodilha.

    ResponderExcluir
  3. Bem feito para o Prefeito! Ainda vai ter um AVC e acompanhar os eventos lá no além!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.