07/03/2014

Custos de campanha de reeleição de governador

Shot016

Não é possível aquilatar, com exatidão, o valor que o erário despende na esteira de uma campanha de reeleição de governador, mas é possível verificar alguns custos que são publicados no próprio Diário Oficial do Estado (DOE), como as contratações de assessores especiais, que são cabos eleitorais pagos mensalmente para servirem de infantaria eleitoral nos diversos fronts de batalha.

> Convênios

Outro custo que pode ser verificado no DOE são os convênios assinados com prefeituras em ano eleitoral. Esses, pela nota abaixo, já começaram e eu calculo que, esse ano, o valor de convênios chegue a R$ 40 milhões.

Shot014

E para que não se diga que a nota do "Diário do Pará" é tendenciosa, abaixo se cola a nota de "O Liberal", sobre o mesmo assunto, desvelando a repentina disposição do governador de receber os prefeitos, que ele passou os três anos anteriores ignorando solenemente.

Shot009

18 comentários:

  1. Só faltou vc postar que;Quando os dois jornais se alinham é porque existe alguma coisa podre no reino da dinanarca,bem observado parsifal,hehehehe

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, quando não recebe os prefeitos é criticado,mas quando recebe é eleitoreiro. Queria saber como tu fazias com os teus vereadores de Tucuruii???? E fostes Prefeito por duas vezes, sem chances de reeleição. Menos por tua vontade, mas por decisão popular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a frase certa é "quando recebe prefeitos só em ano eleitoral é eleitoreiro". Recebia os vereadores sempre que iam à prefeitura e não precisavam marcar audiência. Jamais trabalhei pensando em reeleição e continuo assim até hoje. Não estou obrigado a bajular vontades populares, apenas estou obrigado a respeitá-las.

      Excluir
  3. Entre no Portal da transparência Pará para ver o quanto já foi repassado de FDE (por onde sai os convênios com os prefeitos) em 2014 e o site, desde janeiro, está dizendo que os dados não estão disponíveis devido a migração de tal sistema de contabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é somente pelo FDE, embora o fundo seja o mais usado para tal. Mesmo com o Portal fora do ar, há a obrigação de publicação no DOE, o que dá um tremendo trabalho para averiguar, pois os convênios são publicados misturados a outras notas.

      Excluir
  4. Francisco Marcio07/03/2014 21:03

    Como diria um sábio parauara: é a política estúpido!!!

    ResponderExcluir
  5. Agora mesmo vendo TV, no horário mais caro, apareceu obras do Cabelo Seco e ampliação do abastecimento, todas em aqui em Marabá, como obras do Jatene, mas o R$ é do governo é federal, um pariu e outro criou? é isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o Governo Federal é péssimo em fazer publicidade local, pois as contas são todas concentradas em São Paulo, onde os marqueteiros não sabem que existem mais estados no Brasil além dele.
      Os governos locais aproveitam e se apropriam das obras porque entram com a contrapartida de 5% a 25%, conforme a obra.

      Excluir
  6. A intenção é essa mesma, dar trabalho para não acompanhar; certamente tão cedo o Portal, que já era precário, um dos piores do brasil, ficará fora do ar. Vale tudo, estamos a menos de 7 meses da eleição.

    ResponderExcluir
  7. Parcifal, se o Jatene chamou os prefeitos da transamazônica, ele deve ter chamado o prefeito de Altamira Domingos (nada) Juvenil, se der dinheiro há ele já era, coitado do povo de Altamira.

    ResponderExcluir
  8. Não é dever legal manter o portal da transparência?
    Se ele não esta "funcionando", então é crime.

    ResponderExcluir
  9. Por isso e que é bom ser tucano. Naõ pega nada com esses canalhas...

    ResponderExcluir
  10. O portal é uma exigência legal para União, Estados e Municípios, mas cadê o TCE, o MPE? é mais uma letra morta. Se fosse um outro partido que tivesse no poder esses órgãos, a imprensa, o Megale já estavam gritando, mas devemos lembrar que é o PSDB que está no comando, ai! só Tim Maia...... "vale tudo"

    ResponderExcluir
  11. Acabou a crise com a folha de pagamentos? O Estado já voltou ao limite da LRF? Que equipe competente. Parabéns.

    ResponderExcluir
  12. O Auditor da AGE, segundo reportagem de domingo do "Diário do Pará", diz que a Lei da Transparência (Governo Federal) é autoaplicável para todos os entes da Federação. O senhor poderia explicar o que seria essa "autoaplicabilidade". Não entendi

    ResponderExcluir
  13. Autoaplicável!?

    É facultada a edição de uma Lei específica, mas é obrigatório seu cumprimento.
    Sem a edição de uma Lei ou outro tipo ato de normatização, como saberemos qual é o órgão ou órgãos responsáveis pelo atendimento à Lei? Como saberemos os prazos para atendimento das solicitações? Como saberemos as penalidades para o órgão que não cumprir as solicitações?

    Auditor diz que o Estado já está atendendo às solicitações. Houve divulgação? Quem está atendendo às solicitações? As solicitações podem ser feitas por meio eletrônico ou devem ser protocoladas nos órgãos?

    Onde está a transparência?

    ResponderExcluir
  14. "... habitamos uma terra do nunca em que nada leva a lugar nenhum. A vítima vira infratora, a incompetência é vendida como prosperidade, o obtuso é o virtuoso e os medíocres são os grandes vencedores. Aqui só a mamata é levada a sério."
    Retirada de texto do cantor Lobão. VEJA, pág. 32, 12 de março, 2014.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.