13/02/2014

Preconceito e violência

Um vídeo gravado em 29.11.2013 e postado ontem (12) no Youtube revela o discurso preconceituoso e de incitação à violência de deputados federais gaúchos ligados à Frente Parlamentar da Agropecuária.

As declarações foram cometidas pelos deputados federais Luis Heinze (PP-RS) e Alceu Moreira (PMDB-RS) durante uma audiência pública da Comissão de Agricultura da Câmara Federal, em Vicente Dutra, no Rio Grande do Sul.

heinze

Os pecuaristas do Pará e do Mato Grosso foram citados como exemplo na fala dos deputados: “No Pará, eles contrataram segurança privada. Ninguém invade no Pará porque a Brigada Militar1 não lhes dá guarida lá e eles têm de fazer a defesa das suas propriedades. Por isso, pessoal, só tem um jeito: se defendam. Façam a defesa como o Pará está fazendo, como o Mato Grosso do Sul está fazendo.”

alceu

O PP, partido de Luis Heinze, foi rápido no gatilho e o isolou na fala ao declarar que “não compartilha de forma nenhuma com qualquer manifestação preconceituosa ou que incite a violência contra qualquer grupo”.

Em qualquer país democraticamente comprometido, os dois estariam enquadrados em quebra de decoro parlamentar e responderiam por isso no Conselho de Ética.

Existe a tal “Brigada militar” dos produtores rurais do Pará? Se a resposta é sim, quem a comanda?

1: Um leitor do blog e um comentarista alertaram-me para o fato de que o termo “Brigada Militar”, no Rio Grande do Sul, significa a Polícia Militar, portanto, o termo não deve ser entendido como uma organização paramilitar abonada por produtores rurais do Pará.

14 comentários:

  1. Quantos aos Fazendeiros do Pará, o Deputado Gaucho não falou nenhuma inverdade, realmente no Pará os fazendeiro grilam as terras, contratam pistoleiros para quem atravesar seus caminhos; agora ele esqueceu de dizer que os grandes fazendeiros no Pará são oriundos do sul do país, inclusive os coterrâneos gaucho do Deputado.
    Quando aso gays, quilombolas e etc. pergunta-se; o conhecimento é medido pela cor, pela opção sexual e outras cositas mais?

    ResponderExcluir
  2. O filho daquele deputado federal evangélico(?) que matou um sem terra, prova o que esse homem fala. Quem pode pagar bons advogados não fica preso. E vamos combinar que para esse povo, pobre só serve para votar.

    ResponderExcluir
  3. Prezado,
    O que ele quis dizer é que no Pará, a PM (Brigada Militar, como é chamada no RS) não dá apoio aos produtores rurais.

    ResponderExcluir
  4. http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/pmdb-quer-derrubar-veto-de-dilma-a-novas-cidades

    deputado,
    será que é necessário retaliar o governo prejudicando o país dessa maneira?? existem outras formas de retaliação...que tal despachar o joão paulo cunha? ou outra coisa do genero!! seria uma pena o país criar uma quantidade dessas de municipio... abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A imprensa escreve o que quer e quando se trata do PMDB as tintas são sempre negras.
      Há mais de dois anos o PMDB fechou questão em aprovar a LC que devolve às assembleias legislativas a prerrogativa de criar, ou não, municípios, e eu fui um dos que votei a favor da proposta no partido.
      Portanto o PMDB tem o compromisso fechado em votar contra o veto independentemente de qualquer outra coisa e vamos cobrar isso.
      Para mim, o PMDB estará retaliando a Federação e a República se mantiver o veto. Sou contra o veto e a favor da criação de novos municípios, que, segundo os critérios aprovados na LC, restringe muito as emancipações.
      No Pará, por exemplo, dos 42 protocolados, pelos novos critérios, se for derrubado o veto, não passarão 10. Em todo o Brasil, há propostas de criação de 1.215 municípios e pelos critérios da LC, apenas 200 serão criados e isso, ao contrário do que alega a presidente Dilma não causa desequilíbrio fiscal algum e nem aumenta as despesas da União pois a criação de municípios não onera o bolo federativa em um centavo, apenas o redistribui.
      A discussão contrária as emancipações serve apenas ao status quo federativo, mantendo a atual correlação de forças políticas e torna mais de 10 milhões de brasileiros, que residem em distritos, em órfãos dos repasses federativos, sem os mínimos serviços que, mesmo precários, a unidade federativa presta.
      Só é contra as autonomias federativas quem nunca morou em um distrito.

      Excluir
  5. Quando este pessoal invadirem suas residencias verão que estes Deputados estão dizendo a pura e real verdade.

    ResponderExcluir
  6. O apócrifo MST, com 15 mil arruaceiros, botou pra quebrar ontem em Brasília, paralisando até o Supremo Tribunal Federal. E, pasmem, a sua presidenta Parsifal, recebeu os líderes do Movimento, hoje, em audiência. Quem está pagando o transporte e alimentação dessa corja? O desgoverno do PT está tornando o país no paraíso dos baderneiros.

    ResponderExcluir
  7. Quanto as palavras do deputado Alceu Moreira, não caracteriza nenhum preconceito, mui diferente das porcarias ditas do outro inseto Gilberto Carvalho, esse sim, só falou merdas.

    ResponderExcluir
  8. Até que emfim um politico teve a coragem de dizer tudo que a grande maioria do povo brasileiro não tem, mas que não aprova essa "adoração" aos gays e a benevolência que o governo brasileiro dá a esses fora da lei chamado de MST.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engula isso, tolinho!

      http://globotv.globo.com/rede-globo/amor-a-vida/v/felix-afirma-que-niko-mudou-a-sua-vida/3117924/

      http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/2014/01/31/internautas-comemoram-beijo-gay-entre-felix-e-niko-em-amor-a-vida.htm

      Excluir
  9. Bravo! Deputados. Falaram a verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. A verdade deles, e pelo visto a sua também. A verdade é assim mesmo: da mesma forma que a mentira, tem várias e diversas faces.

      Excluir
    2. Na novela antiga

      http://gshow.globo.com/novelas/amor-a-vida/videos/t/cenas/v/felix-afirma-que-niko-mudou-a-sua-vida/3117924/


      Na novela atual

      http://gshow.globo.com/novelas/em-familia/videos/t/cenas/v/marina-se-interessou-por-clara/3144241/

      100 milhões de pessoas assistindo isso é muita gente anônimo

      CONFORME-SE

      Excluir
  10. A maioria dos "fazendeiros" e "produtores rurais", também se apropriou de terras com a ajuda de certos cartórios. Então tá, é todo mundo santo. Carinha chega aqui no imenso Pará com uma mão na frente e outra atrás e em menos de uma década fica rico. KKKKKKK pra ocês também. A maioria desse povo vem tudo de fora. Qual o motivo hein?

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.