10/02/2014

Os sujos e os enlameados

andrea

A senhora Haas refere-se à decisão, em setembro de 2013, em última instância, do processo de sonegação fiscal no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda, que condenou a Rede Globo a pagar a autuação de R$ 713 milhões, feita em 2009.

Não mais cabendo recurso, a Receita Federal atualizará a dívida e executará a Rede Globo, em mais de R$ 1 bilhão.

Como sonegação é crime, a Receita Federal já deve ter enviado ao Ministério Público Federal os autos da sonegação para que o Parquet tome as medidas penais cabíveis.

Mas eu duvido que algum diretor da Rede Globo tenha o mesmo fado dos que bolinaram com dinheiro público no mensalão.

Sempre repito que a sonegação fiscal é o maior crime de corrupção existente no Brasil, mas o distinto público acha que crime de corrupção só é praticado por político e, pasme-se, há uma simpatia pelos sonegadores sob a desculpa de que eles, coitados, têm que sonegar para poder sobreviver empresarialmente.

Para fazer parte da moral bipolar que embarca essa esquizofrênica compreensão de uns poderem ser criminosos e outros não, poder-se-ia afirmar que os políticos corruptos, coitados, agem assim para sobreviverem eleitoralmente.

6 comentários:

  1. Adorei deputado, e nem sou político. A Grobo tem o hábito de apontar o erro de todo mundo mas, quando é ela hahahahaha Não podemos esquecer que até um pedaço da rua onde está situada a sua sede, a Grobo incorporou à sua área, lá na cidade linda e Maravilhosa.

    ResponderExcluir
  2. Peço-lhe reproduza a informação a seguir, da lavra da coluna Radar de Veja, a respeito da senhora Pizzolato . Não tento defender ninguém, antes pelo contrário. Acredito , tanto quanto o poster na democracia, que pressupõe divulgação de diferentes pontos de vista . Eis o que diz a Radar :
    Andrea Haas, a mulher de Henrique Pizzolato, está compreensivelmente nervosa. O marido mensaleiro está preso na Itália. Talvez por isso, no fim de semana soltou os cachorros para cima da imprensa, atacando a tudo e a todos. Já em 2005, depois do depoimento do marido na CPI dos Correios, Andrea cuspira fogo

    Ao fim de seu depoimento à CPI, sua mulher, Andréa Haas, irritada, ameaçou:

    — O PT vai pagar o que fez com ele.

    Beleza. Mas Andrea também deve explicações. Quais? Não custa reproduzir uma informação publicada pelo Radar em 2005. Ei-la:

    “A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), presidida por Ary Graça, depositou em fevereiro 6 000 reais na conta da arquiteta Andréa. E daí? Bem, Andréa é mulher de Henrique Pizzolato, diretor de marketing do Banco do Brasil, que, veja só que coincidência, é patrocinador da CBV – o BB dá 30 milhões de reais por ano ao vôlei.

    Pizzolato diz que não entendeu o depósito. E garante ter provas da devolução do dinheiro. Graça, por sua vez, nega qualquer depósito. Segundo ele, Andréa deu-lhe apenas alguns conselhos técnicos quando o centro de treinamento da CBV foi construído: “Mas nunca remunerei Andréa, uma mulher muito distinta”. As versões são conflitantes.

    E as perguntas ficam no ar. Por que Pizzolato, no cargo graças ao ministro Luiz Gushiken, se calou por tanto tempo diante do depósito? E por que Graça não reconhece o depósito que Pizzolato confirma?”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por isso que o título da postagem é "Os sujos e os enlameados". Não há ninguém limpo nesse folhetim.

      Excluir
  3. Só sei que esse sujeito ai,o pizzalato...tem que falar

    ResponderExcluir
  4. O caso do Pizzolato é explicado facilmente. Ele assumiu o cargo por indicação politica. Quem indicou determinou que ele fizesse o que fez. Não teve a hombridade de entregar o cargo. Preferiu atender seu padrinho politico. É a tal historia: "dá ou desce". Ele preferiu dá credito aos seus padrinhos politicos e agora está no xilindro.

    ResponderExcluir
  5. O problema – ou solução — é que a Globo não controla a Itália. Não manda na mídia italiana, não manda na justiça italiana.
    Se um repórter italiano decidir ouvir Pizzolato em profundidade, ouvirá. Se o que ele tiver a dizer afetar a Globo, azar dela.

    A cinematográfica fuga de Pizzolato para a Itália tem um curioso efeito colateral sobre o mundo político nacional.
    Na Itália, Pizzolato vai poder falar sobre coisas que ele não teria a quem dizer no Brasil: nem a mídia lhe daria voz e nem muito menos a Justiça o levaria em conta.
    Uma pequena amostra disso se viu neste final de semana. Cercada de jornalistas Depois de visitar seu marido na cadeia, Andrea Haas, mulher de Pizzolato, produziu uma mistura de desabafo e manifesto ao ver gente da Globo ali presente.
    Ela se dirigiu para a reportagem da Globo. Disse que seu marido tem documentos que provam que a Globo ficou com 5 milhões de reais do dinheiro da Visanet que alegadamente foi desviado no Mensalão.
    Isso pode mudar muita coisa.
    A explosão de Andrea mostrou que os Pizzolatos estão com muita vontade de falar.
    Caso isso efetivamente ocorra, a Globo não terá como deter o vento, como faz usualmente no Brasil.
    Isto é muito bom.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.