20/02/2014

As vozes do PT

puty

Shot016

borda

Shot016

ana

Shot016

zegera

23 comentários:

  1. Nobre Deputado,
    É cada um por si e lula por todos. Cadê a unidade política e a fidelidade ? no final o que interessa mesmo é o poder. Este Zé Geraldo é aquele que subiu na tribuna para dizer que a médica cubana foi expulsa porque era péssima profissional e alcoolatra.

    ResponderExcluir
  2. Esse Deputado Puty, formado em Futukuba, é oportunista, não consegue se eleger Deputado Federal e quer aparecer como paladino do governo Ana Julia, que ele mesmo se encarregou de desorganizar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não é apenas um oportunista. Foi ele que acabou com o governo da Ana Júlia, no cargo de Chefe da Casa Civil, onde só pensava na candidatura dele a deputado federal. Agora ele está como arauto do Grupo Liberal, ocupando um espaço que há pouco tempo foi do Mário Couto. Como não vai se eleger está pensando numa boquinha futura. Lembrar que este pessoal faz todo mundo de bagaço, chupa a laranja e depois joga o bagaço fora. Nunca foi do PT tradicional e agora quer se arvorar líder. Vai ter que aprender e muito.

      Excluir
    2. Este de Futukuba, quer apenas agradar ao seu novinho patrão e ainda por tabela posar de bom moço para o atual governador.Ou melhor desgovernador.

      Excluir
  3. Esse é um verdadeiro dropsd'alho.

    ResponderExcluir
  4. Ronaldo Gomes20/02/2014 17:19

    Como chama essa manobra dep. Puty? Jus sperniandi, é isso, não é deputado??!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom dizer a este deputado de apenas um mandato. Que política não é local para criança fazer xixi. Vai brincar lá fora e aproveita e vê se estou por lá.

      Excluir
  5. A posição do deputado Zé Geraldo, a respeito de candidatura própria do Partido dos Trabalhadores ao governo do Pará, reflete um comportamento generalizado das lideranças partidárias do grupo político hegemônico, cujo comportamento vem fazendo o partido perder importância no quadro local, levando-nos à condição de mera moeda de troca a ser usada pela direção nacional.
    Com efeito, desde que essas lideranças passaram a ser nossos representantes no Poder Legislativo, notadamente no plano federal, o PT trocou o protagonismo nos grandes debates da conjuntura por uma postura que passou a dialogar em silêncio com corporações e segmentos sociais, transformando esses mandatos em instrumentos dos interesses desses segmentos e corporações. Claro que isso é extremamente positivo na medida em que reflete uma postura política pautada no compromisso de estar ao lado daqueles que os ajudaram a conquistar seus respectivos mandatos.
    No entanto, isso não responde por tudo aquilo que se espera de um parlamentar eleito por um partido de esquerda, principalmente em um estado com tantos problemas estruturais surgidos após o fim de um ciclo econômico que nos legou o retorno à condição de província, em que nossas riquezas continuam a ser exploradas economicamente com ganhos mínimos para a nossa população, sob a conivência de um sem número de oportunistas que não demonstram o mínimo pudor em expor a distância existente entre suas intenções e gestos, traduzidos pela omissão conivente quando lhes convém, como é o caso da famigerada Lei Kandir ou na cumplicidade com a Vale; auto absolvendo-se, com o mesmo cinismo, recorrendo ao esfarrapado discurso da discriminação ao Pará, como se a inoperância e má-fé de décadas de mandatos tivessem seus fracassos justificados por esse álibi mambembe, espécie de versão tecnobrega da 'Teoria Conspiratória'.
    Por mais absurdo que possa parecer, foi o deputado Cláudio Puty, marinheiro de primeira viagem, o único que disponibilizou o seu mandato para debater aqui e no Congresso Nacional temas como o Super Simples, Lei Kandir, reforma agrária, investimentos no estado, enfim, dispôs-se a discutir a macropolítica sem pensar apenas no mandato seguinte. Que ocupou um espaço como há muito não se via um deputado federal do PT ocupar. E não se trata de referência a artigo dominical em jornal de grande circulação em Belém. Está se falando de alguém cujo desempenho o levou a ocupar espaços relevantes na Câmara Federal e ensejou ao DIAP destacar sua atuação apesar, repita-se, de ser um estreante.
    Por isso, quando o deputado Zé Geraldo faz pouco caso das nossas chances eleitorais ele parece esquecer que isso não ocorre por acaso, mas porque o comportamento dos que deveriam representar o projeto político petista optaram pela semelhança com o comportamento daqueles que muitas vezes fazem oposição ferrenha a nós, por isso só fazendo política resgataremos nosso protagonismo de volta, sem precisar submeter companheiros valorosos como Mário Cardoso e Alfredo Costa a vexames eleitorais dos quais eles não tiveram culpa. Apenas foram vítimas do pragmatismo resignado que adotamos e que levou à desimportância que hoje nos assola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um espaço que este deputado conquistou foi o de comandado do grupo Liberal e de editorialista mambembe do jornal. Os que por ali passaram não se deram bem na política paraense. Exemplos, Jarbas Passarinho, Osvaldo Melo,Gerson Peres, Vic Pires Franco e outros.

      Excluir
    2. nao se deram bem?? acho q todos ai tiveram vários mandatos e estão todos ricos!

      Excluir
  6. Esses deputados ai que dizem que vestem a camisa 13 não merecem mais vestir o PT. Eles passarão. Não servem para a história estão fazendo parte da mesmice da velha política. Prostituem-se por migalhas em detrimento das necessidades de um povo. Eles começam a se locupletar com os Barbalhos da vida.

    ResponderExcluir
  7. Quero que tenha um puta de um racha e que deste racha seja feita uma faxina no próximo pleito dentro do PT assim como aconteceu na câmara de vereadores de Belém,começando com este deputado profissional ze Geraldo,que jamais disse ao que veio(a não ser pra encher seus próprios cofres).

    ResponderExcluir
  8. Ze Geraldo nunca conseguiu ao menos disputar um cargo majoritário, nem em Altamira sua base eleitoral, Bordalo idem. São estes que defenderam o Alfredo Costa para prefeito de Belém pelo PT como candidato faz de conta e agora nem mais candidato querem. São notórios comandantes de derrotas, apegados a seus mandatinhos custe o que custar. Um único candidato de oposição é não apenas um erro político, mas um erro eleitoral, pois evidentemente facilita as coisas para o candidato governista. Será que não se aprendeu nada com 2006 ?

    ResponderExcluir
  9. "Anônimo" 17:36h,
    Gato escondido com o rabo de fora. Fala Puty!

    ResponderExcluir
  10. Pelo andar da trairagem o deputado Bordalo já tá disputando com o Parsifal quem vai ser o líder do governo do rouba, e diz que faz na ALEPA.
    Quanto maior o sonho, maior o tombo, ensinam os mais velhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho como disputar liderança de governo na Alepa: não voltarei para lá.
      Quanto ao governo que rouba, ensinam, idem, os mais velhos, que o bom julgador por si se julga, o que me remete à conclusão que você será um grande ladrão à primeira oportunidade que tiver para roubar.

      Excluir
  11. Até quando teremos de esperar para que surja um governador ou Governadora, que tenha tutano pra desafiar a Vale e fazer com que ela devolva ao povo do Pará pelas riquezas que arrancou de seu solo. Pois o que assistimos decepcionados, mas inertes, é o comportamento desleixado de um governador que se conforma com as migalhas oferecidas por esse poderoso conglomerado, enquanto enriquece seus anônimos acionistas, mundo afora. Corporação que historicamente financia, manipula e silencia quase todos os detentores do poder político neste estado. A Vale e os políticos tradicionais deste estado são cúmplices e os maiores responsáveis pelo estado de ruína em que se encontra o Pará, afundando-o cada vez mais no fosso da miséria e ignorância. Salvo engano, o único que ainda tem disposição e coragem de denunciar as práticas de lesa pátria dessa tenebrosa transação é o solitário jornalista Lúcio Flavio Pinto.

    ResponderExcluir
  12. Que papo furado é esse?
    De novo essa "estória" de que tendo um governo estadual compatível com o Governo Federal vai trazer benefícios ao Pará...
    Se sendo do mesmo partido, Ana Júlia patinou os 4 anos dizendo ser amiga pessoal do presidente, imagine sendo apenas coautor no processo.
    Oras, não me venham com "Palavras lânguidas para acalentar bovino" (conversa mole pra boi dormir)

    ResponderExcluir
  13. Onde esse doente das 21:48 leu isto aqui:"tendo um governo estadual compatível com o Governo Federal vai trazer benefícios ao Pará" nestas postagens?

    ResponderExcluir
  14. o deputado ze geraldo se manifesta sem muita inteligencia,pois não e desfazendo do companheiro puty, que pelomenos teve dignidade de colocar o seu nome a disposição do partido mesmo sabendo que não e facil .agora depende do esforço de todos nos para termos o partido forte em condiçoes de disputar o governo do estado e obter exito.voce acha que ta facil se reeleger com a palavra o nobre ze geraldo.

    ResponderExcluir
  15. Tá na hora do Zé Geraldo assumir sua filha de Marabá. A partir daí ele pode responder como homem probo.

    ResponderExcluir
  16. não se curve aos barbalhos nobre deputado puty lute com todas as suas forças,estaremos na sua retaguarda pra mante-lo de pe.alem do mais terão novas eleiçoes e os companheiros serios saberão reconhecer a sua luta.

    ResponderExcluir
  17. Ah não! deixem o Puty brincar de candidato gente! o cara foi o mesmo que a articulou a aliança com o PMDB no governo Ana Mula, então o deixem ser usado de novo mas. dessa vez do lado contrário ne?

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.