17/01/2014

Testemunha diz que propina paga a Gilberto Kassab era tanta que avião quase não decola

A investigação da “Máfia do ISS”, em S. Paulo, que já espargia borrifos no ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), aumentou o calibre do aerossol com o depoimento de uma testemunha, cujo nome é declinado apenas como "Gama".

> Controlar

A testemunha saiu da “Máfia do ISS” para discorrer sobre a suposta ligação de Kassab com a Controlar, empresa contratada pela prefeitura de S. Paulo, na gestão de Kassab, para fazer a bilionária inspeção veicular.

1401714

Gama contou que que Kassab recebeu “uma fortuna” da Controlar e transferiu o dinheiro para uma fazenda no Mato Grosso, em uma operação manejada por Marco Garcia, irmão de Rodrigo Garcia, ex-secretário de Kassab e hoje secretario do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Ao ser perguntado se sabia o valor da propina, Gama respondeu que não sabia o valor mas “era tanto dinheiro que o avião teve dificuldades de levantar voo.”

> Absolvido

O Ministério Público Federal, em 2011, entrou com ação penal contra Kassab por conta do contrato com a Controlar e chegou a conseguir o bloqueio de bens do ex-prefeito, mas quando lhe terminou o mandato e o processo desceu para a Justiça Estadual, o bloqueio foi revogado.

Ontem (16), mesmo dia em que o depoimento da testemunha veio à tona, o juiz Luiz Valdez, da 7ª Vara Criminal de São Paulo, absolveu Gilberto Kassab e o presidente da Controlar de todas as acusações.

Esse é o juiz pelo qual todo político deveria ser julgado: além de rápido (ficou com o processo apenas 1 ano, o que para a Justiça brasileira é um milionésimo de segundo) ele absolve a gente.

2 comentários:

  1. Francisco Márcio17/01/2014 21:55

    Excelência, tirando os recentes 'gatos pingados', qual o juiz que condena sua trupe (transitado em julgado ) ?!?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos condenam. O trânsito em julgado é outra história. Juiz que absolve político corre o risco de ser linchado.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.