21/01/2014

OAB-PA sobre as prisões do Pará: lamentável, subumano, deprimente

O Conselho Federal da OAB recomendou às seccionais que inspecionem as unidades prisionais dos seus respectivos estados, mas bastaria inspecionar um só presidio e replicar a situação para todas as unidades nacionais.

Shot005

Guardadas as singularidades de cada um, a linha de corte que se traça seca similaridades espantosas, porque a lógica do sistema é única e quem nele ingressa só sobrevive se entrar na métrica dos “Versos Íntimos”, de Augusto dos Anjos:

"Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera."

Shot008

A reação da comissão da OAB-PA, depois de visitas na região metropolitana de Belém, não poderia ser outra e se traduz na fala da ouvidora geral, Ivanilda Pontes:

“Lamentável, subumano, deprimente. Essa é a situação em que encontramos essas prisões. Superlotação, imundície, ratos com prisioneiros... Uma pocilga”.

O desabafo se refere às unidades de Belém. As unidades do interior do Estado podem ser descritas como a quebra do “Sétimo Selo”, pelo cordeiro:

“Então o anjo pegou o incensário, encheu-o com fogo do altar e lançou-o sobre a terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e um terremoto.”

Algum iluminado na República precisa entender que o nosso sistema prisional, com uma população carcerária de 600 mil detentos, é uma das linhas de montagem da violência que assola o país.

Shot009

9 comentários:

  1. Porque será que essa situação nunca muda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora por que, meu amigo Virgílio: porque, infelizmente, há muitos que pensam que "tem mais é que ser assim mesmo" e que a solução para acabar com a bandidagem é construir mais presídios e, de preferência, matar os bandidos. O problema e que não teremos presídios e nem balas suficientes, mas tudo bem: contrata seguranças, compra uma fortaleza (será o teu presídio particular) e uma Mercedes Benz blindada, ora pois...

      Excluir
  2. Este pessoal que esta com pena destes bandidos deveriam levar esta gente para suas casas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou você está brincando ou não sabe onde mora: todos "esses bandidos" já estão na minha casa. A minha casa é Belém, no Pará, no Brasil. E se você mora em algum lugar do Brasil, está com eles dentro de casa também.
      Mas se você mora na Áustria, Holanda, ou em alguns dos países escandinavos, parabéns: na sua casa as prisões estão sendo fechadas, pois aí eles trataram a questão de forma correta.
      Por favor, tenha pelo menos piedade de nós que moramos no Brasil, e não faça piada com o nosso drama.

      Excluir
    2. Ei Parsifal. Cuidado. Não te mete com o pessoal do esquadrão da morte. Essa turma mata mesmo. Tu pensa que bala desvia de deputado é?

      Excluir
  3. Nunca vi o Parlamento Estadual debater o sistema penitenciário paraense. Nunca mesmo. Procure nos anais da casa e veja que lá inexiste qualquer movimento para desnudar essa pouca vergonha que são as cadeias e os presídios de nosso estado. Tá passando da hora de a ALEPA criar e fazer funcional a CPI do Sistema Prisional. Como não dá voto, vamos continuar aperfeiçoando a prática criminosa que brota dentro do cárcere paraense. Esse País tem jeito ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já participei de duas audiências publicas sobre o assunto, promovidas pela Alepa. Não há muito o que possa ser feito pelo parlamento no caso do sistema prisional, pois a politica penitenciária é prerrogativa exclusiva do Poder Executivo.
      CPI não resolve coisa alguma: são meros teatros para a mídia e, como você mesmo afirma, como CPI de sistema prisional não desperta maiores interesses do eleitor, ninguém quer montar a peça.
      Creio que o país tem jeito. As mudanças são lentas e ainda não temos 40 anos de plena democracia. As instituições se consolidam com o exercício democrático.

      Excluir
  4. A oab deveria era visitar as escola e hospitais, para ver o desmando e trazer uma solução, só assim acabariam com marginais, mas eles só querem é aparecer.

    ResponderExcluir
  5. Como o prédio da OAB é grande que tal ela dar guarida a estes presos?

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.