04/11/2013

Auditores fiscais presos em S. Paulo teriam acumulado uma fortuna de R$ 80 milhões

reduzir

Uma quadrilha de auditores fiscais que fraudavam o fisco municipal de São Paulo foi desvelada, há uma semana, por ação do Ministério Público do Estado de São Paulo, em uma operação denominada “Acerto de contas”.

> Ganhos e perdas

Os quatro auditores, segundo a Corregedoria do Município de S. Paulo, de 2007 a 2012, acumularam, com propina advinda de redução de valores de ISS para construtoras locais, cerca de R$ 80 milhões.

Calcula-se que a Prefeitura de S. Paulo tenha deixado de arrecadar cerca de R$ 500 milhões com as reduções tributárias fraudulentamente concedidas às empresas.

> Brookfield confessa

Pelo menos uma construtora, a Brookfield, aceitou um acordo de leniência com o MPE-SP e revelou ter pagado aos quatro auditores a quantia de R$ 4.124.658,22, referentes à liberação de 20 empreendimentos cujo valor de ISS foram reduzidos em cerca de 50% do que seria corretamente devido.

> Um dos maiores escândalos

As fraudes, tratadas pelo atual prefeito de S. Paulo, Fernando Haddad (PT), como "um dos maiores escândalos já descobertos na cidade", ocorreram durante a administração do ex-prefeito Gilberto Kassab (DEM).

> Patrimônio declarado

Segundo a “Folha”, os auditores Ronilson Rodrigues, apontado pelo MPE-SP como líder da quadrilha, Luís Magalhães, Carlos do Amaral e Eduardo Barcellos, têm registrados em seus respectivos nomes, “um patrimônio de 59 imóveis, nove quotas de participação em empresas e oito veículos, entre os quais uma lancha avaliada em R$ 1 milhão”.

Para ver o infográfico com a relação dos bens clique aqui.

Um comentário:

  1. Tudo foi descoberto, porque uma ex-mulher denunciou o esquema dos fiscais, após um deles não querer pagar a pensão. No Pará, os políticos são mais espertos, encaixam a ex num cargo público e está tudo resolvido.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.