10/10/2013

Escola Tecnológica de Salvaterra: obra inacabada e cursos em petição de miséria

A maioria das escolas de educação tecnológica que foram iniciadas no governo de Ana Júlia, continuam inacabadas após 3 anos de Simão Jatene.

É o caso da unidade de Breves, já postada aqui, e da unidade de Salvaterra, ambas no Marajó, onde todos lamentam os baixos índices de desenvolvimento, mas os governos têm sido relapsos em ações de efetiva reversão do quadro.

Shot002

A inapetência do atual governo na conclusão das escolas tecnológicas só se explica pela falta de prioridade com a qual tem tratado a questão, a ponto de ter, no caso de Breves, priorizado a conclusão de um presídio na cidade, em detrimento da conclusão da escola.

> Cursos sem recursos

Os professores que ministram aulas na parte concluída da escola de Salvaterra, alegam que “além das obras paralisadas, a escola não recebe recursos para manutenção dos cursos existentes há mais de dois anos” e denunciam que muitas vezes têm que “bancar as aulas com o próprio dinheiro”.

O governo, segundo os professores, alega que “os cursos não recebem recursos do governo federal, e o estado não tem como arcar sozinho com os custos para manter a instituição”.

A justificativa do governo é a prova de que a prioridade para o ensino profissionalizante no Marajá é zero, pois bastaria, por exemplo, o governo remanejar o que foi gasto com o recente festival de ópera em Belém, para a Escola Tecnológica de Salvaterra manter os seus cursos por um ano.

17 comentários:

  1. Deputado, nesta semana de Círio de Nazaré tão importante para o povo paraense. Por que o senhor preferiu viajar para o exterior?

    ResponderExcluir
  2. 1. Não é para o povo paraense que o Círio é "tão importante": a festa é "tão importante" para os católicos paraenses, que são 57% do povo paraense.
    2. Para os evangélicos, que também são povo paraense, e que são 43% desse povo, o Círio não tem importância alguma.
    3. Portanto, não fale pelo povo, pois ele é diversificado: fale por você.
    4. Se você trabalho com jogo de cartas ou bola de cristal, mude de ramo, pois você errou feio na suposição de onde estou.
    5. Não acompanho o Círio nem pela televisão, e acho espetacular quem o faz: é uma belíssima manifestação popular e, embora eu não esteja em Belém (jogue as cartas de novo, de repente dessa vez você acerta), no domingo estarei aí, para, na casa da minha sogra, comer maniçoba, que, aliás, só como uma vez no ano, que é no dia do Círio.
    Bom Círio para você.

    ResponderExcluir
  3. O Cirio de Nazaré é um momento que emociona e renova a fé e fraternidade de um povo. Move a solidariedade e o amor daqueles que realmente têm preocupação com o bem e a paz do próximo. É comovente ver pessoas que passam o ano lutando com dificuldades, com dor, com raça, para confraternizarem nesse momento tão belo.
    Mas ter de ver e ouvir políticos como o jatene e o zenaldo, duas raposas velhas, que na maior cara de pau e com vozes em tom de emoção, quase chorando, enaltecendo a manifestação religiosa. Égua meus manos, é de um cinismo sem igual! Políticos que passam o ano todo enganando e ferrando o povo e os servidores públicos deste estado miserável e violento, nesse momento, compram essas rádios e televisões pra fazer demagogia política-eleitoreira em nome da fé. É de tirar qualquer um do sério.
    Deveriam ficar de boca fechada e respeitar esse momento de fé. Deveriam pedir perdão a Deus (se é que acreditam e alguma coisa) pelas ratadas cometidas em seus governos vergonhosos, corruptos e falidos, ao invés de ficar fazendo campanha de promoção pessoal, com dinheiro público. Dinheiro que deveria ser investido em segurança, saneamento, saúde e educação, o que não fazem.
    Feliz Círio aos encarcerados, às prostitutas, aos moradores de rua, aos endividados, aos drogaditos, às mães e filhos de santos, aos envangélicos, aos ateus, aos enfermos, a todos Homens e Mulheres de bem.

    ResponderExcluir
  4. Francisco Marcio10/10/2013 21:06

    Deputado, na foto do Diário, de hoje, onde aparece os séquitos do PMDB protocolando no TCE, Vossa Excelência se faz presente?

    Pelo sim, pelo não, Vossa Excelência pode avaliar em moderar o tom com o Governador, em janeiro de 2015 pode ficar difícil ser governo novamente... E a súcia do PMDB não agüenta 4 anos longe do Poder Estadual. Vossa Excelência pode morrer por inanição...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Eu sou o líder do PMDB e cumpro todas as deliberações tomadas. Eu já disse aqui que não serei candidato a deputado estadual em 2014: ou sou candidato a deputado federal ou não sou candidato a coisa alguma, portanto, de um jeito ou de outro, não estarei na Alepa em 2015.
      O PMDB está fora do poder no Pará desde abril de 1994, quando Jader Barbalho, então governador do Pará, renunciou ao governo para ser candidato ao Senado, portanto, o partido está não 4, mas 19 anos fora do poder.
      Quanto a mim é o contrário: não consigo passar mais de 2 anos apoiando governos, pois a minha paciência com eles acaba em 1 ano e o outro eu passo atazanando a vida da comissão executiva do partido para romper. De inanição não morrerei jamais: tem muita coisa para se fazer na situação, na oposição e até fora da política.

      Excluir
    2. Francisco Márcio11/10/2013 09:49

      Nobre Deputado, dia 21/10 Vossa Excelência completará ( salvo melhor juízo ou acidente de percurso ) 55 anos. Sua Excelência em suas ilações demonstra ansiedade pela chegada dos netos. Será que ainda é o momento para que Sua Excelência faça encenação, previamente combinada, com as lentes da mídia, protocolando no TCE?
      Penso que sua capacidade vai além disso, de vez em quando, tente dizer não ao seu "chefe", isso pode desagradá-lo, em compensação, sua imagem não chafurdará.
      Pense nos netos...

      Excluir
    3. Se para você representar ao TCE, órgão auxiliar da Alepa na análise das contas do governo, para que esse audite a aplicação de uma dotação exclusiva, que está tendo a sua finalidade desviada, é "chafurdar" a imagem, para mim é demandar providências cabíveis de quem tem a obrigação de tomá-las.
      Claro que a hora hora do protocolo é previamente combinada, pois, até o momento, os jornalistas, de nenhuma rede midiática, adquiriram o dom da premonição, ou seja, se eu não avisasse a hora e o dia que iria chegar ao TCE eles jamais iriam adivinhar.
      E não foi somente no TCE o protocolo. Fomos também ao Ministério Público fazer a mesma representação.
      Também não foi só "encenação": as representações foram, de fato, protocoladas e, dos dois órgãos, exigirei providências, assim como exigi quando as demandei no governo Ana Júlia, e ela responde hoje a duas ações de improbidade em consequência disso.
      Você me conhece muito pouco para achar que tenho chefe. Quando não concordo com uma posição discutida no partido e na bancada, tento convencer o contrário. Se sou voto vencido, cumpro religiosamente o resolvido. Isso se chama disciplina e fidelidade partidária, coisa que eu defendo há 30 anos, desde que comecei a fazer política e que vi coroado, há 5 anos, pelo STF.
      Portanto, o dia em que eu não me ver em condições de cumprir resoluções partidárias, e achar que a disciplina partidária "chafurda-me" a imagem, entregarei a liderança do partido e, ato contínuo, renunciarei ao mandato, pois ele não é meu e sim do partido: a fila para assumir a minha posição é enorme.

      Excluir
    4. Francisco Márcio11/10/2013 12:50

      Vossa Excelência agradou meu coração: " é demandar providências cabíveis de quem tem a obrigação de tomá-las."..."exigirei providências, assim como exigi quando as demandei no governo Ana Júlia"... Como sua Excelência tem 30 anos na política e "sempre" adotou esta posição, vou lhe conceder meu sufrágio.
      Não se aborreça, não há problema em ter chefe...

      Excluir
    5. Não, se o seu voto se decidiu no "sempre", não vote em mim, pois eu não tomo essas providências sempre. Onde você já viu um político do governo criar problemas para o próprio governo? Governo não cria problemas: resolve-os. Por isso, eu só crio esses problemas na oposição, ou seja, saio do governo para faze-lo. Seu eu decidir, um dia, passar 4 anos em um governo, você não me verá "chafurdando" a minha imagem.
      Eu tenho sim, problemas em ter chefes. E como os meus amigos sabem disso, fazem de tudo, e acabam conseguindo, para que eu acredite que as decisões tomadas o foram com a minha participação.

      Excluir
    6. Posição correta a sua. Já que o TCE não cumpre de forma constitucional a prerrogativa que tem. Já que o Ministério Público finge que nada acontece. Já que a Assembleia Legislativa como sempre se omite, por razões bastante conhecidas. Nada mais justo que a oposição tome providências necessárias para conter esta ilegalidade que o governo vem praticando. Convém lembrar apenas o que diz um dos capítulos da legislação que trata de improbidade administrativa:"A Lei n. 8.429/1992 (LIA), em seu artigo 14, expressa que
      qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade".

      Excluir
    7. Francisco Marcio11/10/2013 20:02

      Deputado perdoe esse pobre plebeu. Deixe eu vê se entendi: se Vossa excelência participa do Governo, comendo do melado, ficando com a fatia do bolo, o Governo pode desviar a finalidade da taxa, pode pintar o sete e o setenta e sete, que Vossa Excelência é conivente. Nada fez e nada fará?
      Agora se Vossa Excelência é convidado á pedir para sair, e forçosamente vai para a oposição, só então o Governo passa a ser patrulhado? A sua "obrigação" de vigiar o interesse público só vige se Vossa Excelência estiver na oposição?
      Vossa Excelência é adepto do: aos amigos as benesses da lei. Aos inimigos os rigores da lei. E aos indiferentes a lei?
      Vou repensar meu sufrágio para o nobre Deputado.

      Excluir
    8. Eu já lhe disse que pobre plebeu não tem acesso a informações Internet.

      Quase certo, portanto, em parte errado.

      Ninguém é obrigado a estar no governo ou na oposição, assim como não é obrigado a estar nesse ou naquele partido. Mas quem está no governo é obrigado a defende-lo e quem está na oposição obriga-se a denunciar os malefícios do governo, ou não estará tendo um comportamento eventualmente coerente.

      Imagine se eu sou o líder do governo e, todos os dias, uso o meu horário de liderança para desancar o governo? Imagine se sou o líder da oposição e uso o meu horário para elogiar o governo nas ações boas e fico calado nos malefícios? Nas duas posições estarei louco ou abobalhado.

      Como já fui chefe de executivo e sei as dificuldades que isso significa, tenho paciência com governos e espero que acertem o passo, creditando tudo de errado que vejo a ações involuntárias, que não contêm o dolo de fraudar o erário, pois isso já ocorreu comigo.

      Mas quando me convenço de que as ações são dolosamente deliberadas, estou fora. Saio do governo para a oposição, para poder estar livre para denunciar, pois se eu continuar no governo tenho que continuar calado e ser conivente.

      Como melados me fazem mal (sou diabético), sempre saio, pois sigo o conselho do meu pai, que me dizia que jamais deixasse alguém montar no meu cangote. E como receber benesses indevidas de governos é suborno, se eu receber estarei com o governador montado no meu cangote, o que fará com que eu não fique no escuro com medo do fantasma do meu pai aparecer e me dar umas merecidas lambadas.

      Excluir
    9. Francisco Marcio13/10/2013 16:05

      Se Vossa Excelência tivesse "chefe" eu diria que sua resposta o agradou. Como insiste em dizer que nao tem, vou dizer que Vossa Excelência agradou o redator do "Repórter Diário" de sábado. Lhe deram uma canja ( nada mais natural ), transcrevendo sua resposta para o jornal, fomentando assim sua "futura" candidatura a Câmara Federal.
      "Futura"?!? É mais fácil o saci-pererê cruzar as pernas do que essa candidatura não for á frente. È aquela questão: vício, poder...

      Excluir
  5. O problema da escola técnica não é somente no governo jatene, desde o governo Ana Júlia que ninguém na Seduc dá a menor importância para o ensino técnico nesse estado. Estudei de 2008 a 2010 na ETEMB, me formei em Mecânica Industrial sem nunca ter ligado uma máquina de solda, torno, fresa, nunca ter desmontado um motor, etc, etc. Até fiz essa denúncia aqui no blog, mas de nada adiantou. Laboratórios sucateados e que só servem de museu, nada funciona.

    ResponderExcluir
  6. Parsifal;

    Vagas para jovens estudantes em processo de educação profissional perdidas. Vagas para profissionais (professores) perdidas. Capacitação para a indústria e para a prestação de serviços que nunca ocorre.

    ResponderExcluir
  7. égua deputado....tu foi pro exterior?????? que coisa feia. rsrs.

    ResponderExcluir

  8. estudo a mais de um ano na chamada "Escola Tecnológica de Salvaterra"
    pois tudo que estão falando é verdade nos alunos sofremos cm a falta de
    estrutura física da escola não temos um auditório, nossas salas de aulas
    São um forno os arcondicionados estão todos quebrados cm defeitos a
    instalação elétrica São de péssima qualidade, quando chega a noite que é
    o turno que estudo a sala e muito quente, imagino os alunos da manhã e
    da tarde dentro de uma sala de aula sem ventilação. com cheiro de meia
    velha, ainda bem que já estamos no verão pois quando era no inverno as
    salas mais pareciam um pantanal com infiltrações por todos os lados to
    teto, não sabíamos se estava ou andava com a nossa mesa e a cadeira
    procurando um lugar pra ficar que não molhase.
    e agora isso nosso escola está entregue ao auxílio do tempo com as obras
    inacabadas e tudo entregue as baratas.pois o respeito que divia existir
    deixou nosso governo de olhos fechados e nossa Escola Tecnológica foi
    enlatada e jogada no esgoto.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.