05/10/2013

Belém: cloaca de si mesma

Shot009

Haja Enterovioformio para tanta dor de barriga.

A propósito, logo após a publicação dos índices do Instituto Trata Brasil, que inclui as três maiores cidades do Pará entre as 10 piores do Brasil em saneamento básico, os marqueteiros do Governo Estadual turbinaram a propaganda da COSANPA.

Não mais que de repente, pelo menos na propaganda, a empresa de água e saneamento do Estado, “começou” a fazer diversas obras pelo Pará afora.

18 comentários:

  1. Noticia hoje (5) na Folha de São Paulo: “Casas têm mais TVs e menos rede de esgoto em 11 Estados do Brasil”. Depois de discorrer sobre vários Estados sobre serviço de esgoto, a matéria informa sobre o Pará, que regrediu – “A Cosanpa, companhia de saneamento do Pará, em um dos Estados com maior queda no índice de casas com esgoto, diz que faz melhorias na rede desde 2008, mas enfrenta o crescimento populacional”.
    Essa é a “desculpa do século” dos marqueteiros tucanos. Me engana que gosto. A pior resposta que já vi sobre um problema tão sério.

    ResponderExcluir
  2. Precisa primeiro explicar aos marqueteiros tucanos o que significa "cloaca".

    ResponderExcluir
  3. A Cosanpa é o exemplo de "como não pode ser qualquer empresa" pública ou não.
    A Cosanpa não cuida do pouco que já está funcionando. Mal cuidam do abastecimento de água, nas cidades onde o abastecimento é por conta da Cosanpa, a comunidade ajuda os operadores com recursos para enrolar um motor que venha a queimar.
    Em Breu Branco, onde existia uma pequena porção de esgoto tratado, a Cosanpa deixou ao leo, sem insumos e hoje nada é tratado por lá.
    As poucas obras são feitas pelo PAC/Funasa, algumas administradas pela Sedurb, entregues a Cosanpa para perecerem sem manutenção.

    ResponderExcluir
  4. É preciso agora observar o que vem dito há bastante tempo, este governo é só propaganda e nada mais. Vejam foi o bastante para que as pesquisas demonstrassem a incompetência da Cosanpa na questão de água e esgotos, para que os marqueteiros de plantão começassem a fazer matérias sobre retomadas de obras e outras enganações. No final do governo vem agora falar de retomadas de obras de saneamento em Santarém. Quer dizer que esses escândalos administrativos não viessem à tona. Tudo ficaria como dantes no quartel de abrantes. Os "projetos, editais" e outras embromações ficariam mofando na gaveta dos dirigentes da Cosanpa.

    ResponderExcluir
  5. Aviso aos administradores públicos: Governo do Jatene descobriu porque o Estado do Pará regrediu, com maior queda no índice de casas com esgoto; "Crescimento Populacional". Com certeza isso pode servir de tese de doutorado em qualquer instituição acadêmica universitária, que trate sobre gestão pública, principalmente sobre saneamento. Habilitem-se e faça o curso na Cosanpa. O preço apenas um picolé do Jatene, Desculpem a ironia no final, mas sinceramente a despeito de qualquer coisa, este governo não pode ser levado a sério,

    ResponderExcluir
  6. As obras do PAC/FUNASA so saem depois de acertadas com o Barbalhinho, ja em campanha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando começam os ataques gratuitos é sinal que estão descendo ladeira abaixo. E com certeza não vai parar de descer. O Lorota está virando picolé do seu Zé.l.

      Excluir
    2. A jateninha. também conhecida como lorotinha, continua procurando votos para o Pai, está difícil, mas continua o projeto Pro-Pai. mudou apenas o nome para Pro-Paz.

      Excluir
  7. Não resta a menor dúvida o jornal o Liberal já está há bastante tempo carimbado como defensor e arauto dos governos tucanos. Antigamente ainda disfarçava como imparcial, mas agora age de forma escrachada. Milhões de argumentos devem ter levado a esta descompostura. Nas manchetes, nas colunas e nos noticiários está mais do que comprovada a campanha pró-PSDB. O grupo dominou por tantos anos os mais diversos governadores, apenas um ele não conseguiu. E pelo jeito não vai dominar nunca.

    ResponderExcluir
  8. Xadrez palaciano perde o rei para elevar o bispo. Jatene sairia de licença para participar da campanha e deixa Helenilson no governo. Depois Jatene diz que está doente e o PSDB lança Helenilson já no governo como candidato à reeleição. Conclusão:Querem lançar Helenilson, como fato novo na política, os tucanos acham que com Jatene a eleição está perdida. Anotem e depois confiram. Sidney Rosas não quer nem saber está em plena campanha rumo ao Senado, lá na frente Mario Couto será convencido a sair candidato a deputado federal. Tucanos de Paragominas aham que o Mario não é páreo para vencer de Paulo Rocha, do PT.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tucanos estão em extinção;
      O único nome do PSDB que restava na Assembleia Legislativa anunciou ontem que também sairá do partido. De olho na sobrevivência política, o deputado estadual João Jaime resolveu acompanhar a revoada geral tucana e seguirá para o DEM, dias após os também deputados Téo Menezes e Fernando Hugo terem decidido debandar.

      A sigla que por 16 anos comandou soberana o Ceará fica, agora, sem qualquer representação no Legislativo estadual

      Excluir
  9. Com o Jatene mal junto ao eleitorado em todo o Estado, foi primeiro colocado o Helenislson (PSD) em uma supersecretaria, depois chamou o Adnan ( PSDB) para representar o Zenaldo e a República de Paragominas. Os tucanos pretendem com essa estratégia arregimentar votos do centro-oeste e do nordeste paraense. Vale apenas ressaltar que eles não farão nada por essas regiões e a decepção será grande. Somente lembrando que tanto Adnan como Helenilson são empresários-políticos. Primeiro os meus depois os teus. Ficou também estabelecido que o núcleo duro do governo está entregue aos participantes da República de Paragominas e ao Helenilson. Entre os históricos tucanos a desconfiança e inconformação são visíveis.

    ResponderExcluir
  10. Traição anunciada e esperada a saída de Hidelgardo Nunes do PMDB para o PSDB.

    ResponderExcluir
  11. Parsifal;

    A propósito das manchetes de 'O Liberal':

    Parece que a linha editorial deste jornal resolveu achar que os seus leitores são uns imbecis, e que qualquer coisa que o redator ponha na primeira página as pessoas vão acreditar. Festejaram com letras garrafais e sensacionais a redução de 10% no analfabetismo do Pará; nas manchetes de hoje estão festejando o ciclo mineral do estado, como promessa de riquezas, que um leitor menos avisado pode até achar que Carajás começou ontem (a propósito o Jornal Pessoal diz exatamente o contrário e, sua últtima edição); anunciam obras de melhoramentos na COSANPA; etc. Cá prá nós... redução de 10% de analfabetismo ainda é motivo para ficar calado e corar-se de vergonha. Ou não?

    ResponderExcluir
  12. Esse jornal quer aplicar o 'conto do vigário', querendo vender aos leitores um mundo fictício, mil maravilhas no Pará. O mesmo que querer vender aos paraenses um condomínio na Lua, que o governo do Jatene vai fazer com saneamento,água, esgoto, Eles pensam que ainda estão sozinhos quando mandavam e desmandavam em governadores, enfim em todos gestores, empresários e eleitores. Agora nós as redes sociais para desmentir em cima da bucha. O povo paraense não aceita mais estes tipos de empresários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto já é demodé. Esses tipos de empresários funcionaram no tempo da ditadura. Na democracia é inaceitável, é repugnante, principalmente a soberba e o provincianismo dos dirigentes. Chegam à beira do cafonice.

      Excluir
  13. Através de documentos está provado que o governador desviou recursos da taxa mineral para fazer pagamentos de empreiteiras, inclusive algumas contas atrasadas. Bom, o governo cometeu uma ilegalidade. Desrespeitou de forma acintosa uma legislação estadual que foi aprovada pela Assembleia, recebeu o apoio do Ministério Público e sancionada pelo próprio governador. E agora deputado, o que fazer? é ou não é improbidade administrativa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é improbidade, e digo isso aqui na postagem da manhã.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.