11/09/2013

Governo digital ou propaganda eleitoral?

Shot002

Na mais perfeita tradução do antes tarde do que nunca, o governador Simão Jatene resolveu usar a tecnologia para se comunicar com os súditos e inaugurou na segunda-feira (9), o “Governo Digital”.

Não confundir o protagonismo com o outro tipo de governo que já é feito desde 01.01.2011, o “Governo Virtual”: o “Governo Digital” é uma espécie de interface através da qual, por 90 minutos (por mês?), o governador interage com o público na busca de traduzir o que o “Governo Virtual” propaga.

> Proposta

A proposta do “Governo Digital” é mais ou menos como o SUS: seria ótimo se funcionasse da forma como foi idealizado, mas como na prática a teoria pode ser diversa, assim como no SUS, é menos pior havê-lo do que não poder dispor dele.

Agora, para que a ideia não seja um chá de erva cidreira, e à guisa de interagir não se faça apenas uma virtualização a mais, é necessário não estabelecer filtros e servir o café com borra e tudo, pois do pouco que vi na primeira edição, tudo não passa de pura propaganda eleitoral.

Mas se propaganda eleitoral for, parabéns: serve.

18 comentários:

  1. Nobre deputado,

    Sou leitor assíduo de seu blog já há muito tempo e devo dizer que sempre me vi de acordo com a vasta maioria das suas postagens, tanto em matéria política quanto quando tratava de assuntos gerais. Essa sintonia de ideias sempre contribuiu para o engrandecimento do respeito que nutri pela sua sapiência, mesmo sem nunca tê-lo conhecido.

    De alguns meses para cá, contudo, devo dizer que deixei de acompanhar seu blog. E a razão é unicamente a linha editorial tomada a partir do rompimento do PMDB, seu partido, com o Governo do Estado. Hoje não consigo mais ver fidelidade na escrita ou honestidade na opinião. Tudo escrito aqui parece seguir a velha guerra política que, no nosso estado, é protagonizada por O Liberal e Diário do Pará.

    Não defendo qualquer dos lados; apenas sinto falta de opiniões sinceras e verdadeiras. É gritante a guinada que deram seus textos no que diz respeito à política local.

    Uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que você é, ou era, leitor assíduo do blog, peço-lhe uma só ilustração para ratificar a sua afirmação: aponte-me uma só postagem em relação ao governo do Pará, antes do rompimento do PMDB com o PSDB, que demonstre o contrário do que escrevo agora, estabelecendo que antes as minhas opiniões eram sinceras e agora não são. Se você conseguir ilustrar essa contradição o seu texto estará ratificado.
      Quanto à suposta linha editorial, os números não concordam com você: acabei de conferir as estatísticas dos assuntos das postagens. De maio desse ano até agora 342 postagens foram feitas e menos de 10% delas (32) se referem ao governo do Pará. Outras 12 se referem a índices do Pará e seriam publicadas independente de governo.
      Creio que, embora você se diga "sem lado", ler criticas ao governo local o incomoda, pois não recebi essa observação quando as críticas são ao governo federal (que são mais de 10% das postagens (86 de maio até agora) e nem quando escreve críticas ao próprio PMDB (9 desde maio).
      Portanto, a sua simpatia lhe está turvando a visão fazendo com que você só enxergue as críticas ao PSDB local: o restante pode criticar à vontade que são "opiniões sinceras".
      Mas se você voltar aqui ainda hoje, coincidentemente, deverá se desencantar de vez: as três postagens do dia são sobre o governo local, e são três assuntos que seriam tratados até mesmo se eu fosse chefe de gabinete do governo Jatene.
      Fique certo de uma coisa: posso estar errado, mas as minhas opiniões não são sinceras apenas quando agradam.

      Excluir
  2. Parsifal;

    Outro que ocupou espaço nobre na TV para uma "conversa com os brasileiros" foi o tucano Aécio Neves (PSDB-MG). Criticou a Dilma, falou sério, depois tentou sorrir, e foi aí então que eu percebi a principal mudança do candidato do PSDB à presidência da república: as várias aplicações de "botox" feitas para esconder as rugas do rosto. O que a Griffo vai preparar desta vez para o Jatene? Será que é Botox? Pelo sim pelo não, um bom hidratante facial à base de "peroba oil" já lhe cairia bem.

    ResponderExcluir
  3. chega a ser comico, como o pará dezandou segundo o deputado, porem isto so começou acontecer depois que o pmdb virou oposiçaõ.esta linha de fazer politica ja esta ultrapassada deputado.como vsa exelencia ,tem um alto(Qi) sugiro que de uma atençao maior ao seu(Qe)pois o mesmo ta te deixando muito.acido. segundo Daniel Goleman tem que aver um equilibrio entre Qi e Qe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PELA MÃE DO GUARDA

      Parsifal fiquei triste de você não ter notado que existe cultura em quem postou e existe aviso de erro de escrita no espaço de postagem então da para entender erros de português sem serem propositais! Veja que quem escreve errado não usa virgula!

      ((((MCB))))

      Excluir
    2. 1. Não é cômico, é trágico.
      2. Não é segundo eu e sim segundo o IDH-M, IBEU, PNUD, IPEA, Conselho Geral de Auditorias Nacionais e o próprio orçamento do Estado.
      3. Não é desde que o PMDB virou oposição, e sim, segundo os índices acima, desde 1993.
      4. Não se está fazendo política e sim demonstrando índices e analisando-os através de opiniões. Se você acha que os índices estão errados, mostre os corretos. Se acha as opiniões erradas demonstre que elas estão.
      5. Não precisa de QI para observar a cena. Basta saber ler.
      6. QE não resolve questões de acidez. Pantozol é melhor. Todavia, pelo incômodo que você indica, quem está precisando de anti-ácido é você.

      Excluir
    3. Olá MCB,

      Vírgula é uma mero detalhe. O que ele quis dizer mesmo é que detesta ver tucano levando vassourada. Essa turma se acostumou a ser "incriticável" e fica com urticária quando são colocados os pingos nos is: até as vírgulas eles trocam por pontos.

      Excluir
    4. MC,B***tu deveria rumar para maraba,la o prefeito puxa saco dos barbalhos ta precisando de um professor de portugues,quem sabe tu , indicado plo deputado falastraõ naõ arruma uma boquinha.

      Excluir
  4. Tudo ai em cima são meras verdades, aliás de quem também tem o poder de decidir lá na Assembléia Legislativa e não faz. Quem sabe amanhã o "Guerreiro" Deputado dos Barbalhos, sabe-se lá, virar-se contra os mesmos e diz que Helder "o Mágico de Ananindeua" está fazendo campanha antecipada para as proximas eleições 2014, além da cumplicidade e vulnerabilidade dos olhos cegos do Ministério Público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O MP é cego para muito mais coisas do que supostas campanhas antecipadas.

      Excluir
  5. Caro deputado barbalhista.
    Creio que o amigo confundiu as bolas, ou os bits. Propaganda eleitoral? Pensei que propaganda eleitoral antecipada fosse o programa(?) de rádio do locutor-político-radialista-coveiro de ananindeua Helder pontes..perdão..Helder barbalho.
    Curioso pra saber a sua avaliação do programa que distribui sopão e casamentos comunitários do seu sobrinho político.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro comentarista jatenista (e não pense que há problema algum ser barbalhista ou jatenista. Cada um opta pela sua corrente e isso tem um nome: democracia),

      Exceto a sua esquizofrênica definição de quem elege para achincalhar, você está absolutamente correto na sua definição de propaganda eleitoral antecipada. No que eu estou correto também, a respeito do recém inaugurado "governo digital".
      Portanto, veja só: a respeito de propaganda eleitoral, concordamos plenamente, o que nos infere a, também, concordar que vivemos em um estado, que além de amargar péssimos índices de qualidade de vida, tem um sistema judiciário completamente omisso e avacalhado.

      Excluir
  6. Carlos Simas12/09/2013 07:43

    Taí, dessa eu gostei Deputado. Realmente o judiciário é omiso e avacalhado. Sabe por quê? Muitas das indicações ao desembargo sofre uma grande influência do Executivo, até mesmo do Legislativo sobre juizes no interior. Pois bem, penso que é uma vergonha esse tipo de ação do Helder Barbalho quando usa seu meio de comunicação para fazer politicagem com claras intenções ao pleito de 2014. Quanto aos indices alarmantes que tanto Você cita IDH-M, IBEU, PNUD, IPEA. Ai eu dou minha opinião, mas somente agora decidiu pelas críticas Deputado? E o que Você faz na Assembléia Legislativa chamada "Casa do Povo" que não contribuiu com propostas claras para mudar esse estado de coisas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A influência do Poder Executivo sobre o Legislativo e Judiciário não é novidade: todas as Constituições do Brasil, desde a primeira, depois da Monarquia, trazem o mesmo modo de escolha dos desembargadores.
      Por que você acha que é uma vergonha apenas quem você não simpatiza fazer o que você não deseja? A moeda tem outro lado: o governador (e todos os que vierem antes e o que vier depois dele) gasta R$ 170 milhões por ano, de dinheiro público, para fazer propaganda de si mesmo. Quanto você acha que custa 1 hora e meia de programa de televisão, linkado com rádio, para fazer o "governo digital"? Hipocrisia quando é muita vira idiotice. Tome tento.
      Antes de tecer críticas, e elas são sempre bem-vindas se fundamentadas, aproprie-se do debate.
      Os índices dos quais se trata (IDH-M, IBEU, PNUD, IPEA) são colhidos e publicados pelos órgãos que os tratam, apenas de 10 em 10 anos, pois um decênio é o lapso de tempo útil para que os programas e planos de governo possam melhorar, ou a falta deles piorar, os indicadores.
      As últimas publicações antes de 2013 foi em 2003, quando eu ainda não estava na Alepa, portanto, obviamente, não podia usar a "Casa do Povo" para pronunciamentos ou críticas.
      Mesmo assim, de novo você precisa estudar sobre as prerrogativas do poderes da República, não cabe ao Poder Legislativo elaborar planos e programas de desenvolvimento ou mitigação de desigualdades: esse poder é exclusivo do Poder Executivo, que, de fato, desde 2000, nunca teve propostas claras para mudar esse estado de coisas.

      Excluir
  7. não!!!!!!!!!! eu entendi direito, caro Parsifal Barbalho? Você está dizendo que o programa de rádio do seu sobrinho Helder Pontes Barbalho é propaganda política antecipada? E entendo que o sr agora, como arauto da ética e dos bons costumes, irá denunciar esta prática ilegal ao Ministério Público? Meu querido Parsifal Barbalho, espero não ver o Sr distribuindo sopão e/ou fazendo casamentos comunitários no programa de rádio do "sobrinho do capitão"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é ruim mesmo assim, ou só se finge de louco?
      Cuidado, trocar nomes é crime (falsidade ideológica)com pena de reclusão, mas praticar crimes deve ser o seu forte, já que bajula tucanos.
      Denunciar prática ilegal ao Ministério Público? Agora eu tive a certeza: você é totalmente mentecapto.
      Sinto decepcioná-lo, mas eu patrocino distribuição de alimentos e, todos os anos, desde 1996, patrocino casamentos comunitários. E também, no natal, distribuo presentes à crianças carentes, doou cestas básicas à famílias carentes, e sirvo ceia em um presídio.
      Mas a caridade maior que faço, essa todos os dias, é ler e responder comentários de esquizofrênicos. Mas, são poucos. Contando com você são 4, por enquanto.

      Excluir
  8. Deputado pelo que li onde fica sua essência bajulação pelos Barbalhos? Falar do elemento que é bajulador dos tucanos não é a mesmice.Hum, hum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês são muito ruins mesmo. Não conseguem concatenar argumentos, não conseguem articular sustentações, e resumem a aparição, a uma só tecla do piano: a fixação esquizofrênica por Jader Barbalho.
      A sua sustentação cai na mais comezinha contradição: se eu praticasse mera bajulação "pelos Barbalhos", jamais liberaria o seu comentário, por exemplo, que dirá os outros que não conseguem montar uma frase sem detratar Jader Barbalho, e são todos publicados.
      Eu nasci para puxar a minha própria carroça, meu caro, pois não bajulo.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.