14/07/2013

A Sá Marina, a sesta, a produtividade

Meu pai era madrugador: às 4h30m estava de pé. Ligava o rádio e acordava todo mundo em casa, ao som de “Sá Marina”, que era o prefixo musical de um programa radiofônico na alvorada. Até hoje quando eu ouço a “Sá Marina”, bate-me aquela saudade que nos aperta o peito. Adoro sofrer nessas horas, pois, como disse o Maestro Isoca, “recordar é sofrer mais”.

Como agora todos têm pressa, a sesta não mais é tradição. Mas eis que ela volta, como uma espécie de elixir da produtividade: psicólogos descobriram que dormi-la entre as jornadas de trabalho mantém, e até aumenta, o nível de produtividade do proletariado.

Por isso, e só por isso, empresas na Europa e EUA, estão facilitando a madorna dos seus funcionários e surgem móveis adequados à linha.

A Studio NL projetou um bureau cuja parte inferior se transforma em uma cama. Abaixo o bureau:

Shot005

Abaixo, a parte frontal se articula formando uma cama:

Shot006

E abaixo uma reconfortante sesta:

Shot007

Dizem os experts no assunto que, após o almoço, 15 minutos de sono ajudam na digestão, tiram a sensação pesada após as refeições, diminuem o estresse e estimulam a concentração para a segunda parte do dia.

Um comentário:

  1. É isso mesmo deputado, os índios e os caboclos já sabem disso há séculos. Mas precisou que psicólogos e outros doutores descobrissem a pólvora, ou melhor, a sesta.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.